A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
94 pág.
[LIVRO] Embriologia e Histologia Alves

Pré-visualização | Página 18 de 24

podem ser do tipo colágenas, elásticas ou reticulares. As fibras
colágenas são encontradas nos tendões, ligamentos e outras estruturas e se caracterizam
por serem resistentes, formadas por colágeno do tipo I. As fibras elásticas são encontradas
na derme, além de revestir os tendões, se caracterizam por serem longas e elásticas,
63
formadas pela proteína elastina. Já as fibras reticulares se localizam formando o arcabouço
de órgãos, como o baço e tem como característica estarem arrumadas em semelhança a
uma rede e são formadas por colágeno do tipo III.
Vamos pensar...
As informações acima determinam as funções das células conjuntivas.
Desenvolva sua criatividade construindo uma “história” ilustrativa em que
mostre algumas dessas células demonstrando suas funções.
Tecido conjuntivo frouxo
Há variedades de tecidos conjuntivos, assim como
o tecido frouxo que tem seus componentes igualmente
distribuídos: células, fibras e material intracelular. Ele
preenche os espaços entre feixes musculares e serve de
apoio aos tecidos epiteliais, encontrando-se na pele, nas
mucosas e nas glândulas. É encontrado, praticamente,
em todos os órgãos do corpo, ele, por exemplo, forma a
derme, a camada mais interna da pele, e o tecido
subcutâneo, ainda mais interno que a derme.
Tecido conjuntivo denso
É rico em fibras colagens que orientadas na mesma direção fazem com que esse
tecido seja pouco flexível, muito resistente ao estiramento, formam tendões e aponeuroses
que unem os músculos aos ossos.
Tecido conjuntivo adiposo
É constituído principalmente por células adiposas ou adipócitos e pouca fibra
colágena. A célula adiposa caracteriza-se por possuir um vacúolo, que ocupa quase todo o
citoplasma celular, dentro do qual acumula-se gotículas de lipídios ou gordura. São acúmulos
de tecido adiposo localizado sob a pele ou nas membranas que revestem os órgãos internos,
por exemplo, no tecido subcutâneo do abdome e das nádegas, ele funciona como reservatório
de gordura, amortecedor de choques e contribuiu para o equilíbrio térmico dos organismos.
As células adiposas são, também, encontradas no tecido conjuntivo frouxo e ao longo dos
vasos. Este tecido apresenta distribuição diferenciada no corpo do homem e no corpo da
mulher, e isto está ligado as características sexuais secundárias. Observe um corte
histológico, onde podemos observar as células do tecido adiposo intercalado com fibras
musculares estriadas.
Existem 2 variedades de tecidos adiposos:
• • • • • Tecido adiposo unilocular – também conhecido
como tecido adiposo amarelo, nele os adipócitos armazenam
o lipídio em uma gotícula única, que ocupa quase todo o espaço
celular, são sustentados por uma trama de fibras reticulares e
envolvidos por uma rede vascular desenvolvida. Os adipócitos
não se dividem num indivíduo adulto, o crescimento do tecido
64
Embriologia
e Histologia
Comparada
se dá principalmente pelo acúmulo de lipídio nas células adiposas já existentes
e formadas durante a vida embrionária e num período curto após o nascimento.
• • • • • Tecido adiposo multilocular – também conhecido como tecido
adiposo pardo. Este tipo de tecido adiposo, ao contrário da gordura amarela
que pode ser encontrada espalhada no organismo, só é observado em fetos
humanos recém-nascidos ou com certa abundância em animais hibernantes. 
As células adiposas da gordura parda acumulam lipídios na forma de várias gotículas
espalhadas pelo citoplasma, e cercada por uma quantidade maior de citoplasma, quando
comparada ao adipócito unilocular. Uma outra característica importante é a abundância em
mitocôndrias, que são as responsáveis pela coloração parda deste tecido.
A principal função deste tecido é gerar calor, pois possui uma proteína específica
nas mitocôndrias destes adipócitos, onde a energia gerada pela cadeia de elétrons e que
produz ATP (trifosfato de adenosina) em outras situações, aqui é convertida em calor, que
servirá para aquecer os recém nascidos ou acordar os animais hibernantes.
Saiba mais!
Você sabia que pesquisas recentes apontam o tecido adiposo como uma
glândula endócrina? Então, leia o resumo abaixo de um artigo científico que tenta
explicar esta nova descoberta.
Artigo: Tecido Adiposo como Glândula Endócrina
O CONCEITO DE QUE OS ADIPÓCITOS SÃO CÉLULAS secretoras surgiu nos
últimos anos. Os adipócitos sintetizam e liberam uma variedade de peptídeos e não-
peptídeos, bem como expressam outros fatores além de sua capacidade de depositar
e mobilizar triglicerídeos, retinóides e colesterol. Estas propriedades permitem uma
interação do tecido adiposo com outros órgãos, bem como com outras células
adiposas. A observação importante de que os adipócitos secretam leptina como o
produto do gene ob estabeleceu o tecido adiposo como um órgão endócrino que se
comunica com o sistema nervoso central.
(WAJCHENBERG, bernardo Léo. Arq Bras Endocrinol Metab 2000.)
Tecido hematopoiético ou sangüíneo
Tem este nome hemapoiético (hematos,
sangue; poiese, formação), sua função é produção
de células do sangue. Localizado principalmente na
medula dos ossos, recebendo nome de tecido
mielóide (mielos = medula). Nesse tecido
encontram-se células sangüíneas sendo produzidas,
em diversos estágios de maturação. Veja a figura
abaixo:
Há duas variedades desse tecido: o linfóide,
encontrado no baço, timo e gânglios linfáticos, e o
mielóide, que forma a medula óssea. 
O tecido linfóide produz alguns tipos de
leucócitos e o tecido mielóide, além de vários tipos
de leucócitos, produz hemácias (ou glóbulos verme-
lhos) e plaquetas.
65
Sangue é um tipo especial de tecido que se movimenta por todo o corpo, servindo
como meio de transporte de materiais entre as células. É formado por uma parte líquida, o
plasma, e por diversos tipos de célula. O plasma contém inúmeras substâncias dissolvidas:
aproximadamente 90% de água e 10% sais (Na, Cl, Ca, etc.), glicose, aminoácidos,
colesterol, uréia, hormônios, anticorpos etc.
As hemácias apresentam, dissolvido no seu citoplasma, importante para o transporte
do oxigênio. As hemácias dos mamíferos têm a forma disco bicôncavo e não apresentam
núcleo nem organelas, e os demais vertebrados têm hemácias esféricas ou elipsóides,
nucleadas e com organelas, e sua forma facilita a penetração e saída de oxigênio, o que é
importante para a função dessas células, que é transportar oxigênio.
Os leucócitos são células incolores nucleadas e com os demais organóides celulares,
tendo quase o dobro do tamanho das hemácias. Encarregados da despesa do organismo,
eles produzem anticorpos e fagocitam microorganismos invasores e partículas estranhas.
Apresentam a capacidade de passar pelas paredes dos vasos sangüíneos para o
tecido conjuntivo, sem rompê-los, fenômeno este denominado diapedese. Distribuem-se
em dois grupos: granulócitos e agranulócitos, conforme tenham ou não, granulações
específicas no citoplasma.
Os leucócitos granulócitos são:
• • • • • Neutrófilos: o núcleo é polimórfico e apresentam-se dividido em segmentos unidos
entre si por delicados filamentos. São os leucócitos mais abundantes do sangue circulante
(65%); realizam diapedese, indo fazer a defesa através da fagocitose.
• • • • • Eosinófilos: apresentam geralmente dois segmentos ligados ou não por um filamento
delicado e material nuclear. Também realizam diapedese e fagocitose.
• • • • • Basófilos: apresentam núcleo parcialmente dividido em dois segmentos, encerram
metade da histamia existe no sangue circulante e possuem também heparina. Estão
relacionados com reações alérgicas.
Os leucócitos agranulados são:
• • • • • Linfócitos: apresentam núcleo arredondado e citoplasma escasso. Os linfócitos B passam
para o Tecido conjuntivo e se transformam em plasmócitos que produzem anticorpos. Os
linfócitos T produzidos no timo, também estão relacionados com a defesa imunitária;
• • • • • Monócitos: são as maiores

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.