A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
ESPERMATOGÊNESE E OVOGÊNESE, Gametogênese

Pré-visualização | Página 1 de 2

Eduardo F. Hreneczen 
1 
Histologia e Embriologia – Medicina Veterinária / 1° semestre 
GAMETOGÊNESE (espermatogênese e ovocitogênese) 
HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA 
............................................................................................................................. .......................................................................................... 
GAMETOGÊNESE................................................. 
- As células gaméticas são originadas 
pela divisão celular da meiose; 
- Ocorre a formação do espermatozoide 
= ESPERMATOGÊNESE (caracterizada 
por envolver alterações mais 
pronunciadas como flagelos e escasso 
citoplasma) e a formação do ovócito = 
OVOCITOGÊNESE (caraterizada pelo 
aumento do volume celular); 
- Durante a gametogênese, as células da 
linhagem germinativa sofrem divisão 
meiótica originando células com 
metade do número de cromossomos de 
uma célula somática; 
- ESPERMATOGÊNESE: 
 
- OVOGÊNSE: 
 
- São fenômenos de extrema 
importância pois permitem a 
perpetuação das espécies devido a 
união dos dois gametas e ocorre o 
reestabelecimento e manutenção do 
número cromossômico da espécie; 
- As células somáticas não estão ligadas 
diretamente na reprodução; Já as 
células germinativas são as que dão 
origem aos gametas pelo processo de 
meiose: espermatozoide e o ovócito; 
ESPERMATOGÊNESE....................................... 
- É o processo de formação dos gametas 
masculinos (espermatocitogênese, 
 Eduardo F. Hreneczen 
2 
Histologia e Embriologia – Medicina Veterinária / 1° semestre 
GAMETOGÊNESE (espermatogênese e ovocitogênese) 
espermiogênese e espermiação), a 
partir de células germinais primordiais; 
- ESPERMATOCITOGÊNESE: após 
atingir a gônada, as células germinativas 
indiferenciadas se dividem 
mitoticamente e dão origem a células 
menores = ESPERMATOGÔNIAS TIPO A; 
- As espermatogônias tipo A são 
caracterizadas por um núcleo ovoide 
que contem cromatina associada a 
membrana nuclear, encontram-se 
adjacentes a membrana basal externa 
das cordas sexuais. Na maturidade, cada 
vez que se dividem para produzir outra 
espermatogônia tipo A de reserva, 
também produz, outra mais pálida, a 
espermatogônia tipo A2 que segue o 
processo de formação do gameta; 
- A espermatogônia intermediaria (In) se 
divide uma vez para formar as 
espermatogônias tipo B, estas são as 
últimas células da linha espermática a 
sofrerem mitose, e, ao dividirem-se uma 
vez, geram os espermatócitos primários 
ou de primeira ordem que são células 
que entram em meiose; 
- Durante as divisões espermatogônicas 
a citocinese é incompleta; 
- Cada espermatócito primário entra em 
uma prófase alongada (22 dias em 
humanos), seguido pelo término rápido 
da meiose 1 e pela formação de um par 
de espermatócitos secundários que 
completam a segunda divisão da 
meiose. As células haploides formadas 
são chamadas de espermátides e 
continuam conectadas uma as outras 
por pontes citoplasmáticas; 
- As espermatogônias mais basais se 
apoiam na lâmina basal, seguindo dos 
espermatócitos primários e secundários 
e as espermátides; 
- As cabeças das espermátides se 
inserem no ápice das células de Sertoli e 
as causa ficam visíveis a luz do túbulo 
seminífero. Além de sustentação, as 
células de Sertoli alimentam e protegem 
as células espermáticas em 
desenvolvimento e ainda auxiliam a 
liberação dos espermatozoides: 
 
- ESPERMIOGÊNESE: a espermátide 
haploide é uma célula redonda e não 
flagelada. Depois da meiose 2, cada 
espermátide sofre maturação que é a 
diferenciação celular da espermátide 
recém-formada em espermátide 
madura (espermiogênese); 
- Para que a fecundação possa ocorrer o 
espermatozoide precisa encontrar e se 
ligar ao ovócito, assim a 
espermiogênese promove modificações 
na célula espermática para as funções 
de motilidade e interação, inclui mais 
algumas modificações como: 
a) formação do acrossoma a partir do 
aparelho de golgi; 
b) condensação da cromatina; 
c) formação do colo da peça 
intermediaria e da cauda; 
d) eliminação de grande parte do 
citoplasma com as mitocôndrias, 
formando um anel em volta da peça 
intermediaria do flagelo; 
 Eduardo F. Hreneczen 
3 
Histologia e Embriologia – Medicina Veterinária / 1° semestre 
GAMETOGÊNESE (espermatogênese e ovocitogênese) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
- ESPERMIAÇÃO: a liberação da 
espermátide madura para dentro do 
lúmen do túbulo seminífero é conhecida 
como espermiação; 
- Após a sua liberação, elas podem ser 
chamadas de espermatozoides, pois já é 
uma célula livre e com capacidade de 
motilidade; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Eduardo F. Hreneczen 
4 
Histologia e Embriologia – Medicina Veterinária / 1° semestre 
GAMETOGÊNESE (espermatogênese e ovocitogênese) 
OVOCITOGÊNESE................................................ 
- Consiste no processo de formação do 
gameta feminino, no interior do ovário; 
- Acontece a partir das ovogônias 
(originarias da diferenciação celular das 
células germinativas primordiais) 
transformarem-se em ovócitos 
maduros; 
- Enquanto o gameta formado pela 
espermatogênese é essencialmente um 
núcleo móvel, o gameta formado pela 
ovocitogênese contém todos os fatores 
necessários para iniciar e manter o 
metabolismo e o desenvolvimento; 
- Fornece material para construir uma 
complexa forma pré-adulta, 
proporciona estrutura necessária para o 
embrião até que ele possa obter sua 
nutrição de uma fonte externa; 
 
- A ovocitogênese proporciona a 
formação de um núcleo haploide, 
constrói um reservatório de enzimas 
citoplasmáticas, mRNAs, organelas e 
substratos metabólicos. Enquanto o 
espermatozoide se torna diferenciado 
para motilidade, o ovócito desenvolve 
um citoplasma complexo; 
- A ovocitação é o processo de liberação 
e expulsão do ovócito do ovário, ou 
chamado de ovulação pois o que é 
liberado é o ovócito e não o óvulo; 
- As ovogônias (2n) sofrem mitose (fase 
de proliferação) e dão origem aos 
ovócitos 1 também diploides; 
- Ao terminar a fase proliferativa, as 
ovogônias aumentam o volume e se 
preparam para a meiose; 
- Depois, entram em prófase 1 meiótica 
e passam a se chamar de ovócito 1; 
- Durante ou logo após o nascimento, a 
população de células germinativas no 
ovário é composta de ovócitos 1; 
- Em mamíferos após atingirem a 
puberdade, por ocasião da ovocitação, o 
ovócito termina a meiose reducional e 
origina duas células distintas, uma célula 
ativa = OVÓCITO 1 (n) e uma célula 
afuncional = 1° CORPÚSCULO POLAR (n); 
- O corpúsculo polar fica localizado entre 
os ovócitos 2 e a zona pelúcida dos 
folículos maduros e são eliminados do 
ovário durante a ovocitação, 
juntamente com os ovócitos 2, (a cadela 
e a égua são exceções, pois, a formação 
do ovócito 2 só se da após a ovulação 
dentro da tuba uterina); 
- Assim que termina a meiose 1, o 
ovócito 2 inicia a segunda divisão 
meiótica e estaciona em metáfase e 
somente quando ocorrer a fecundação 
o ovócito 2 retoma e completa sua 
divisão de maturação (meiose 
 Eduardo F. Hreneczen 
5 
Histologia e Embriologia – Medicina Veterinária / 1° semestre 
GAMETOGÊNESE (espermatogênese e ovocitogênese) 
equacional) originando mais uma vez, 
duas células filhas = o segundo 
corpúsculo polar afuncional e a ovótide 
(que contém quase a totalidade do 
volume dos constituintes 
citoplasmáticos da célula mãe); 
- A ovótide se transforma em óvulo. 
Durante essa transição de ovótide para 
óvulo não há divisão celular e sim