A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Banner de análise experimental da evolução microestrutural da liga Al-7%Si-1%Fe0,5%V obtida via processo de fabricação mecânica

Pré-visualização | Página 1 de 1

INTRODUÇÃO
Análise experimental da evolução microestrutural da liga Al-7%Si-
1%Fe0,5%V obtida via processo de fabricação mecânica: 
Fundição/Solidificação
(A)
(B)
UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP
CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMOÇÃO 
CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS 
MATÉRIAIS E MÉTODOS
RESULTADOS
Uma liga Al-7%Si-1%Fe0,5%V foi seccionada em 9
posições distintas e no presente trabalho foi analisada a
posição 5mm.
Para a obtenção das microestruturas da posição 5mm
apresentadas a baixo foi utilizado um microscópio óptico.
Com o uso do programa imageJ
foi obtido o tamanho aproximado
de duas dendritas e o resultado foi
usado na formula
Esse calculo foi repetido dez vezes
para que se obtivesse uma média,
e com isso adquirindo a Medição
de espaçamento da
microestrutura.
Fig. 2. (A) Dendritas com aproximação 50x (B) Dendritas com aproximação 100x 
(C) Dendritas com aproximação 200x (D) Dendritas com aproximação 500x 
Fig. 1. Representação dos cortes da liga
Fig. 3. Medição de duas 
dendritas
Fig. 5. Macroestrutura
Fig. 7. Correlação entre 
espaçamento microestrutural e 
microdureza vickers
Fig. 4. Taxa de posição
Fig. 6. Correlação entre espaçamento 
dendrítico secundário e taxa de 
resfriamento
(C) (D)
.
LIGAS METÁLICAS: 
• Condutividade elétrica e 
térmica
• Resistência à corrosão
• Brilho
• Resistência mecânica
• Temperatura de fusão
ALUMINIO: 
• Grande possibilidade de 
desenvolvimento de novas 
ligas 
• Leveza
• Boas propriedades
mecânicas
ALUMINIO-SILICIO: 
• Elevada fluidez
• Elevada fundibilidade
• Propriedades mecânicas 
relativamente elevadas
• Boa resistência à corrosão.
FERRO-VANÁDIO: 
• Duro/Resistente
• Maleável, Dúctil
• As macroestruturas das ligas 
ternárias examinadas 
mostram-se de morfologia 
colunar praticamente ao longo 
de todo o comprimento dos 
lingotes.
• Os perfis experimentais de 
macrossegregação
evidenciaram segregação
inversa apreciável de Cu 
somente para a liga ternária
de menor teor de Si (1%), 
enquanto que a liga com 4%Si 
apresenta apenas uma ligeira
tendência de segregação
inversa.
• Os resultados experimentais
de porosidade mostraram uma
fração de poros elevada para
regiões próximas às
superfícies dos lingotes,
contrariando a tendência
evolutiva geral. Mostrou-se
que isso se deveu a uma
concentração atípica de Fe
(muita acima da composição
residual de 0,08%) 29
próximas à superfície e que
decorrem da difusão de Fe a
partir da chapa molde de aço
carbono. Essa concentração
leva à formação de plaquetas
do intermetálico AL-SI-FE-V
que bloqueiam o fluxo de
líquido pelos canais
interdendríticos aumentando a
porosidade na superfície. Essa
evidência experimental é
importante para fundição de
ligas de Al em moldes
permanentes de aço.
• Siqueira C. A.; Cheung N.; Garcia A.; Solidification Thermal
Parameters Affecting the Columnar-to-Equiaxed Transition, 
Metallurgical and Materials Transaction A, v. 33, pp. 2107- 2118, 
2001. Siqueira C. A.; Cheung N.; Garcia A.; The columnar to
equiaxed transition during solidification of Sn-Pb alloys, 
Journal Alloys and Compounds, v. 351, pp. 126-134, 2003 
Somboonsuk K., Mason J.T., Trivedi R.; Interdendritic Spacing: 
Part I. Experimental Studies, Metallurgical and Materials
Transactions A, v. 15, pp. 967-975, 1984. Spim J. A.
APS