A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Artigo: Cirurgia de feminização facial em mulheres transgênero.

Pré-visualização | Página 1 de 3

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNICHRISTUS
UNIDADE BENFICA
CURSO DE ODONTOLOGIA
Ana Beatriz Carneiro Gomes 
Pedro Henrique Holanda Perez.
A cirurgia de feminização facial em mulheres transgênero.
 Fortaleza 
1
2021
Ana Beatriz Carneiro Gomes 
Pedro Henrique Holanda Perez 
A cirurgia de feminização facial em mulheres transgênero.
Artigo apresentado como requisito parcial para obtenção de aprovação na disciplina de metodologia em 2020.2, pelo Curso de Odontologia do Centro Universitário Christus.
 Orientador (a): Prof(a): Ramille Lima.
Fortaleza
2020
A cirurgia de feminizarão facial em mulheres transgênero.
Ana Beatriz Carneiro Gomes
Pedro Henrique Holanda Perez
RESUMO
A Cirurgia de Feminização Facial (FFS) são um conjunto de cirurgias faceais, que tem como intuito suavizar os aspectos do rosto e torná-lo mais feminino, além de serem um conjunto de técnicas cirúrgicas, mais procuradas por pessoas transgêneros em seu processo de transição de gênero. O seguinte artigo tem como intuito realizar uma revisão literária por meio de pesquisas feitas na base de dados do site Pubmed, sobre as técnicas cirúrgicas realizadas no procedimento de feminização facial de mulheres transgênero (FFS) e como o entendimento das mesmas auxiliam na construção de uma identidade de gênero. Para isso foram feitas pesquisas usando como palavras-chaves facial feminization surgery (cirurgia de feminização facial) AND transgender (transgênero).
 Quando comparamos o rosto feminino de um masculino pode-se perceber diferenças estruturais faciais como por exemplo sobrancelha, nariz, queixo e lábios, essas características apesar de serem consideradas mínimas acabam gerando um dimorfismo facial, (SYKES et al 2018). As cirurgias de feminização facial (FFS) por sua vez irão incluir procedimentos faciais projetados para ajustar as características sexuais secundárias masculina (CALLEN et al 2020). As cirurgias mais realizadas envolvem áreas diretamente relacionadas ao trabalho do cirurgião-dentista, tais como lábios, mandíbula, terço inferior da face e etc., portanto, o dentista deve estar familiarizado com essas abordagens cirúrgicas afim de realizar uma correta condução nestes casos. 
Palavras-chaves: cirurgia, feminização facial, transgênero. 
1. INTRODUÇÃO
 Quando se fala de gênero devido a uma construção social patriarcal muitos acreditam que só existem apenas dois gêneros, o masculino e o feminino quando na verdade isso é uma alegação incorreta, muitos confundem gênero com o sexo biológico que é atribuído durante o nascimento, já o gênero é uma construção social. A partir desse entendimento da diferenciação entre sexo e gênero pode-se estabelecer que indivíduos transgênero apresentam uma identidade gênero que se difere de seu sexo biológico que é atribuído aos mesmos após o nascimento, esses indivíduos normalmente tem a sensação de que nascerem no corpo errado sofrendo um desconforto com o sexo atribuído aos mesmos ,e procuram muitas vezes através de procedimentos cirúrgicos ,além de outros métodos não cirúrgicos, modificarem sua aparência ou função corporal (VELAYOS  et al 2020). 
 Se faz necessário compreender que pessoas transgênero sofrem constantemente com forte desaprovação, seja por conta de crenças pessoais ou de normas culturais de uma sociedade arcaica. Esse tipo de comportamento desenvolve o preconceito, ou seja, o ato de julgar alguém antes de conhecer seus valores e ideais. Segundo a revista especializada The Lancet (2010) apontam que entre 0,4% e 1,3% das pessoas com mais de 15 anos não se identifica com seu sexo biológico, o que permite estimar em pelo menos 25 milhões o total de pessoas trans no mundo. A identidade de gênero refere-se ao conceito mais íntimo de alguém como homem, mulher, uma mistura de ser nenhum dos dois, transgênero e diversidade de gênero são termos gerais usados ​​para descrever cuja identidade e / ou expressão de gênero é diferente das expectativas culturais baseadas e atribuídas no nascimento (CALLEN et al 2020) 
 Esta população enfrenta disparidades substanciais no atendimento à saúde, incluindo aumento do risco de suicídio, abuso de substâncias e câncer (CALLEN et al 2020). Segundo o relatório de 2015 do National Center for Transgender Equality revelou que 28% de tais pacientes foram adiados à força seus cuidados médicos temendo intimidação, 30% sofreram assédio em ambientes e 20% foram recusados ​​totalmente os cuidados (CALLEN et al 2020). Uma série de soluções foram propostas para alcançar cuidados de saúde mais equitativos para pacientes transgêneros e de gênero diverso. Esses incluem a expansão da educação relacionada ao gênero do pessoal médico em todas as categorias, a criação de um ambiente físico inclusivo que forneça banheiros e vestiários com gênero neutro e a modernização do prontuário eletrônico e “PACS” para abordar as lacunas nas informações sensíveis ao gênero (CALLEN et al 2020).
 A Cirurgia de Feminização Facial (FFS) é um dos recursos médicos usados para suavizar os aspectos do rosto e torná-lo mais feminino. É um conjunto de técnicas cirúrgicas que são procuradas principalmente por transgêneros em seu processo de transição de gênero. As diferenças dos traços faciais entre homens e mulheres são sutis, mas mesmo assim a diferença é significativa o bastante para se tonar necessária a cirurgia de feminização facial viria, então, como a conquista definitiva e uma identificação social imediata, ainda mais porque, “a principal diferença entre caracteres faciais masculinos e femininos é relacionada à estrutura óssea (CALLEN et al 2020).
 Em crânios adultos pode-se notar dimorfismos sexuais nos crânios femininos que apresentam uma musculatura mais frágil em comparação a um crânio masculino, estas condições iram determinar um desenvolvimento menor das superestruturas ósseas da mulher, logo todas as protuberâncias assim como as cristas e os processos do crânio serão mais lisos e menores. Os crânios femininos irão ter a presença de contornos mais angulares, essas mudanças craniofaciais só terão início durante a fase de puberdade (MADEIRA, 2010). 
2. OBJETIVOS 
O objetivo deste artigo é realizar uma revisão de literatura sobre as principais técnicas e abordagens cirúrgicas da feminização facial em mulheres transgêneros. 
3. METODOLOGIA 
Para realização desta revisão de literatura, foram buscados artigos na plataforma de busca PubMed, utilizando as palavras-chaves facial feminization surgery (cirurgia de feminização facial) AND transgender (transgênero), de forma combinada. Durante essa busca se obteve 78 artigos. Foi usado como método de inclusão estudos que tratavam de técnicas cirúrgicas e publicados nos últimos cinco anos, sendo assim, não foram incluídos trabalhos que envolviam outras abordagens de tratamento (abordagens não cirúrgicas). Após a leitura de título e resumo, 19 artigos preencheram os critérios de inclusão. 
 
4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 
 A cirurgia de feminização facial (FFS) ou cirurgia de afirmação de gênero são um conjunto de procedimentos cirúrgicos de caráter reconstrutivo tanto de tecidos ósseos como também de tecidos moles, esses procedimentos cirúrgicos são usados para deixar o rosto mais feminino de mulheres transgêneros (PLEMONS,2017). Quando comparamos o rosto feminino de um masculino pode-se notar diferenças estruturais faciais como por exemplo sobrancelha, nariz, queixo e lábios essas características apesar de serem consideradas mínimas acabam gerando um dimorfismo facial (SYKES et al 2018).As cirurgias de feminização facial(FFS) por sua vez inclui procedimentos faciais projetados para ajustar as características sexuais secundárias masculinas, essas características secundárias do rosto representam parte de um padrão complexo visual que os humanos atribuem ao gênero, as estruturas que mais são alteradas no procedimento e que levam as pessoas a atribuírem isso ao gênero é a crista