A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Fertilização

Pré-visualização | Página 1 de 1

Fertilização 
Introdução 
 A reprodução sexuada ocorre por meio da 
fertilização, durante a qual dois gametas 
haploides fundem-se e produzem um indivíduo 
geneticamente único. 
 Ampolas do oviduto 
 O complexo formado pelo ovo do mamífero, 
que é ovulado e entra pelo infundíbulo, consiste 
de três componentes. 
 O ovócito na metáfase da meiose II 
 A zona pelúcida uma matriz que 
circunda o ovóvito 
 As células de cumulus que consistem 
em várias camadas do cumulus 
oophoru inseridas em uma matriz 
extracelular composta de acido 
hialurônico 
 
Transporte do espermatozoide 
 Duração da cópula varia ( 1 min em ruminantes, 
5 a 30 min em cães) 
 Mampiferos: sêmen é depositado na porção 
cranial da vagina 
 Porcos, cavalos e camelos: diretamente no 
cérvix/útero 
 Ocorre através da motilidade da túnica muscular 
do trato gastro feminino 
 O transporte é dividido em duas fases: 
 Fase rápida: primeiros 
espermatozoides não são viáveis e 
não participam de fertilização 
 Fase sustentada de transporte: os 
espermatozoides são transportados 
para os ovidutos a partir de possíveis 
reservatórios na junção útero-tubárica 
(período prolongado) 
 Primeira barreira: cérvix (reservatório) 
 Produção de muco em ruminantes muda a 
textura durante o ano 
 Cérvix também é um filtro de espermatozoides 
inviáveis 
 
Quantidade de ejaculação 
 Em ruminates o ejaculado possui um volume 
pequeno de 3 a 4ml, mas contém uma 
enorme concentração de espermatozoides 
 Mais de 60% dos espermatozoides depositados 
no útero são perdidos para o exterior dentro 
de 12 horas após a inseminação artificial 
 Pode ser maior se depositado direto no cérvix 
 No cachaço o volume do ejaculado é grande, 
de 200 a 400 ml com baixa concentração de 
espermatozoides 
 Ejacula uma série de frações 
 Pouco espermatozoide 
 Rica em espermatozoide 
 Glândula bulboretral produz um 
coágulo que evita a perda retrógrada 
 O garanhão ejacula uma série de jatos, dos 
quais o primeiro contém fração rica de 
espermatozoides e o plasma seminal é o ultimo 
 No cão a priemira das frações do ejaculado 
origina-se da próstata, a única glândula sexual 
dessa espécie 
 Fração pré-espermática de 0,5 a 5 ml 
 Segunda fração opaca e rica em 
espermatozoides de 1 a 4 ml 
 Ultima fração também produzido pela 
próstata tem volume de 1 até 80 ml 
 Esta ultima pode forçar a segunda em 
direção ao útero 
 No gato o volume é pequeno de 02 a 03 ml e 
não se sabe se eles tem frações 
 Em algumas espécies ocorre preda retrógrada 
de espermatozoides – volume e natureza física 
do ejaculado e o local de deposição 
 Tampão vaginal em ratos 
 
Capacitação 
 Não são aptos a fertilizar imediatamente após a 
chegada ao trato genital feminino 
 Adquirir fertilidade: permanecer no trato gastro 
feminino – capacitação 
 Local varia entre espécie 
 Nem todos são capacitados ao mesmo tempo 
 Modificação na membrana plasmática 
 Remoção da cobertura glicoproteica e das 
proteínas do plasma seminal 
 Regulação do acrossoma 
 Regulação da motilidade do flagelo para 
penetrar na zona pelúcida 
 Capacidade de fundir com o ovócito 
 A maturação final dos espermatozoides é a 
capacitação 
 
 
Interação do esperma com a zona pelúcida 
 A zona pelúcida é uma matriz extracelular que 
circunda 
 Glicoproteínas 
 Adesão e a ligação do espermatozoide 
capacitado a ZP, indução da reação acrossomal 
e penetração na ZP e modificação na ZP para 
evitar pliespermia 
 
 
 O priemiro contato do espermatozoide e a ZP, 
a adesão, é uma associação frca e não 
específica entre os gametas 
 Seguida por uma ligação relativamente firme, 
que é específica a espécie 
 Reconhecimento proteína – carboidrato 
 Uma vez ligado, o espermatozoide sofre a 
reação acrossomal, que tem como resultado a 
liberação de enzimas hidrolíticas pelo 
acrossomo 
 Junção de quebra das glicoproteínas+ 
propulsão da cauda do espermatozoide 
 Após a penetração da ZP o espermatozoide 
adere-se e funde-se a MP do ovócito 
 
 Liberação dos grânulos corticais: mudança na 
MP e na ZP – bloqueio da poliespermia 
Ativação ovocitária 
 Imediatamente após a entrada do 
espematozóide, o ovócito sofre a ativação 
ovocitária que estabelece o bloqueio a 
fertilização poliespermática, a retomada da 
meiose e o inicio do desenvolvimento 
embrionário 
 Em todos animais investigados, a ativação 
envolve aumento da contração de íon cálcio 
citosólico (cloqueio a poliespermia e encerra o 
bloqueio meiótico) 
 Recrutamento de RNAm materno para a 
tradução 
 Término da meiose e formação do segundo 
corpúsculo polar 
 Formação do pró-núcleo feminino e masculino 
 Aproximação dos pró-núcleos pelo 
citoesqueleto 
 Cauda se degenera 
 Cariogamia