A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Anatomia Vias Aéreas Superiores e Inferiores

Pré-visualização | Página 1 de 1

Anatomia vias aéreas superiores 
Divisão do sistema respiratório 
Sua divisão anatômica e funcional, é dada por via aérea superior e via aérea 
inferior (anatômica) e existem estruturas responsáveis por conduzir o ar e 
outras responsáveis por realizar trocas gasosas (funcional). Seios paranasais 
acumulam secreções e auxiliam na drenagem das mesmas. 
 
Divisão funcional 
- zona de condução: todas as estruturas anatômicas até o bronquíolo terminal 
compõem a zona de condução ( narinas, cavidade nasal, faringe, laringe, 
traqueia, brônquios principais, brônquios lobares, brônquios segmentares e 
bronquíolos terminais) 
- zona de troca: é possível observar uma pequena porcentagem de troca gasosa 
nos bronquíolos respiratórios, constituída por bronquíolos respiratórios, 
ductos alveolares, sacos alveolares e alvéolos 
 
Divisão anatômica 
- VAS (superior): nariz, faringe e laringe 
- VAI (inferior): traqueia, pulmão e brônquios 
Nariz 
- parte do sistema respiratório (inicial) acima do palato duro (céu da boca), 
órgão periférico para análise do olfato, que inclui parte externa e interna 
(cavidade nasal) 
 
Funções: 
- olfato, respiração, filtração de poeira (filtra e retira impurezas maiores), 
umidificar e aquecer (parcialmente) o ar inspirado, receber e eliminar 
secreções dos seios paranasais e ductos lacrimonasais. 
 
Parte externa: 
- parte visível que se projeta da face 
- o dorso do nariz se estende da raiz ate o ápice do nariz, sua abertura piriforme 
em forma de pera fica na região anterior, as narinas são aberturas nasais 
anteriores limitadas lateralmente pelas asas do nariz e o vestíbulo do nariz é 
recoberto por pele mais espessa que contem pelos rígidos (vibrissas – filtram 
partículas de poeira do ar que entra na cavidade nasal por geralmente estarem 
úmidas). 
 
Esqueleto do nariz 
- parte óssea: ossos nasais, processos frontais das maxilas, parte nasal do osso 
frontal 
- parte cartilagínea: uma cartilagem do septo, duas cartilagens laterais e duas 
cartilagens alares (moveis e livres, se movimentam com a necessidade de 
entrada de ar no sistema respiratório, dilatam ou estreitam as narinas quando 
há contração dos músculos que movimentam o nariz) 
 
Septo nasal 
- divide a câmara do nariz em duas cavidades nasais 
- cartilagem do septo nasal 
- parte óssea: 
• Fina lâmina perpendicular do etmoide (forma a parte superior do 
septo, desce a partir da lâmina cribriforme do etmoide, continua 
superiormente a essa lâmina como crista etmoidal) 
• Vômer: osso fino e plano, forma a parte póstero-inferior do septo 
 
 
Músculos 
- Musculo prócero 
- M. nasal; 
- M. Dilatador anterior das narinas 
- M. Abaixador do septo nasal 
- M. Levantador do lábio superior e da asa do nariz. 
 
 
Vascularização 
- drenagem venosa: veias esfenopalatina, facial e oftálmica 
 
 
Inervações 
• Motora: ramo bucal do n. facial 
• Sensitiva: n. supratroclear, n. infratroclear, ramo nasal ext. do n. 
etmoidal anterior e n. infraorbital 
Cavidade nasal 
- com delimitação no início das narinas ate a parte posterior da faringe (através 
dos cóanos) 
- é revestida por túnica mucosa, com exceção do vestíbulo nasal, que é 
revestido por pele 
• terço superior da túnica mucosa: área olfatória (contém o órgão 
periférico olfatório) 
• dois terços inferiores da túnica mucosa: área respiratória (o ar é 
aquecido e umedecido antes de atravessar as demais VAS até os 
pulmões) 
 
Cóano 
limite posterior, é o espaço/cavidade dentro da abertura piriforme onde estão 
inseridas as conchas nasais (superior, inferior e média) 
 
 
Limites da cavidade nasal 
- teto dividido em frontonasal, etmoidal e esfenoidal 
- assoalho processos palatinos da maxila e lâmina horizontal do palatino 
(palato duro) 
- parede medial septo nasal 
- parede lateral conchas nasais 
 
Conchas nasais 
- são recobertos por túnica mucosa e curvam-se em sentido inferomedial 
(pendendo da parede lateral), auxiliam no impedimento de acúmulo de 
secreções 
• concha superior e média: processos mediais do osso etmoide 
• concha inferior: é a mais longa e larga 
 
Meatos nasais (divisão do cóatos) 
- a passagem de ar na cavidade nasal abaixo da concha nasal 
• recesso esfenoetmoidal: 
- posterior a concha nasal superior, recebe abertura do seio esfenoidal 
• meato nasal superior: 
- se abrem os seios etmoidais posteriores 
• meato nasal médio: 
- a parte anterossuperior dessa passagem leva à uma abertura afunilada 
(infundíbulo etmoidal), se comunicando com o seio frontal 
- hiato semilunar: sulco semicircular no qual se abre o seio frontal 
- bolha etmoidal: elevação arredondada superior ao hiato, visível 
quando a concha média é removida e formada por células etmoidais 
médias que formam os seios etmoidais. 
• meato nasal inferior: 
- o ducto lacrimonasal se abre aqui 
• meato nasal comum 
- onde o ar passa sem ser por baixo das conchas, restante do espaço do 
cóato 
- parte medial da cavidade nasal entre as conchas e o septo nasal onde 
se abrem os recessos laterais e meatos 
Laringe 
- estrutura muscucloligamentar oca, com arcabouço cartilagíneo acima do 
trato respiratório. 
- possui esfíncter elaborado para o trato respiratório inferior e proporciona um 
mecanismo para a produção de sons 
 
Anatomia descritiva 
Netter anatomia para colorir capítulo 7 
 
 
 
 
 
 
Localização, relações e comunicações 
 
 
 
 
 
 
 
Pregas vestibular, vocal e glote 
 
 
Divisão da laringe 
- adito, vestíbulo, ventrículo e cavidade infraglótica 
 
 
Músculos intrínsecos 
 
 
 
 
 
 
 
 
Músculos 
m. cricotireóideo (parte reta e parte obliqua) 
m. cricotirenóideo (posterior e laterais) 
m. aritenóideo (obliquo e transverso) 
m. tireoaritenóideo 
m. vocal 
 
Vascularização da laringe 
 
 
 
 
 
Inervação 
 
 
 
 
 
Anatomia das pregas vocais 
 
 
Aplicação clinica: CRICOTIREOTOMIA 
Consiste no acesso cirúrgico das vias aéreas através da membrana 
cricotireóidea 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Anatomia vias aéreas inferiores 
 
Traqueia e brônquios 
 
 
 
 
 
 
Os brônquios, que são segmentares, vão se dividindo em sub regiões dos 
pulmões, indo para cada lobus. 
Pulmões 
 
Ápice 
- extremidade superior, recoberto por cúpula de pleura, acima do nível da 
costela I ate a raiz do pescoço 
Base 
- face inferior côncava, oposta ao ápice, acomoda a cúpula ipsilateral do 
diafragma e se apoia nela 
Faces 
- costal + mediastinal + diafragmática 
Margens 
- anterior + inferior + posterior 
 
POSSUI 3 LOBOS CRIADOS POR FISSURAS (DELIMITA A DIVISÃO) 
 
 
Impressões da face mediastinal 
- impressões deixadas pelo contato com o coração 
- a lingula do pulmão está presente apenas no pulmão esquerdo 
 
Hilo pulmonar 
- da abertura para a entrada e saída de estruturas pulmonares que são os 
pedículos (brônquios, artéria pulmonar direita e esquerda (que vem do VD – 
tronco pulmonares – pulmões – trocas gasosas), veias pulmonares (retorno do 
sangue para o AE), também possui secundariamente vasos linfáticos e nervos) 
 
Segmentos 
Os lobos são divididos em segmentos, cada um desses segmentos é 
“independente”, pois possui artéria/veia/bronquíolo próprio 
 
 
Vascularização dos pulmões

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.