A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
estudo de caso

Pré-visualização | Página 2 de 2

população (AMENDOLA, 2014).
3.0 DISCUSSÃO DE CASO 
3.1 Descrição de Caso
3.1.1 Descrição Caso 01: filme Orações para Bobby 
Nascido em uma família muito religiosa, quando a mesma descobre que Bobby está em dúvidas da sua sexualidade, o levam a uma psicóloga. No consultório, a psicóloga faz perguntas a Bobby, tais como, se ele tem certeza que é homossexual, e se ele quer ser. Logo em seguida ele fala sobre o dilema familiar, e ela o ignora, voltando à insistência de perguntar se ele quer ser homossexual. Ainda na escuta terapêutica, ela fala com a mãe de Bobby a sós, que a indaga se tem como curar o filho, e a psicóloga fala que é preciso que ele esteja disposto a se curar e que precisa da ajuda dos familiares para a terapia.
3.1.2 Descrição Caso 02: caso elaborado
Max chega ao consultório psicológico relatando que tem apresentado alguns momentos de agressividade, crises de ansiedade e que espíritos dizem para ele o que fazer. O psicólogo coloca em âmbito na sessão sua questão religiosa, ou seja, alegando que ele deveria procurar alguma igreja, ou técnica que pudesse o afastar desses espíritos. 
3.2 Análise de Caso
3.2.1 Análise Caso 01: Filme Orações para Bobby
Diante do exposto, ficou comprovado que a psicóloga infringiu o Código de Ética Profissional do Psicólogo:
Resolução 01/99, não cabe a profissionais da Psicologia no Brasil o oferecimento de qualquer tipo de terapia de reversão sexual, uma vez que a homossexualidade não é considerada patologia, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).
Dos Princípios Fundamentais do Psicólogo:
I – O Psicólogo baseará seu trabalho no respeito e na promoção da liberdade, da dignidade e da integridade do ser humano, apoiado nos valores que embasem a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
II – O Psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades e contribuirá para a eliminação de quaisquer formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.
III. O psicólogo atuará com responsabilidade social, analisando crítica e historicamente a realidade política, econômica, social e cultural.
Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
a) Praticar ou ser conivente com quaisquer atos que caracterizem negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade ou opressão; 
b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais; 
f) Prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimento psicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão;
3.2.2 Análise Caso 02: Caso elaborado 
Diante do exposto, ficou comprovado que o psicólogo infringiu o Código de Ética Profissional do Psicólogo:
Dos Princípios Fundamentais do Psicólogo:
II – O Psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade de vida das pessoas e das coletividades e contribuirá para a eliminação de quaisquer formas de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.
Art. 1º - São deveres fundamentais do Psicólogo:
c) Prestar serviços psicológicos de qualidade, em condições de trabalho dignas e apropriadas à natureza desses serviços, utilizando princípios, conhecimentos e técnicas reconhecidamente fundamentados na ciência psicológica, na ética e na legislação profissional;
Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:
b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais;
f) Prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimento psicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão;
REFERÊNCIAS 
AMENDOLA, Marcia Ferreira. Formação em psicologia, demandas sociais contemporâneas e ética: uma perspectiva. Psicologia: ciência e profissão, Brasília v. 34, n. 4, p. 971-983, dez. 2014.
AMENDOLA, Marcia Ferreira. História da construção do Código de Ética Profissional do Psicólogo. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro v. 14, n. 2, p. 660-685, ago. 2014.
CAMPS, Victoria et al. Historia de la ética. Crítica, 1992.
FIGUEIREDO, Antônio Macena. Ética: origens e distinção da moral. Saúde, ética & justiça, v 13, n. 1, p. 1-9, jun 2008.
FREIRE, José Célio. A psicologia a serviço do outro: ética e cidadania na prática psicológica. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 23, n. 4, p. 12-15, dez 2003.
PAVIANI, Jayme. As origens da ética em Platão. Editora Vozes Limitada, 2013.
VÁSQUEZ, Adolfo Sánchez. Ética. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1992.
7