Buscar

Prévia do material em texto

Kanban é o termo japonês que significa 
“cartão”. O método recebeu esse nome da 
própria empresa que o criou, a Toyota. Ele 
nada mais é do que um sistema ágil e visual 
para controle de produção ou gestão de tarefas. 
 
O Kanban se divide em três partes principais: 
 
O cartão: 
Representa uma tarefa ou ação. Os cartões são 
diferenciados por cores, indicando o 
responsável, o nível de prioridade, qual o tipo 
de tarefa, entre outros. 
 
Colunas: 
Representa o status dos cartões. Geralmente 
possui três colunas – A FAZER, EM 
EXECUÇÃO e FEITO. Essas colunas podem 
mudar de acordo com a necessidade da 
equipe. Os cartões são movidos conforme o 
andamento das tarefas, dando um panorama 
do que está pendente e do que foi concluído. 
 
Quadro: 
É o Kanban como um todo. Cada Kanban é 
um projeto, para cada projeto, um quadro. 
Uma equipe pode trabalhar com vários 
quadros simultaneamente. 
 
Para que serve o kanban? 
 
1. Gerenciar o fluxo de trabalho e permitir que 
os gestores tenham uma 
 
2. Dimensão do que está sendo produzido e 
em que ritmo está sendo produzido. 
 
3. Equilibrar os processos que vem antes e 
depois para que uma atividade não seja 
interrompida pela falta de outra que deveria 
ter sido entregue. 
 
4. Limitar a quantidade de trabalho que deve 
ser realizada pela equipe, respeitando a 
capacidade produtiva. 
 
 
 
Kanban de produção 
Focado na gestão de tarefas. Os cartões vão 
avançando de acordo com o fluxo de trabalho. 
 
Kanban de movimentação 
Focado no controle das entradas e saídas do 
estoque, os cartões vão mudando de coluna de 
acordo com o volume d estoque disponível. 
 
Cinco vantagens do Kanban 
 
1. Autonomia da equipe; 
2. Priorização de tarefas; 
3. Aumento da produtividade; 
4. Redução de custos; 
5. Trabalho em equipe. 
 
 
Kanban

Mais conteúdos dessa disciplina