A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Princípios de Imunização - Mecanismo de agressão e defesa

Pré-visualização | Página 1 de 1

MEDICINA UNIVERSIDADE IX DE JULHO 
Roger Trindade 
 
1 
 
MADIII 
 
 
 
Resposta imunológica adequada (consegue 
solucionar a infecção) é formada pela imunidade 
inata + imunidade adaptativa. 
Vai acontecer toda vez que ocorrer uma quebra 
da homeostase. 
 
A imunização é definida como a aquisição de 
proteção imunológica contra uma doença 
infecciosa. Tem como objetivo aumentar a 
resistência de um indivíduo contra infecções. 
É administrada por meio de vacina, 
imunoglobulina ou por soro de anticorpos. 
 
 
 
Imunidade natural 
 
Passiva anticorpos maternos, transferência 
placentária (igG), leite materno (IgA – proteção 
da mucosa). 
Ativa doença induz imunidade, quando micro-
organismos invade nosso organismo. 
 
Imunidade artificial 
 
Passiva  administração de anticorpos- Ac , 
imunoglobulinas humanas homólogas, soro 
heterólogo. (não desenvolve memória 
imunológica – ação imediata) 
Ativa antígenos- Ag induzem memória 
imunológica. (vacinas) 
 
Imunização Ativa 
 
Forma de imunidade adaptativa que é induzida 
pela exposição de um antígeno externo. 
O individuo imunizado tem um papel ativo na 
resposta ao antígeno – produção de anticorpos e 
células de memória: 
 
 Gerada pelo próprio sistema imune do 
indivíduo 
 A imunidade e a memória são semelhantes a 
infecção, mas sem a doença 
 Proteção duradoura. 
 
 
 
Consistem em um método de imunização ativa e 
artificial, o qual estimula a resposta imune 
adaptativa. 
Substância, como proteínas, toxinas, parte de 
bactérias ou mesmo vírus que ao serem 
introduzidos no organismo de um animal, 
suscitam uma reação do sistema imunológico. 
 - Não há vacinas fungicas e parasitárias 
(malária). 
Tem como objetivo a imunização prévia do 
individuo, de modo que ele passe a responder 
rápida e eficientemente quando em contato com 
o agente infeccioso, evitando assim a ocorrência 
ou desenvolvimento da doença. 
 
Tem que utilizar antígeno proteico – molécula 
mais imunogênica 
Pois o antígeno proteico gera resposta T 
dependente. 
 
 
 
 
Inoculação do antígeno proteico (reposta T 
dependente)  reconhecimento feito pelo 
linfócito B  informação é transmitida a um 
linfócito T CD4+  proliferação e diferenciação 
dos linfócitos B  Plasmócitos (Ac) – células de 
memória B (quando ativadas darão origem a 
novos plasmócitos). 
 
Imunidade de rebanho: 
Extensão da proteção conferida por uma vacina a 
segmentos não-vacinados da população, devido 
ao controle ou a diminuição da circulação do 
agente infeccioso como decorrência do aumento 
de indivíduos tornados imunes pela vacinação. 
 
Composição das vacinas 
Podem conter: 
 Água estéril 
 Soro fisiológico 
 Fluídos proteicos 
 Conservantes 
 Estabilizantes 
Vacinas 
Tipos de imunidade 
Introdução 
MEDICINA UNIVERSIDADE IX DE JULHO 
Roger Trindade 
 
2 
 
 Adjuvantes (potencializadores da resposta 
imune) 
 Proteína do ovo (vacina de vírus atenuado-
ativado) 
 Traço de antibióticos 
◦ Thimerosal (contém mercúrio) Pode induzir 
reações alérgicas graves 
 
Uma pessoa que tomou a vacina e teve uma 
alergia a alguma substancia da vacina não perde 
a eficácia da vacina. 
 
 
 
Tipos de vacina 
 
 
 
Vivos/atenuados: 
 
O Antígeno da vacina está atenuado, ou seja, foi 
enfraquecido para que não seja capaz de causar 
a infecção. Esse tipo de vacinação é o mais 
parecido com a exposição natural que acontece 
durante nossa vida. 
Desvantagens – risco de reversão a 
patogenicidade. 
Contraindicações  Pessoas que teve o sistema 
imune enfraquecido (grávidas; doentes crônicos; 
HIV, AIDS, transplantados) 
(Febre amarela, Sarampo, caxumba, rubéola – 
Tríplice viral, BCG). 
 
 
VOP gotinha 
Via oral – proteção da mucosa (IgA). 
 
 
Inativadas: 
 
Antígenos inativados correspondem a Antígenos 
mortos, que perderam a capacidade de parasitar 
uma célula hospedeira. Devido a isso requer 
mais uma dose de vacina para estabelecer a 
imunidade. 
Vantagens: Sem risco de transmissão 
Desvantagens: 
 Múltiplos reforços 
 O patógeno deve ser cultivado in vitro 
 Uso de adjuvantes 
 
(Sars-Cov-2 - CoronaVac), Influenza, Raiva, 
poliomielite e S. pneumoniae) 
 
Subunidades - Toxóides ou toxinas inativadas: 
 
São vacinas dirigidas contra as toxinas 
produzidas por um patógeno. Os toxóides do 
tétano e da difteria têm participado, por longo 
tempo, da série-padrão de inoculação infantil. 
Vantagens: Ação direta na inativação do agente 
causador da doença. 
Desvantagens: É necessária uma série de 
injeções para se obter imunidade completa, 
seguida de reforço a cada 10 anos. (Tétano e 
Difteria). 
 
 
 
 
 
 
MEDICINA UNIVERSIDADE IX DE JULHO 
Roger Trindade 
 
3 
 
Recombinantes: 
 
Vacinas de subunidades produzidas por técnicas 
de engenharia genética, onde outros 
microrganismos são programados para produzir a 
fração antigênica desejada. 
Vantagens: Produção em larga escala, Sem risco 
de patogenicidade. 
Desvantagens: múltiplas doses. 
(HPV, Hepatite B) 
 
 
 
Resposta imune celular (TCD4+/ TCD8+) e 
humoral: IgG e células T e B de memória). 
 
 
 
Vacinas terapêuticas Imunoterapia no combate 
ao câncer. 
Utiliza células do sistema imune para combater o 
câncer, faz uma cultura de linfócitos citotóxicos, 
para expandir o numero dessas células. 
 
 
 
 
 
 
Imunidade passiva – Soroterapia 
 
Modalidade de imunidade a um antígeno, 
estabelecida em um indivíduo por 
TRANSFERÊNCIA DE ANTICORPOS de outro 
indivíduo imune àquele antígeno. 
 Ação imediata 
 É considerada transitória, pois o individuo não 
desenvolverá sua própria imunidade  não 
tem memória. 
 
 
MEDICINA UNIVERSIDADE IX DE JULHO 
Roger Trindade 
 
4 
 
Imunização passiva artificial – imunoglobulina 
 
Soro homólogo: 
 
A imunoglobulina especifica, chamada de 
gamaglobulina hiperimume, é obtida de doadores 
humanos que receberam imunização ativa 
recente ou de convalescentes de doença 
infecciosa contra a qual se pretende proteger. 
São exemplos de imunoglobulina especifica: 
 
 Anti-hepatite B 
 Antitetânica 
 Antirrábica 
 Anti varicela zoster 
 Palivizumabe (anticorpo monoclonal anti vírus 
sincicial respiratório – VSR ou RSV) 
 
Usado em casos de deficiência congênita ou 
adquirida de linfócitos B; 
Exposição a doenças que causam complicações 
rápidas; 
Quando não existe vacina ou o paciente não foi 
vacinado. 
 
Tratamento efetivo, porem deve ser feito com 
cautela: 
 Produção de igE contra o anticorpo 
estranho pode gerar reações alérgicas e 
anafilaxias; 
 Produção de igM e igG contra o anticorpo 
estranho pode gerar imunocomplexos que 
se depositam em tecidos.