A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Terapia Cognitivo-Comportamental - part 3

Pré-visualização | Página 1 de 1

→ Conjunto de três componentes cognitivos que leva 
um indivíduo a uma construção única e singular sobre 
a forma como vê a si mesmo, o mundo e o futuro. 
 
• Visão de si: é tudo aquilo que o indivíduo percebe 
sobre si mesmo. 
 
↪ Ex.: “Sempre estrago todas as 
oportunidades que tenho” 
 
• Visão de mundo: é a forma como o indivíduo 
percebe as pessoas, as situações, tudo o que ocorre a 
sua volta. 
↪ Ex.: “Ninguém liga. Todo mundo está 
sempre ocupado demais”. 
 
• Visão de futuro: está ligada a forma como o 
indivíduo percebe ou interpreta a própria vida no 
futuro. 
↪ Ex.: “Nunca vai melhorar, então posso 
desistir desde já”. 
 
 
 
→ São as ideias mais profundas da pessoa acerca do 
self. 
 
**self = eu 
 
→ As crenças centrais tem início na infância a partir 
das inter-relações com as figuras significativas 
(familiares) e se desenvolvem ao longo da vida do 
indivíduo. 
 
→ As crenças também podem se formar por causa do 
conjunto de experiências de vida de uma pessoa e a 
partir da percepção que o outro tem dele. 
 
→ A crença central disfuncional é ativada na fase 
adulta diante de gatilhos, gerando pensamentos 
automáticos, que levam à emoções e 
comportamentos. 
 
**gatilho: situações problema que lembram 
situações vivenciadas anteriormente. 
 
 
SOBRE SI: 
 
• Crenças central de Desamparo. 
↪ Ex.: “sou incapaz, inadequado, fraco, 
inferior, não consigo mudar, não sou bom 
suficiente...” 
 
• Crença central de não ser querido ou desamor: 
pessoa que não se sente merecedor do amor do 
outro. 
↪ Ex.: “sou indesejável, imperfeito, sozinho, 
abandonado, renegado, não sou amado..." 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
→ Crenças subjacentes, também são conhecidas como 
“crenças intermediárias”. 
 
→ São atitudes, regras e suposições que também são 
uma verdade para o indivíduo. 
 
→ Vem a partir do modo que o indivíduo interpreta 
determinadas situações. 
 
Jéssica Alves 
É possível uma pessoa não ter crenças negativas e sim, 
somente positivas sobre ela mesma? 
As crenças negativas às vezes são encobertas. Ex.: uma 
pessoa que tem o Transtorno de personalidade 
narcisista se mostra com um ego inflado, sente-se 
sempre muito bem consigo mesmo, e acredita que é 
melhor que muitas pessoas, quando na verdade isso 
tudo é para esconder uma crença de incapacidade. 
 
 
→ Significados atribuídos a uma situação e não a 
situação em si se expressão através dos pensamentos 
automáticos. 
 
→ Os pensamentos automáticos disfuncionais levam a 
determinados padrões de emoções e 
comportamento, sendo resultante do conteúdo da 
crença central. 
 
→ Para o paciente, é mais fácil identificar os 
sentimentos influenciados pelos pensamentos 
automáticos, do que os pensamentos automáticos em 
si. 
 
→ Os pensamentos automáticos acompanham o fluxo 
de pensamento manifesto. 
 
**pensamento manifesto: pensamento consciente. 
Percebemos o que estamos pensando. 
 
→ Os pensamentos automáticos disfuncionais estão 
dentro do fluxo de pensamento, sendo difíceis de 
serem identificados. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
→ Muitas vezes o que se sente, é confundido com o 
conteúdo de pensamento. 
 
→ As emoções quando negativas são sentidas como 
desconforto, então muitas vezes o indivíduo tende a 
fugir de emoções que não são agradáveis. 
 
→ Quando a emoção não pode ser externalizada, o 
corpo sente e reage. 
 
→ Quando as emoções não são nomeadas ou 
externalizadas, o indivíduo pode adoecer 
psiquicamente ou fisicamente. 
 
→ A psicoterapia é importante para que o indivíduo 
adquira o autoconhecimento que vão levar a um 
maior controle de si mesmo. 
 
 
• Comportamento público: 
 
→ Resulta da interação com o ambiente. 
→ O que o indivíduo faz ao se relacionar com o mundo 
(outras pessoas). 
→ Comunicação verbal e não verbal. 
 
• Comportamento privado: 
 
→ Ocorre dentro da própria pele. 
→ Encoberto (não é acessível à observação direta). 
→ Reações fisiológicas (expressões corpóreas 
internas). 
 
→ Os pensamentos levam ao comportamento, assim 
como o comportamento reforça os padrões de 
pensamento. 
 
 
→ Tem o objetivo de identificar, compreender e 
corrigir disfunções existentes na forma de pensar, 
sentir e se comportar. 
 
→ Busca a reestruturação e ressignificação cognitiva. 
 
→ As características do tratamento: 
 Avaliação contínua. 
 Aliança terapêutica: Rapport. 
 Relação igual entre paciente e terapeuta. 
 Foco em resolução de problemas 
 Foco no presente 
 Abordagem educativa. 
 
→ Dependendo do conteúdo trazido pelo cliente a 
“avaliação contínua” pode ser redirecionada. 
 
 
 
 
 
Pensamentos repetitivos sobre checar se a porta está 
trancada várias vezes ao dia, pode ser considerado um 
pensamento automático? 
 
Checar a porta é um comportamento, mas certamente 
antes do comportamento compulsivo de checar a 
porta, que é um ritual, pensamentos automáticos 
obsessivos e negativados invadiram a mente.