A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
39 pág.
CASO CLÍNICO - Perfil lipídico, glicemia e risco cardiovascular

Pré-visualização | Página 1 de 2

CASOS CLÍNICOS
PATOLOGIA CLÍNICA I I - PROF GIFONE
IANN LEONEL
EMANUELLE LAMAS
FERNANDA CALIMAN
GIULIA COSTA
GIULIA VITORINO
CASO CLÍNICO 08
APRESENTAÇÃO
DO CASO
EXAME FÍSICO. EXAME DE
GLICEMIA
PERFIL LÍPIDICO CÁLCULO DE
RISCO
HIPÓTESE
DIAGNÓSTICA
SEXO MASCULINO, 41 ANOS DE IDADE, ADVOGADO
02
SEM QUEIXAS, PROCURA ATENDIMENTO PARA AVALIAÇÃO DE
ROTINA. DIZ ESTAR UM POUCO PREOCUPADO PORQUE ENGORDOU
8KG NOS ÚLTIMOS CINCO ANOS. TEM VIDA SEDENTÁRIA. 
É ADVOGADO, TRABALHA EM ESCRITÓRIO E USA CARRO PARA
LOCOMOÇÃO. BEBE APROXIMADAMENTE 10 DOSES DE UÍSQUE POR
SEMANA. NEGA TABIGISMO. NÃO ESTÁ EM USO DE MEDICAMENTOS. 
SEM HISTÓRIA DE INTERNAÇÕES OU CIRURGIAS OU DOENÇAS
RELEVANTES.
CASADO, 2 FILHOS ADOLESCENTES SAUDÁVEIS. IRMÃO COM
HISTÓRIA DE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO AOS 48 ANOS. 
SEXO MASCULINO, 41 ANOS DE IDADE, ADVOGADOPACIENTE
HMA
HP E HF
APRESENTAÇÃO DO CASO
ALTURA = 1,75M
PESO = 85KG
IMC = 27,7 = SOBREPESO
FC = 85BPM
PA = 160/105MMHG
CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL = 101CM
BOM ESTADO GERAL
CORADO E HIDRATADO
ANICTÉRICO
ACIANÓTICO
AFEBRIL
AUSÊNCIA DE LINFONODOMEGALIAS
ANTROPOMETRIA
ECTOSCOPIA
EUPNEICO
MURMURIO VESICULAR FISIOLÓGICO
SEM RUÍDOS ADVENTÍCIOS
APARELHO RESPIRATÓRIO
BULHAS NORMORRÍTMICAS
 E NORMOFONÉTICAS
APARELHO CARDIOVASCULAR
FÍGADO E BAÇO NÃO PALPÁVEIS
APARELHO DIGESTÓRIO
EXAME FÍSICO
ACHADOS DA
ANAMNESE 
E DO EXAME
FÍSICO
SEDENTARISMO
GANHO DE PESO
ETILISMO IMPORTANTE
HISTÓRIA FAMILIAR DE IAM
HAS
SOBREPESO
CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL
AUMENTADA
EXAMES LABORATORIAIS - GLICEMIA 
GLICEMIA EM JEJUM
118 MG/DL
GLICEMIA DE JEJUM
TESTE ORAL
GLICEMIA ORAL 2H APÓS
75G DE DEXTROSOL
 
111 MG/DL 180 MG/DL
IFG IGT
EXAMES LABORATORIAIS - GLICEMIA
GLICEMIA EM JEJUM
118 MG/DL
TESTE DE TOLERÂNCIA
ORAL À GLICOSE
GLICEMIA DE JEJUM
111 MG/DL
GLICEMIA 2H APÓS 75G
DE DEXTROSOL
180 MG/DL
TESTE DE TOLERÂNCIA
ORAL À GLICOSE
PACIENTE PRÉ-DIABÉTICO
EXAMES LABORATORIAIS - PERFIL LÍPIDICO
TRIGLICÉRIDES
280 MG/DL
COLESTEROL TOTAL
260 MG/DL 35 MG/DL
HDL
169 MG/DL
LDL
ALTO ALTOBAIXOALTO
EXAMES LABORATORIAIS - PERFIL LIPÍDICO
HIPERLIPIDEMIA MISTA E HDL BAIXO
REPETIR EXAMES = PRECISÃO
TRIGLICÉRIDES
280 MG/DL
COLESTEROL TOTAL
260 MG/DL 35 MG/DL
HDL
CÁLCULO DO LDL = COLESTEROL TOTAL - (COLESTEROL HDL + TG/5) = 169 MG/DL
HIPÓTESES DIAGNÓSTICAS
SÍNDROME METABÓLICA
ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO
CORONARIANO EM ETAPAS
PRESENÇA DE DOENÇA
ATEROSCLERÓTICA
SIGNIFICATIVA OU
EQUIVALENTES
FATORES DE RISCO FATORES AGRAVANTES
FASE 1 FASE 2 FASE 3
FASE 1 - PRESENÇA DE DOENÇA ATEROSCLERÓTICA
SIGNIFICATIVA OU EQUIVALENTES
FATORES AGRAVANTESCASO
CUMPRA UM DOS CRITÉRIOS, O
PACIENTE É AUTOMATICAMENTE
CLASSIFICADO COMO ALTO RISCO.
FASE 2 
FATORES DE RISCO
ER GLOBAL ESTIMA O RISCO DE INFARTO DO
MIOCÁRDIO, AVE, INSUFICIÊNCIA VASCULAR
PERIFÉRICA OU INSUFICIÊNCIA CARDÍACA EM
10 ANOS; DEVE SER UTILIZADO NA
AVALIAÇÃO INICIAL ENTRE OS INDIVÍDUOS
QUE NÃO FORAM ENQUADRADOS NAS
CONDIÇÕES DE ALTO RISCO APRESENTADAS
NA TABELA ANTERIOR
PARA HOMENS:
 
BAIXO RISCO <5%
MÉDIO RISCO <≥ 5% E ≤ 20%
ALTO RISCO >20%
FASE 2 
FATORES DE RISCO
RISCO: 15,6%
RISCO INTERMEDIÁRIO
FASE 3 - FATORES AGRAVANTES
NOS INDIVÍDUOS DE RISCO
INTERMEDIÁRIO DEVEM-SE
UTILIZAR OS FATORES
AGRAVANTES, QUE,
QUANDO PRESENTES (PELO
MENOS UM DESSES
FATORES), RECLASSIFICAM
O INDIVÍDUO PARA A
CONDIÇÃO DE ALTO RISCO.
DIAGNÓSTICOS
HDL-C BAIXO
SÍNDROME
METABÓLICA
HIPERLIPIDEMIA MISTA
PRÉ-DIABETES
CASO CLÍNICO 09
APRESENTAÇÃO
DO CASO
EXAME FÍSICO. GLICEMIA E
CREATININA
PERFIL LÍPIDICO URINA ROTINA HIPÓTESE
DIAGNÓSTICAS
SEXO MASCULINO, 56 ANOS
02
ASSINTOMÁTICO.
CONSULTA PARA CONTROLE E TRATAMENTO DE HAS, DOENÇA DO
QUAL FOI DIAGNOSTICADO HÁ UM ANO. FAZ USO DE ENALAPRIL
(40MG/DIA). NÃO PRATICA ATIVIDADE FÍSICA E NÃO É FUMANTE.
ETILISTA SOCIAL
TEM HISTÓRIA FAMILIAR POSITIVA PARA DM TIPO 2 (MÃE)
SEXO MASCULINO, 56 ANOS DE IDADEPACIENTE
HMA
HISTÓRIA
FAMILIAR
APRESENTAÇÃO DO CASO
ALTURA = 1,60M
PESO = 80KG
IMC = 31,1 = OBESIDADE GRAU I
FC = 87BPM
PA = 130/80MMHG
FR = 20 IRPM
BOM ESTADO GERAL
CORADO 
HIDRATADO
ANICTÉRICO
ACIANÓTICO
AUSÊNCIA DE LINFONODOMEGALIAS
ANTROPOMETRIA
ECTOSCOPIA
TÓRAX SIMÉTRICO
EXPANSIBILIDADE PRESERVADA
SONS RESPIRATÓRIOS NORMAIS, SEM
RUÍDOS ADVENTÍCIOS
APARELHO RESPIRATÓRIO
BULHAS NORMORRÍTMICAS
PULSOS RADIAIS E PEDIOSOS CHEIOS,
RITMICOS E SIMÉTRICOS
 E NORMOFONÉTICAS EM 2 TEMPOS
APARELHO CARDIOVASCULAR
ABDOMEN GLOBOSO
INDOLOR A PALPAÇÃO
SEM VISCEROMEGALIAS
APARELHO DIGESTÓRIO
EXAME FÍSICO
ACHADOS DA
ANAMNESE 
E DO EXAME
FÍSICO
HAS DIAGNOSTICADA HÁ 01
ANO - CONTROLADA
ETILISTA SOCIAL
HISTÓRIA DE DM 2 (MÃE)
SEDENTÁRIO
OBESIDADE GRAU I
ABDOMEN GLOBOSO
EXAMES LABORATORIAIS - GLICEMIA E CREATININA
PACIENTE DIABÉTICO E
CREATININA ELEVADA
GLICEMIA EM JEJUM
180 MG/DL
ELEVADA
CREATININA SÉRICA
1.5 MG/DL
ELEVADA
EXAMES LABORATORIAIS - PERFIL LÍPIDICO
TRIGLICÉRIDES
150 MG/DL
COLESTEROL TOTAL
280 MG/DL 40 MG/DL
HDL
210 MG/DL
LDL
ALTO MUITO ALTO"LIMITROFE""LÍMITROFE"
AS ASPAS INDICAM QUE, EMBORA ESTEJA NESSA CATEGORIA, É NO LIMITE DELA, OU SEJA, OBSERVAR
EXAMES LABORATORIAIS - PERFIL LIPÍDICO
HIPERLIPIDEMIA MISTA E HDL LÍMITROFE
REPETIR EXAMES = PRECISÃO
TRIGLICÉRIDES COLESTEROL TOTAL HDL
CÁLCULO DO LDL = COLESTEROL TOTAL - (COLESTEROL HDL + TG/5) = 210 MG/DL
150 MG/DL 280 MG/DL 40 MG/DL
EXAMES LABORATORIAIS - URINA ROTINA
COR AMARELO ESCURO ASPECTO TURVO
ALTERAÇÕES ENCONTRADAS NO EXAME:
ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO
CORONARIANO EM ETAPAS
PRESENÇA DE DOENÇA
ATEROSCLERÓTICA
SIGNIFICATIVA OU
EQUIVALENTES
FATORES DE RISCO FATORES AGRAVANTES
FASE 1 FASE 2 FASE 3
FASE 1 - PRESENÇA DE DOENÇA ATEROSCLERÓTICA
SIGNIFICATIVA OU EQUIVALENTES
FATORES AGRAVANTESCASO
CUMPRA UM DOS CRITÉRIOS, O
PACIENTE É AUTOMATICAMENTE
CLASSIFICADO COMO ALTO RISCO.
FASE 2 
FATORES DE RISCO
ER GLOBAL ESTIMA O RISCO DE INFARTO DO
MIOCÁRDIO, AVE, INSUFICIÊNCIA VASCULAR
PERIFÉRICA OU INSUFICIÊNCIA CARDÍACA EM
10 ANOS; DEVE SER UTILIZADO NA
AVALIAÇÃO INICIAL ENTRE OS INDIVÍDUOS
QUE NÃO FORAM ENQUADRADOS NAS
CONDIÇÕES DE ALTO RISCO APRESENTADAS
NA TABELA ANTERIOR
PARA HOMENS:
 
BAIXO RISCO <5%
MÉDIO RISCO <≥ 5% E ≤ 20%
ALTO RISCO >20%
FASE 2 
FATORES DE RISCO
PONTOS: 21
RISCO: >30%
ALTO RISCO
POR SER JÁ ALTO RISCO, NÃO SE USA
A FASE 3, POIS ELA É DESTINADA A
PACIENTES DE RISCO INTERMEDIÁRIO
HIPÓTESES
DIAGNÓSTICAS
DIABETES MELLITUS 
TIPO 2
DISFUNÇÃO RENAL EM
FASE PRECOCE (?)
HIPERLIPIDEMIA MISTA
CASO CLÍNICO 10
APRESENTAÇÃO
DO CASO
EXAME FÍSICO. GLICEMIA E
HEMOGLOBINA
URINA ROTINA CREATINA E
PROTEÍNAS
HIPÓTESE
DIAGNÓSTICAS
MRF, SEXO FEMININO, 60 ANOS
02
PACIENTE COMPARECE AO CENTRO DE SAÚDE PARA AVALIAÇÃO DE
ROTINA, SEM QUEIXAS. TEM VIDA SEDENTÁRIA E POSSUI
HISTÓRICO DE OBESIDADE. QUEIXA DORMÊNCIA E FORMIGAMENTO
NAS PERNAS NOS ÚLTIMOS MESES.
NEGA ETILISMO E TABAGISMO.
MRF, SEXO FEMININO, 60 ANOS, NATURAL E RESIDENTE DE BELO
HORIZONTE
PACIENTE
HMA
APRESENTAÇÃO DO CASO
ALTURA = 1,60M
PESO = 78KG
IMC = 30,46 = OBESIDADE GRAU I
PA = 130/90MMHG
CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL = 95CM
BOM ESTADO GERAL
CORADO E HIDRATADO
AFEBRIL
ANICTÉRICO EACIANÓTICO
AUSÊNCIA DE LINFONODOMEGALIAS
PRESENÇA DE ACANTOSE NEGRICANS 
 CERVICAL E AXILAR
ANTROPOMETRIA
ECTOSCOPIA
EXAME FÍSICO
EUPNEICO
MURMURIO VESICULAR FISIOLÓGICO
SEM RUÍDOS ADVENTÍCIOS
APARELHO RESPIRATÓRIO
BULHAS NORMORRÍTMICAS
 E NORMOFONÉTICAS
APARELHO CARDIOVASCULAR
FÍGADO E BAÇO NÃO PALPÁVEIS
APARELHO DIGESTÓRIO
ACHADOS DA
ANAMNESE 
E DO EXAME
FÍSICO
ACANTOSE NEGRICANS
CERVICAL E AXILAR
DORMÊNCIA E FORMIGAMENTO
DE MMII
CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL
AUMENTADA
SEDENTÁRIO
OBESIDADE GRAU I
PA ELEVADA - GRAU II (?)
EXAMES LABORATORIAIS - GLICEMIA E HEMOGLOBINA
PACIENTE DIABÉTICO
REPETIR EXAME 
GLICOSE
145 MG/DL
ELEVADA
HEMOGLOBINA
 GLICADA
7.4%
ELEVADA
EXAMES LABORATORIAIS - URINA ROTINA
COR AMARELO ESCURO ASPECTO TURVO
EXAMES LABORATORIAIS - URINA ROTINA
PH LIMÍTROFE TRAÇOS DE LEUCÓCITOS
ALTERAÇÕES