A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Câncer de Rim e Bexiga

Pré-visualização | Página 1 de 1

Bruno mota 
 
 Câncer de Rim e bexiga 
 
 
• Essa é a classe de câncer mais 
comum em fumantes. 
• O tipo histológico, mais comum de 
câncer renal é: carcinoma de células 
claras de 70 a 90% 
• Câncer de pior prognostico 
• Não responde a quimioterapia 
 
 
 Fatores de risco 
 
• Tabagismo de qualquer forma 
• Obesidade 
• insuficiência renal crônica em 
hemodiálise 
• história familiar de câncer renal 
• doença de von hippel-lindau 
• hepatite C crônica 
• exposição frequente as substâncias 
tóxicas 
 
 clínica 
O quadro clínico do câncer de rim 
apresenta uma tríade clássica de sintomas 
vírgulas são eles: 
1. Hematúria microscópica 
2. dor lombar 
3. massa abdominal palpável do lado do 
rim acometido 
 diagnóstico 
 
1. USG de abdome total 
2. TC abdome com contrate é o 
padrão ouro 
3. RNM caso contraindicado contrate 
 
Classificação de boniask 
( apenas para conhecimento ) 
A classificação serve para padronizar a 
descrição e conduta em relação as lesões 
renais císticas complexas 
atualmente são definidas em 4 categorias 
de lesões e classificadas de acordo com o 
seu grau de complexidade tem maior 
probabilidade de malignidade 
 
• Bosniak 1: cisto renal simples e 
benigno 
• Bosniak 2: também é um cisto 
normal é benigno, mas que contém 
alguns septos e discreta calcificação 
que pode ser vista na usg 
• Bosniak 3: cistos grosseiros em 
parede grossa, vários septos de 
material denso, esses achados 
indicam que pode ser um câncer viu 
que sangrou ou que foi infectado, 
que o médico deve aprofundar-se 
nos exames 
Bruno mota 
 
• Bosniak 4: lesão de parede com 
septos contendo componentes 
sólidos bem definidos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Estadiamento 
 
• TC abdome total com contrate 
• TC tórax com contrate 
• RNM de crânio (metástase) 
• Cintilografia óssea 
 
 
 
Biopsia renal 
 
• É utilizado somete se: 
• Exame de imagem pouco claro 
• Suspeita de metástase ou linfoma 
• Suspeita de doença inflamatória 
 
No geral a biópsia não está indicada, caso 
presença de massa abdominal palpável ou 
alteração no exame de imagem paciente 
deve ser encaminhado diretamente para 
nefrectomia 
 
 
 Esquema diagnostico 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Bexiga 
 
Fatores de risco 
• Tabagismo (4x maior) – responsável 
por 50% dos carcinomas uroteliais 
• Alterações genéticas de P53 
• Químicos 
• Radioterapia pélvica 
 
Classificação 
 
• Lesões malignas 
• Carcinoma escamoso – ocorre por 
irritação da parede vesical provocada 
Bruno mota 
 
por cálculos, infecções urinárias e 
cateter vesical de demora 
 
 Clínica 
 
• Hematúria indolor 
(mcro/microscópica) 
• Polaciúria 
• Disúria 
• Noctúria 
• Urgência miccional 
 
Diagnostico 
 
• Cistoscopia; diagnóstico + 
acompanhamento 
• Biopsia e histopatológico; confirma 
presença de malignidade extensão da 
infiltração tumoral na parede vesical 
• pode-se pedir também: sumário de 
urina e urocultura 
• USG 
 Esquema diagnostico: 
 
1. Sumario de urina com presença de 
hematúria sem dismorfismo 
eritrocitário (provável tumor confinado 
somete a bexiga) 
 
2. Cistoscopia com presença de lesão 
 
3. Biopsia- constato carcinoma, avalia-se o 
grau de comprometimento da muscular 
da bexiga 
4. sem comprometimento muscular da 
bexiga, tratamento com BCG 
intravesical. 
5. comprometimento da muscular da 
bexiga, tratamento com quimioterapia 
seguida de cirurgia 
 
como saber se o dismorfismo eritrocitário é da 
Bexiga ou do Rim? 
 
 se o sangramento for do Rim as hemácias 
serão dismorficas (bem diferente do 
normal) dismorfismo + 
 
 se o sangramento estiver contido 
somente a bexiga, as hemácias terão sua 
forma comum, formato de disco bicôncavo. 
Dismorfismo -