A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
231 pág.
G_Guia_Metodologico Rede Carmen

Pré-visualização | Página 1 de 50

Guia Metodológico de Avaliação e 
Definição de Indicadores 
Doenças Crônicas Não Transmissíveis
e Rede Carmen
MINISTÉRIO DA SAÚDE
Secretaria de Vigilância em Saúde 
Departamento de Análise de Situação de Saúde
BRASÍLIA / DF
© 2007 Ministério da Saúde
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada 
a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.
A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e imagens desta obra é de responsabilidade 
da área técnica.
A coleção institucional do Ministério da Saúde pode ser acessada na íntegra na Biblioteca Virtual do 
Ministério da Saúde: http://www.saude.gov.br/bvs
Série A. Normas e Manuais Técnicos 
Tiragem: 1.ª edição – 2007 – 20.000 exemplares
Elaboração, distribuição e informações
MINISTÉRIO DA SAÚDE
Secretaria de Vigilância em Saúde
Departamento de Análise de Situação em Saúde
Produção: Núcleo de Comunicação
Esplanada dos Ministérios, bloco G,
Edifício Sede, 1.º andar, sala 134
CEP: 70058-900, Brasília – DF
E-mail: svs@saude.gov.br
Home page: www.saude.gov.br/svs
Impresso no Brasil / Printed in Brazil
Ficha Catalográfica
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação 
de Saúde.
 Guia metodológico de avaliação e definição de indicadores : doenças crônicas não transmissíveis 
e Rede Carmem / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise 
de Situação de Saúde . – Brasília : Ministério da Saúde, 2007.
230 p. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)
 ISBN 978-85-334-1316-0
 1. Doença Crônica. 2. Vigilância em Saúde. I. Título. II. Série.
NLM WT 500
Catalogação na fonte – Coordenação-Geral de Documentação e 
Informação – Editora MS – OS 2007/0065
Títulos para indexação:
Em inglês: Methodological Handbook on Evaluation and Definition of Indicators: non transmissible 
chronic diseases and Rede Carmem
Em espanhol: Guía Metodológico de Avaluación y Definición de Indicadores: enfermedades crónicas 
non contagiosas y Red Carmem
Sumário
Apresentação 7
O desafio do Brasil na construção do Guia de Avaliação 
Carmen e Vigilância de Doenças Crônicas Não Transmissíveis
7
Introdução 11
Guia Metodológico de Avaliação e Definição de Indicadores 
– Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Rede Carmen
Deborah Carvalho Malta
Otaliba Libânio de Morais Neto
11
Guia Metodológico de Avaliação e Definição de Indicadores 
– Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Rede Carmen
Iná S. Santos
17
A iniciativa Carmen 18
PARTE I 21
Revisão da Literatura
Iná S. Santos, Marcelo Capilheira e Mônica Carmem Moreira
21
Metodologia da Revisão Bibliográfica 22
Programas de Prevenção de Doenças Crônicas
 Não Transmissíveis em Países Desenvolvidos
25
North Karelia Project 26
The Stanford Community Projects 31
The Minnesota Heart Health Program (MHHP) 32
The Pawtucket Heart Health Program (PHHP) 34
Countrywide Integrated Noncommunicable Diseases Intervention (Cindi) 36
Multifatorial Monitoring of Trends and Determinants in Cardiovascular Disease (Monica) 40
Programas de Prevenção de Doenças Crônicas Não 
Transmissíveis em Países em Desenvolvimento
42
Who’s Interhealth Programme 43
Programa Mirame! 43
Tianjin Project 44
Programa de Prevenção de Infartos na Argentina (Propia) 44
Conjunto de Acciones para la Redución Multifatorial de 
Enfermidades No transmissibles (Carmen) – OPAS
45
Financiamento dos Programas 50
Perspectivas 50
Intervenções Atuais 52
Conclusões 53
PARTE II 67
Indicadores de Avaliação
Iná S. Santos
67
Referencial Teórico 68
Exemplos de Indicadores utilizados em Avaliações de 
Programas / Intervenções Preventivas de DCNTs
71
Indicadores de Oferta 72
Indicadores de Utilização 73
Indicadores de Cobertura 73
Indicadores de Impacto 73
Relação entre os Indicadores do Marco Referencial de 
Habitch et al e os de Avedis Donabedian
76
PARTE III 81
Grau de Inferência da Avaliação
Iná S. Santos
81
Avaliações de Adequação 82
Avaliações de Plausibilidade 84
Avaliações Probabilísticas 88
Decidindo Quanto a Que Grau de Inferência Usar 90
Exemplos de Estudos Utilizados para Avaliação 
de Acordo com o Grau de Inferência
93
Avaliação da Adequação do Desempenho (Processo) do Programa / Intervenção 94
Avaliação da Adequação do Impacto do Programa ou Intervenção 94
Avaliação de Plausibilidade do Desempenho (Processo) do Programa ou Intervenção 96
Avaliação de Plausibilidade do Impacto do Programa ou Intervenção 97
Com Grupo Controle Histórico 97
Com Grupo Controle Interno 97
Com Grupo Controle Externo 98
Avaliação Probabilística do Desempenho (Processo) do Programa ou Intervenção 100
Avaliação Probabilística do Impacto do Programa ou Intervenção 101
PARTE IV 103
Planejando a Avaliação de Programas / Intervenções
Iná S. Santos
103
Avaliações com Dados Primários 111
Usando Estudos Transversais 112
Usando Estudos Quase-experimentais 127
Usando Estudos Longitudinais com Análise Tipo Antes-e-depois, sem Grupo Controle 140
Usando Estudos Tipo Casos e Controles 147
Usando Ensaios Randomizados 154
Avaliações com Dados Secundários 166
Usando Sistemas de Vigilância de Fatores de Risco e Doenças 
Crônicas como Instrumento de Avaliação
167
Conclusões e Recomendações 171
PARTE V 187
Manual de treinamento
Iná S. Santos e Co-autores: Deborah Carvalho Malta, Otaliba Libânio de Morais 
Neto, Lenildo de Moura, Luciana Sardinha, Elisabeth Duarte e Denise Bontempo
187
PASSO 1: Definir que decisões serão tomadas em decorrência 
da avaliação e quem serão os tomadores de decisão
190
PASSO 2. Definir quem vai fazer a avaliação 192
PASSO 3. Definir quais indicadores serão medidos 193
PASSO 4. Com base nos dados anteriores, escrever o protocolo da avaliação 209
PASSO 5. Preparar os instrumentos de pesquisa, coleta e análise 213
PASSO 6. Escrever o relatório final 215
PASSO 7. Disseminar os resultados e as recomendações da avaliação 218
Anexo 219
Glossário de Termos 219
Apresentação
O desafio do Brasil na construção do 
Guia de Avaliação Carmen e Vigilância 
de Doenças Crônicas Não Transmissíveis
8
Guia Metodológico de Avaliação e De� nição de Indicadores – Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Rede Carmen
Foram muitos os desafios enfrentados na construção de um guia de avaliação da 
Rede Carmen e de intervenções de Vigilância de Doenças Crônicas Não Trans-
missíveis (DCNT). A proposta foi delegada pela PAHO ao Ministério da Saúde do 
Brasil, em 2003, durante o I Fórum Global Mundial, realizado no Rio de Janeiro, 
Brasil. Seguiram-se duas reuniões com a PAHO em 2004 e 2005, para definir os ob-
jetivos da construção do Guia, a expectativa dos países e o alcance da proposta. Em 
outubro de 2005, apresentamos aos países e à PAHO na Reunião Bianual da Rede 
Carmen, no Chile, uma proposta inicial do marco conceitual que norteou o traba-
lho, e, finalmente, a versão final contendo a contribuição brasileira objetivando a 
institucionalização da avaliação das DCNTs.
Nas discussões entre a PAHO e o Ministério da Saúde, várias questões foram abor-
dadas, ilustrando a complexidade metodológica da tarefa, seja na definição do 
marco conceitual, seja pela diversidade das experiências dos países e a dificuldade 
em avançar em uma proposta que pudesse ser factível nas diferentes realidades 
das Américas. Alguns desafios e questionamentos nortearam o trabalho: Como fa-
zer um guia de avaliação que se tornasse operacional ao conjunto dos países, em 
contextos e realidades de implantação de experiências tão distintas? O que seria 
mais adequado na condução de uma avaliação: operar com avaliadores externos ou 
internos? Como combinar metodologias quantitativas e qualitativas? Como ava-
liar experiências em níveis de implementação distintos: local, nacional e regional? 
Como tornar a avaliação um instrumento aplicável no contexto dos serviços? Como 
utilizar os dados secundários disponíveis ou os sistemas de informação existentes? 
Quando utilizar estudos realizados no âmbito

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.