A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Amalgama dental - aula

Pré-visualização | Página 1 de 2

Material restaurador definitivo 
introdução: 
amalgama é toda liga metálica em que um dos 
metais envolvidos está em estado líquido, sendo 
geralmente o mercúrio 
amalgama dental – liga que contêm prata, 
mercúrio e estanho, podendo haver também o 
zinco e o cobre 
 cobre: ajuda na 
melhora das 
propriedades 
mecânicas impedindo 
uma fase das ligas ou 
que seja consumida 
pó + líquido = massa plástica 
resina x amalgama: restaurações de resinas 
compostas em dentes posteriores tem < 
longevidade e maior número de caries 
secundarias em relação ao amalgama 
mudanças: desuso 
 prevenção e promoção de saúde 
 odontologia minimamente invasiva: filosofia 
atual 
 valorização da estética = declínio do uso do 
amalgama 
 toxicidade por mercúrio: união europeia apoia 
proibição de amalgama em crianças, mulheres 
gravidas ou lactantes 
vantagens: 
 sucesso clínico longitudinal 
 técnica de execução menos critica 
 menor tempo de execução 
 menor custo 
Desvantagens: 
 aspecto metálico 
 friável: pouca resistência a tração 
 sujeito à corrosão 
 não ajuda a reforçar a estrutura dentaria 
enfraquecida 
 pode apresentar certo grau de defeitos 
marginais 
 preocupação quanto ao processo de descarte 
do amalgama no lixo líquido 
Indicações: 
 restaurações diretas em dentes posteriores 
Composição: 
Especificado n°1 da ANSI/ ADA para as ligas 
metálicas (requisitos para composição) 
Prata: principal constituinte (40-70%) 
 forma junto com o estanho o composto Ag3Sn 
(fase gama – é estanho e prata) 
 Aumento da resistencia da restauração 
 Diminui o escoamento do amalgama sob a 
ação de cargas mecanicas 
 Aumenta a expansão de presa (desvantagem) 
Estanho (Sn): cerca de ¼ na composição (17-
30%) 
 Facilita a amalgamação 
 auxilia na redução da expansao da prata 
 acima de 27% ocorre redução da resistencia e 
dureza da liga, bem como aumento do 
escoamento 
Cobre (Cu): aumenta a dureza e a resistencia 
mecanica 
 diminui escoamento e corrosão 
 classificação das ligas: 
 ligas com baixo teor de cobre (<6%) 
 ligas com alto teor de cobre (13-30%) 
Zinco (Zn): auxilia na fabricação (0-2%) 
 agente desoxidante durante a fusão da liga 
(afinidade com O2 e impurezas) 
 > 0,01%: ligas com zinco 
 Contaminação por saliva: formação de oxido 
de zinco e expansao tardia (dor) 
Paládio (Pd) e Ìndio (In): aumentam as 
orioriedades mecanicas 
Mercurio (Hg): permite a formação da massa 
plástica (43-54%) 
 libera vapor metalico inodoro e incolor 
acima de 12°C 
 diminui as propriedades mecanicas da liga 
Fabricação do pó da liga: 
Fundição dos componentes = obtenção do lingote 
tratamento térmico homogeneizador = 
transformando tudo em fase gama 
lingote = produção do pó 
Morfologia das particulas: 
Limalha: 
 produzidas pela moagem ou pelo corte do 
lingote fundido em torno mecânico 
 as particulas são peneiradas e moidas para 
formar diferentes tamanhos 
 corte regular, fino ou microfino 
 particulas finas e microfinas 
 melhores caracteristicas de manipulação 
e restaurações mais lisas 
 particulas menores de limalha 
necessitam de maior quantidade de 
mercurio 
esfericas: 
 produzidas por atomização – metal lliquefeito 
é borrifado em ambiente inerte 
 particulas são peneiradas para obtenção de 
tamanhos especificos 
influencia do tamanho e formato: 
 menor area de superficie relativa = menor 
quantidade de mercurio 
 corpo esferico = menor area de relativa 
 menor quantidade de mercurio 
quando comparadas as ligas com 
particulas no formato de limalha 
 ou seja, particulas menores proporcionam uma 
melhor manipulação e menor quantidade de 
mercurio 
Trituração 
processo de mistura da liga em pó com o mercúrio 
capsula pré-dosada 
Amalgamação e microestruturas resultantes 
Amalgama classificado em baixo ou alto teor de 
cobre 
alto teor de cobre: pode ser de fase dispersa ou 
composição única 
As reações de presa das ligas de amalgama são 
descritas de acordo com as fases metalúrgicas 
envolvidas 
 
 
entenda as fases, não decore a fórmula 
estequiométrica 
Ligas com baixo teor de cobre: 
é importante que sobre fase gama: da resistencia 
mecanica 
 pra que sobre, não pode ter muitoo mercurio, 
quanto menos melhor 
tenho prata e estanho e mercurio que ao reagirem 
= fase gama 1 e 2 
após a mistura da liga de prata e estanho = 
mercurio começa a difundir 
a prata é menos soluvel no mercurio que o estanho 
= formação da fase gama 1 antes de gama 2 
Enquanto os cristais das fases gama 1 e 2 estão 
sendo formados = amalgama plastico e facil 
condensação (liberdade de condensação) 
Com o tempo, os cristais gama 1 e 2 vão 
preciptando... e o amalgama torna-se rigido 
Quanto maior quantidade de fase gama (prata e 
estanho que sobra sem reagir) = melhores 
propriedades mecanicas , atua como particula de 
carga 
 
 
anotações: 
 fase gama 1 é a que une todo o conjunto 
(matriz) 
 o componente mais fraco é a fase gama 2 
 
Ligas com alto teor de Cobre 
propriedades mecanicas melhoras 
melhor integridade e menor corrosao 
apresentam dois tipos de pós de ligas: 
liga de fase dispersa: adição de liga eutética 
com particulas de prata-cobre (1/3) à liga 
convencional (prata-estanho) com particulas de 
limalha (2/3) 
 
 liga convencional e eutetico + mercurio = 
prata e mercurio (gama 1) + estanho e 
mercurio (gama 2) + prata e estanho não 
reaginas (gama) + prata cobre não 
reagidos 
 
 estanho e mercurio (gama 2) reage com 
eutetico = prata e mercurio (gama 1) + 
cobre com estanho (fase eta) 
 
cobre e eutetico força o sumiço da gama 2 = ajuda 
a eliminação da fase 2, fazendo com que o 
estanho se separe do mercurio e reaja com a prata 
e com o cobre 
 redução ou eliminação da fase gama 2 = 
melhores propriedades mecanicas; maior 
resisencia a compressao, melhor 
desempenho clinico, escoamento e menor 
corrosão 
As particulas do eutetico não consumidas são 
envoltas por uma camada de cristais eta e gama 1 
liga de composição única: cada particula 
apresenta a mesma composição quimica 
componentes principais: Ag, Cu e Sn 
Cu = 13% a 30% em peso 
Fases encontradas: 
 
 
Solubilidade do Hg no Sn é 170x > que no cobre e 
17x > que na prata = mais Hg reage com Sn, 
formando gama 2 
aumenta Epsilon, que reage com gama 2, 
formando gama 1 e eta 
 
Revisando: 
Formato das particulas: limalha ou esferica 
Teor de cobre: baixo e alto (liga de fase dispersa 
e liga de composição única) 
 poucos clinicos usam ligas com baixo teor 
de cobre 
Propriedades 
Alteração dimensional (contaminação por 
umidade) 
 Amalgama com zinco (Zn+H2O = ZnO + 
H2) = expansao tardia 
 3 a 4 dias após a reação de presa 
 maior expansao nas ligas com baixo teor 
de cobre (10x) 
 consequencia: sensibilidade dolorosa, 
protrusão da restauração e fratura nas 
margens 
 isolamento absoluto 
Resistencia a compressão: 
 instruit ao paciente para evitar tensões 
exessivas 
resistencia a tração e flexão: fragil 
 resiste mais à compressao que a tração – 
1/10 dos valores de resistencia à 
compressão 
 tem que ter uma espessura de no minimo 
2mm – pois menor são suscetiveis a fratura 
Creep: propriedade viscoelastica de materiais que 
sofrem deformação plastica sob a aplicação de 
forças estáticas ou dinâmicas (deformação 
gradual) 
 creep inferior a 3% 
 ligas c/ baixo tero de cobre 1,53 a 
3,77% 
 ligas c/ alto teor de cobre 0,05 a 
0,15% 
tensão mastigatoria (por tempo) = deformação 
plástica = borda soltando meio afundando 
(escoando) tende a quebrar = 
 
Corrosão: degradação progressiva de um metal 
por reação quimica ou eletroquimica com o meio 
no qual se encontra 
 Corrosão x deslustre (perda de brilho) 
ingestão de mercurio nas ligas de baixo teor de 
cobre (efeito toxico cumulativo) 
alterações esteticas nos dentes 
aparencia oxidada na restauração 
atenção: produtos de degradação selam 
gradualmente as margens da restauração

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.