A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
94 pág.
[LIVRO] Embriologia e Histologia Alves

Pré-visualização | Página 21 de 24

que produz e forma uma camada protetora, é encontrada
no tubo digestivo, urinário genital, fossas nasais, boca, etc.
73
Os epitélios ainda podem ser classificados quanto
a forma de suas células as quais variam alguns casos as
células são cúbicas (epitélios cúbicos ocorrendo no ovário);
outros achatados como os de um pavimento (epitélio
pavimentoso, ocorrendo no Endotélio (revestimento dos
vasos sangüíneos); Mesotélio reveste as serosas: pleura
(pulmão), pericárdio (coração), peritônio (estômago), etc;
outros ainda são prismáticas (epitélios prismáticos).
Tecido epitelial glandular ou secretor
É o segundo tipo de tecido epitelial, sua função além de ser revestidora forma
glândulas, produzem e eliminam substâncias necessárias nas superfícies do tecido. Estas
glândulas podem ser exócrinas (exo = fora), que tem origem através de um canal ou ducto
e lança o produto de secreção na superfície, ou seja, eliminam suas secreções para fora do
corpo ou para a cavidade dos órgãos, tais como: as sudoríparas, as lacrimais;
Outras conduzem a secreção para um órgão oco como as salivares e o pâncreas.
No aspecto morfológico, as glândulas exócrinas podem ser tubulosas como as
glândulas do aparelho digestivo; as acinosas como as glândulas salivares, e as túbulo-
acinosa como as glândulas parótidas; E as alveolares como as glândulas mamárias.
As glândulas também podem ser endócrinas (endo = dentro), não há formação de
canal ou de ducto e a glândula não pode lançar produtos de secreção na superfície do
epitélio de origem, mas elimina a secreção diretamente nos vasos sangüíneos. Estas
glândulas são geneticamente denominadas hormônios, pôr exemplo: são a tireóide, que
produz e libera no sangue o hormônio tiroxina, e a hipófise, que libera, entre outros, o hormônio
de crescimento (somatotrofina). No aspecto morfológico as glândulas endócrinas podem
ser cordonais ou vesiculares.
As glândulas se formam ainda no estágio embrionário, a partir de superfícies
epiteliais. Glândulas exócrinas e endócrinas formam-se de maneira parecida: células da
superfície epitelial multiplicam-se e aprofundam-se nos tecidos mais internos, formando um
cordão celular.
Existem ainda glândulas que possuem ao
mesmo tempo uma parte exócrina, tais como mistas
ou mesócrinas ou anfícrinas, possuem funções
exócrinas e endócrinas ao mesmo tempo, como é o
caso do pâncreas. As unidades glandulares
chamadas ácinos pancreáticos que liberam no
intestino o suco pancreático (função exócrina),
enquanto outras unidades secretoras, as ilhotas de
Langherans, secretam os hormônios insulina e
glucagon na corrente sangüínea (função endócrina).
Vamos pensar...
Liste as PRINCIPAIS diferenciações que podem ocorrer na superfície
livre das células epiteliais.
74
Embriologia
e Histologia
Comparada
Tecido Muscular
O tecido muscular é constituído por células alongadas, em forma de
fibras, que se dispõe agrupadas em feixes. Essas células são capazes de se
contrair e conferem ao tecido muscular a capacidade de movimentar o corpo.
As células do tecido muscular, denominadas de fibras musculares ou miócitos
são de origem mesodérmica, que se diferenciaram em fibras contráteis,
formada por duas proteínas: a miosina e a actina. A fibra muscular é formada por miofibrilas.
A figura abaixo mostra uma célula múscular com todos os seus componentes: as miofibrilas
são envolvidas por reticulo endoplasmático, chamado reticulo sarcoplasmático, que é
especializado em armazenar cálcio (Ca++), como mostra a ilustração abaixo. A membrana
plasmática da célula muscular é chamado sarcolema, que ocasionalmente dobra-se dando
origem a tubos, denominados túbulos T. A ilustração mostra ainda, a sarcômero, conjunto
de miofibrilas constituído de miofibrilas finas (actina) e miofibrilas grossas (miosina, dispostas
longitudinalmente, delimitado por duas linhas, as linhas Z.
Há três variedades de tecido muscular: liso, estriado e cardíaco.
• O tecido muscular liso tem células mononucleadas, alongadas, de formato
fusiforme, com extremidades afiladas. O citoplasma apresenta miofibrilas (mio = músculo,
fibrila = pequena fibra), dispostas longitudinalmente, formadas por proteínas contráteis
(miosina e actina) Sua célula possui um único núcleo, central. É um tecido que têm contração
lenta, com movimentos involuntários, comandado pelo sistema nervoso autônomo, é
encontrado formando as paredes de vários órgãos, como intestino, vasos sangüíneos, bexiga
etc.
• O tecido muscular estriado é capaz de contrações
rápidas, sob o controle da vontade (voluntário), denominado
esquelético, por se prender aos ossos, seus movimentos são
comandados pelo sistema nervoso periférico. Suas células são
alongadas cilíndricas e multinucleadas, com núcleos periféricos
Apresentam estrias transversais típicas, formadas pela
disposição paralela e regular das miofibrilas no citoplasma. Essas
miofibrilas são constituídas por duas proteínas contráteis: a actina
forma filamentos finos e a miosina filamentos mais grossos. Este
tipo de tecido é encontrado nos músculos comuns.
75
• O tecido muscular cardíaco é um tecido
estriado especial, cujas células apresentam estrias
como as do tecido esquelético, mas têm apenas um
ou dois núcleos e são mais curtas. Além disso, as fibras
se fundem umas com as outras pelas extremidades. É
encontrado apenas no músculo cardíaco (miocárdio).
Este tecido caracteriza-se, ainda por ter contração
rápida, involuntário e seu controle é realizado pelo
sistema nervoso autônomo.
Movimentos musculares
As células do músculo esquelético apresentam centenas de miofibrilas formadas
por duas proteínas contráteis: a actina e a miosina, como pode ser verificado na figura
abaixo. Estas proteínas se organizam par formar o sarcômero, que constitui a unidade de
contração muscular. Esta unidade funcional dos músculos possui regiões claras (isotrópicas)
e regiões escuras (anisotrópicas).
Verifique através da utilização da figura, como um sarcômero está organizado:
Esta unidade de contração muscular é formada por duas regiões: a região clara e a
região escura. A região clara constitui a banda I, é a região onde existe somente actina,
possuindo fina lâmina central denominada linha Z. A região escura forma a banda A, que é
uma região onde se encontra tanto a actina quanto a miosina, que possui no centro uma
lamina clara, a banda H ou linha H, que corresponde a parte do sarcômero onde existe
somente miosina. A região localizada entre duas linhas Z constitui o sarcômero.
Agora verifique como um sarcômero funciona de
acordo com o estado do músculo:
Para que a contração muscular ocorra, é preciso
uma ordem do cérebro, que por um impulso nervoso para
a fibra muscular, faz com que o reticulo sarcoplasmático
libere cálcio para dentro do citoplasma. Quando ocorre a
liberação desta substância, por atuação do ATP, liga-se
com a troponina, mudando sua estrutura. Por sua vez a
troponina ao sofrer modificação desloca a molécula de
tropomiosina, permitindo o deslizamento da actina sobre
a miosina, ocorrendo assim a contração muscular. Quando
o estimulo nervoso pára, o calci é bombeado de volta ao
reticulo sarcoplasmatico e o músculo relaxa.
Músculo relaxado – neste estado do músculo é onde podemos verificar todos os
componentes do sarcômero, uma vez que seus componentes encontram-se delimitados
tomando toda dimensão do músculo.
76
Embriologia
e Histologia
Comparada
Músculo contraído – durante a contração muscular, os filamentos de
actina deslizam sobre os filamentos espessos de miosina, assim o sarcômero
diminui quando as linhas Z se aproximam. Ao mesmo tempo, a zona H diminui
ou desaparece completamente e a faixa A permanece constante.
 Tecido Nervoso
O tecido nervoso forma os órgãos dos sistemas nervosos central, periférico e
autônomo. Ele tem por função coordenar as atividades de diversos órgãos, receber
informações do meio externo e