A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
94 pág.
[LIVRO] Embriologia e Histologia Alves

Pré-visualização | Página 23 de 24

presentes em cada
etapa do processo de desenvolvimento dos embriões.
81
Construção de um jogo operatório – o dominó didático – Equipe
Para esta etapa você deverá compor a mesma equipe da etapa anterior e deverá
utilizar os seguintes conteúdos: desenvolvimento embrionário em anfioxo e os anexos
embrionários em humanos. Para a confecção desta etapa você deverá utilizar papel duplex
ou cartolina, régua, caneta hidrocor, papel contacte ou fita adesiva larga.
“Os jogos operatórios permitem o desenvolvimento de competências no âmbito
da: comunicação, das relações interpessoais, da liderança, no desenvolvimento
cognitivo e do trabalho em equipe, fazendo uso da competição como um contexto
formativo. O interessante desse trabalho não é usar jogos prontos, nos quais as
regras e os procedimentos já estão determinados e sim estimular a criação, pelos
alunos, de jogos relacionados com os temas discutidos no contexto da sala de aula.
As regras para se jogar podem ser as mesmas de um jogo comum de dominó,
porém os alunos ou o professor podem criar outras regras para o mesmo, inclusive
utilizando-o como uma avaliação em equipes, como já fora mencionado”.
(Orientações Curriculares Estaduais para o Ensino Médio/BA, 2005.)
Como se jogar e construir o dominó didático:
Devem ser feitos 28 retângulos de qualquer material e traçada uma reta no meio de
cada um deles. Numa das metades de todos os retângulos escreve-se questionamentos
referentes ao tema estudado e, nas outras metades, as respostas. Devem-se tomar dois
cuidados:
Etapa 2
82
Embriologia
e Histologia
Comparada
1. Não escrever no mesmo retângulo a questão e a sua resposta,
fazendo as combinações possíveis entre todos os retângulos.
2. A questão deve ser curta, permitindo também uma resposta objetiva.
Pronto! Este é um dos jogos mais atraentes e antigos que a humani-
dade conhece.
O número de participantes deve variar entre dois (2) e quatro (4) adversários. Cada
jogador recebe sete (7) peças, que mantém escondidas do adversário. A forma de iniciar o
jogo, fica a critério do professor ou de quem o confeccionou. A partir de quem iniciou o jogo,
cada jogador, no sentido horário, colocará uma peça que se encaixe em uma das “pontas”
da cadeia que vai se formando. Se alguém não tiver peça a colocar, vai ao “monte” e “compra”
uma peça até conseguir uma que sirva. Caso não exista tal peça, o jogador “passa” sua vez
ao jogador seguinte. O vencedor é aquele que se “livrar” de todas as suas peças. No caso
de o jogo ficar “travado”, isto é, se não houver possibilidade de combinações, contam-se as
peças nas mãos de cada jogador. Vence aquele que tiver menor quantidade de peças.
Quando se joga para avaliar por pontos, pode-se usar a seguinte tabela:
Veja, parte de um jogo construído por alunos do Ensino Médio:
83
Observe uma seqüência lógica, utilizando-se as peças acima:
Elaboração e apresentação de uma Paródia – Equipe
Nesta última etapa, as equipes deverão elaborar uma paródia utilizando o tema
Histologia Animal. A paródia deverá ser apresentada para toda a turma e entregues ao
professor a música original, com a devida identificação dos autores e cantores e a letra da
paródia anexada. Para avaliação o tutor deverá observar a criatividade, o conteúdo explorado
e a musicalidade da letra da paródia. Não podemos deixar de observar a animação e
comprometimento do grupo.
Alegria pessoal!
Etapa 3
84
Embriologia
e Histologia
Comparada
Actina – proteína relacionada com o movimento celular; está presente em grande
quantidade nos músculos, sendo responsável pela contração muscular associada a troponina
e à tropomiosina.
Anexo embrionário – nome genérico de uma estrutura formada durante o
desenvolvimento do embrião e a ele ligada; os anexos embrionários estão presentes nos
répteis, aves e mamíferos.
Arquêntero – gastrocela ou intestino primitivo; cavidade presente na gástrula, que
corresponde à futura cavidade digestiva.
Alantóide – anexo embrionário membranoso ligado ao arquêntero; sua função é
armazenar as excreções do embrião até o nascimento.
Assexuada – sem sexo; refere-se à reprodução que não envolve fusão dos gametas.
Blastocisto – um dos estágios iniciais dos embriões de mamíferos, ou ainda,
corresponde à fase de blástula no mamífero e contém células capazes de originar diferentes
tipos celulares.
Blastóporo – abertura que comunica o intestino primitivo do embrião (arquêntero)
com o meio externo.
Blástula – estágio do desenvolvimento em que o embrião tem o aspecto de uma
bola oca de células; sucede o estágio de mórula.
Célula totipotente – célula indiferenciada que poderá originar células dos diversos
tecidos.
Célula-flama – célula responsável pela excreção de substâncias nitrogenadas dos
platelmintos de vida livre.
Celoma – é uma cavidade inteiramente limitada pela mesoderme, corresponde a
cavidade interna do corpo de certos animais.
Colágeno – principal proteína componente da pele, do tecido conjuntivo propriamente
dito, das cartilagens, dos ossos, dos tendões e dos ligamentos.
Cordados – animal triblástico, celomado, com notocorda, aquático ou terrestre,
pertencente ao filo Chordata.
Cromossomos autossômicos – diz-se de cada um dos cromossomos presentes
tanto em machos quanto em fêmeas; na espécie humana, por exemplo, homens e mulheres
têm 22 pares de autossomos em suas células.
GlossárioGlossárioGlossárioGlossárioGlossário
85
Desmossomos – reforços entre as células com o objetivo de aumentar a adesão
entre células vizinhas.
Deuterostomia – designação do animal triblástico em que a boca forma-se
posteriormente ao ânus.
Diapedese – ato de atravessar as paredes dos capilares sanguíneas, executado
por células como leucócitos e macrófagos.
Embriogênese – processo de formação do embrião. Na espécie humana, o estagio
de embrião vai de, aproximadamente, três semanas a três meses. A partir do terceiro mês,
é chamado feto.
Endócrina – relativo as glândulas de secreção interna, que produzem e lançam
hormônios no sangue.
Espermátide – célula haplóide formada durante a espermatogênese, que irá se
diferenciar no espermatozóide.
Espermatogônia – célula resultante da multiplicação das células germinativas
primordiais masculinas; após o crescimento, uma espermatogônia transforma-se em um
espermatócito.
Exocitose – saída de macromoléculas através da membrana plasmática. As vesículas
de exocitose ou corpos residuais colocam-se próximos à membrana, pelo lado interno, e se
abrem, eliminando seu conteúdo para o exterior.
Fertilização – Processo de união e fusão de um par de gametas originando o ovo
ou zigoto.
Fibroblasto – célula do tecido conjuntivo responsável pela produção de fibras.
Gastrulação – estágio do desenvolvimento embrionário onde se forma o intestino
primitivo (arquêntero); é a fase que sucede à blástula.
Genoma – lote completo de genes, típico da espécie; uma célula haplóide tem um
genoma; uma diplóide tem dois.
Gônadas – Órgão onde ocorre a produção de gametas.
Haplóides – célula que apresenta apenas um cromossomo de cada tipo, isto é, não
apresenta cromossomos homólogos; o número de tipos cromossômicos é representado
por n.
Hematopoético – formador de sangue.
Hemidesmossomos – estruturas semelhantes aos desmossomos, porém menores
e com o objetivo de fixar o tecido a membrana basal..
86
Embriologia
e Histologia
Comparada
Holoblástica – segmentação total; tipo de segmentação em que o
ovo é dividido completamente em blastômero.
Meroblástica – segmentação parcial; tipo de segmentação em que
devido a densidade do vitelo, o ovo é parcialmente segmentado.
Mesoderma – tecido situado entre o ectoderma e o endoderma, presente somente
em embriões triblásticos; um dos três folhetos germinativos desses animais.
Mesentoderma – camada celular na gástrula do anfioxo, de onde terá origem o
mesoderma