Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Trabalho Construção - Ensaio clínico (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO
CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE – CCBS
ESCOLA DE ENFERMAGEM ALFREDO PINTO – EEAP
DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM MÉDICO-CIRÚRGICA
DISCIPLINA DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM ENFERMAGEM
APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DE PESQUISA EM ENFERMAGEM E SUA APLICAÇÃO NA PRÁTICA CLÍNICA
Discentes: Bárbara Marcondes Moreira dos Santos, Caroliny Suhet Xavier Ferreira, Juliana Resende Corrêa Lima, Mariana Marinho Martins, Natália de Araújo e Silva. 
Docentes: Alcione Abreu, Aline Luna e Sônia Souza.
 RIO DE JANEIRO, 2021
ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO DO USO CURATIVO EM GEL DE CLOREXIDINA PARA PREVENÇÃO DA COLONIZAÇÃO DO CATETER VENOSO CENTRAL EM PACIENTES ADULTOS CRÍTICOS
Esta foi a tese de doutorado apresentada pela autora Amanda Salles Margatho à Escola da Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – USP, para obtenção do título de Doutor em Ciências, Programa de Pós-Graduação Enfermagem Fundamental em 2016. Com a metodologia de estudo sendo um ensaio clínico randomizado, e linha de pesquisa no processo de cuidar do adulto com doenças agudas, crônicas e degenerativas.
ANÁLISE DA PESQUISA
O mecanismo patogênico responsável pela maioria das infecções de cateter venoso central é decorrente dos microrganismos da pele do paciente que contaminam o cateter após sua inserção, sendo a prevenção dessa colonização na ponta do cateter uma medida importante no controle das infecções na corrente sanguínea. 
Os resultados dessa análise comprovaram que, dos nove ensaios clínicos analisados, sete apresentavam colonização na ponta do cateter, sendo que 13,2% dos cateteres colonizados estavam com curativo convencional e 6,5% com o curativo gel de clorexidina, e desses, apenas 1,2% dos pacientes desenvolveram infecção da corrente sanguínea. 
Diante desse fato, pode-se confirmar que o resultado dessa revisão quanto a colonização foi que há uma quantidade de evidência moderada, de que a colonização da ponta do cateter é reduzida com o uso do curativo gel de clorexidina, quando comparado ao de poliuretano. Estudos mostram menores taxas de infecções relacionadas ao cateter quando utilizado os curativos gel de clorexidina, sendo não apenas ele, mas sim a integração de estratégias que fazem parte de uma cultura de segurança. 
Os curativos gel de clorexidina, principalmente no cateter venoso central, são medidas importantes para o controle das infecções e podem ser realizados por toda a equipe de enfermagem, mas não devem ser utilizados como única medida protetiva. Os profissionais da saúde devem sempre utilizar o curativo juntamente com a implantação de todas as medidas preventivas essenciais evidenciadas na literatura para reduzir as infecções da corrente sanguínea. Essas medidas são simples e de baixo custo, podendo ser aplicada por todo Sistema Único de Saúde, pois não necessitam de uso de tecnologias caras e de contratação de mais funcionários, são elas: medidas de inserção e manutenção do cateter, lavagem das mãos, uso de barreiras de proteção, entre outras.
Sendo assim, um estudo realizado por alunos das Universidades de São Paulo e Estadual de Londrina denominado “Tempo de permanência do curativo gel de clorexidina no cateter venoso central em paciente crítico” recomenda o uso desse curativo pela sua alta capacidade antimicrobiana além do seu longo tempo de duração de 7 dias, quando não ocorrem intercorrências, como umidade e sujidade, sendo necessário realizar a troca não programada. O tempo médio dos curativos foi de 3 dias, inferior à indicação, principalmente por conta de descolamento, o que pode aumentar os casos de infecção. (DOLCI, MARGATHO e SILVEIRA, 2017)
REFERÊNCIA
DOLCI, M. E; MARGATHO, A. S.; SILVEIRA, R. C. C. P. Tempo de permanência do curativo gel de clorexidina no cateter venoso central em paciente crítico. Scielo, Rio de Janeiro, vol. 21, 12 de Set. de 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-81452017000400221&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 19 de abril de 2021
MARGATHO, A. S. Ensaio clínico randomizado do uso do curativo gel de Clorexidina para a prevenção da colonização do cateter venoso central em pacientes adultos críticos. 2016. 146f. Tese (Doutorado) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2016. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-05052016-211036/publico/AMANDASALLESMARGATHO.pdf. Acesso em: 16 de abril de 2021.