Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
CURRÍCULO ATIVIDADE 02

Pré-visualização | Página 2 de 3

esse tema implica a discussão sobre o conceito de diversidade humana e de respeito às diferenças individuais em uma sociedade que tem uma história de exclusão educacional de grupos vulneráveis. Um desafio porque este debate insere-se em um contexto educacional de construção de escolas que não foram pensadas para serem ‘escolas para todos’, mas escolas para poucos, ou seja, para os filhos e filhas das classes sociais privilegiadas econômica, política e culturalmente. FERREIRA, Windyz B. Pedagogia das possibilidades: é possível um currículo para a diversidade nas escolas brasileiras? Disponível em http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/230/255 . Acessado em 13 de julho de 2019, às 19h07.
O contexto histórico dos currículos apresenta para e por quem eles foram construídos. Alguns autores apresentaram um currículo emancipatório. Marque a alternativa em que um desses autores é apresentado.
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
Paulo Freire, a partir de suas concepções acerca do opressor, quem orientava a execução dos currículos, e do oprimido, aquele que tinha de aceitar o conhecimento e cultura imposta.
	Resposta Correta:
	 
Paulo Freire, a partir de suas concepções acerca do opressor, quem orientava a execução dos currículos, e do oprimido, aquele que tinha de aceitar o conhecimento e cultura imposta.
	Comentário da resposta:
	Resposta correta. Paulo Freire dissertou acerca da cultura das classes dominantes, impregnada nos currículos. Cultura imposta a qual subalternizou e oprimiu os indivíduos das classes sociais mais baixas, não dando-lhes voz, nem reconhecimento de sua cultura como parte integrante da sociedade.
	
	
	
· Pergunta 7
1 em 1 pontos
	
	
	
	A proveniência do Escola Sem Partido estaria ligada a grupos de extrema direita e a grupos religiosos fundamentalistas de orientação cristã, insatisfeitos com as ações do Governo de centro-esquerda...O Movimento fundado por Nagib assume o nome Escola sem partido numa visível tentativa de sensibilizar a sociedade ao reduzir a micropolítica que atravessa a sala de aula à macropolítica partidária. A forma simples do slogan propicia uma adesão imediata por parte daqueles que não conseguem ou que não querem fazer uma análise mais profunda das propostas deste movimento. ...é possível afirmar que a escola deve ser sem partido, mas nunca deixará de ser um campo político. As escolhas que constituem um currículo são sempre escolhas políticas e querer designar um modelo educacional como sendo neutro é assumir uma postura arrogante que visa fechar o debate por meio da universalização do que é contingente e parcial. SARAIVA, Karla & VARGAS, Juliana Ribeiro de. Os perigos da escola sem partido. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/321659930_OS_PERIGOS_DA_ESCOLA_SEM_PARTIDO. Acessado em 13 de junho de 2019, às 13h32.
 
Muitos estudiosos e educadores afirmam que o Escola Sem Partido fere o direito de liberdade que os professores têm em suas salas de aula. Marque a alternativa que apresenta a Teoria do Currículo que vai de encontro às ideias da Escola Sem Partido.
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
Teoria Pós-Crítica do Currículo. As concepções quebram os paradigmas dos currículos tradicionais quanto à reflexão sobre a diversidade presente na sociedade contemporânea.
	Resposta Correta:
	 
Teoria Pós-Crítica do Currículo. As concepções quebram os paradigmas dos currículos tradicionais quanto à reflexão sobre a diversidade presente na sociedade contemporânea.
	Comentário da resposta:
	Resposta correta. As Teorias Pós-Críticas são articuladas com o intuito de respeitarem e valorizarem os indivíduos. A educação é um ato político e, a partir deste ponto de vista, tornar a sala de aula um espaço que que valores éticos e morais são construídos perpassa a visão dos currículos críticos.
	
	
	
· Pergunta 8
1 em 1 pontos
	
	
	
	A incorporação do conceito de currículo se deu de acordo com os pressupostos eficientistas da educação escolar e da eficiência da sociedade em geral. Com ela se buscava introduzir uma ordem intermediária baseada no estabelecimento de unidades de tempo menores dentro da escolaridade total: o ano letivo geral que cada estudante deveria completar progressivamente, porém mais amplo do que as classes, que eram as unidades de tempo e conteúdos.SACRISTÁN, José Gimeno. O que significa o currículo? In: Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso. 2013, p. 18.
As Teorias do Currículo têm ideias diferenciadas que norteiam os pensamentos sobre os modelos de currículos existentes nas escolas. Marque a alternativa que corresponde à explicação correta da Teoria do Currículo que será apresentada.
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
A Teoria Pós-Crítica do Currículo revela preocupação com a emancipação do pensamento dos sujeitos quanto à multiculturalidade da sociedade.
	Resposta Correta:
	 
A Teoria Pós-Crítica do Currículo revela preocupação com a emancipação do pensamento dos sujeitos quanto à multiculturalidade da sociedade.
	Comentário da resposta:
	Resposta correta. A Teoria Pós-Crítica traz à tona temáticas voltadas à diversidade cultural, não apresentadas na história dos modelos de currículo.
	
	
	
· Pergunta 9
1 em 1 pontos
	
	
	
	As teorias baseadas nos modelos tradicionais simplesmente não se preocupam em discutir, questionar ou problematizar radicalmente as organizações educacionais, as configurações influentes de conhecimento, ou a estrutura social preponderante que atua disfarçadamente nas escolas. Elas valorizam: ensino, aprendizagem, avaliação, metodologia, didática, organização, planejamento, eficiência e objetivos.
CHAVES, Ozinei dos Santos & ALENCAR, Mary Sônia Dutra de. Teorias do currículo: concepções, verdades e contradições. Disponível em http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV045_MD4_SA3_ID5660_08092015071213.pdf Acessado em 08/7/2019, às 8h15.
Leia as assertivas abaixo.
I – Escolas que avaliem, além do resultado final, o processo que tornou a aprendizagem significativa.
II – Uma escola que direciona suas práticas voltadas à produção.
III – Aulas que abordem fenômenos econômicos presentes na sociedade, tornando irrelevantes os processos que os cercam.
IV – Professores que transmitem informações que não são questionadas.
 
Marque a alternativa que contempla as afirmações correspondentes às ações paradoxais quanto ao currículo tradicional.
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
I, apenas.
	Resposta Correta:
	 
I, apenas.
	Comentário da resposta:
	Resposta correta. O currículo tradicional prevê que os conteúdos sejam passados pelo professor de maneira objetiva, não há espaço para reflexões acerca do processo de aprendizagem. Docentes transmitem os conteúdos e discentes o recebem, de maneira inquestionável e não reflexiva.
	
	
	
· Pergunta 10
1 em 1 pontos
	
	
	
	As ideologias, por oposição ao mito, produtivo colectivo e colectivamente apropriado, servem interesses particulares que tendem a apresentar como interesses universais, comuns ao conjunto do grupo. A cultura dominante contribui para a integração real da classe dominante (assegurando uma comunicação imediata entre todos os seus membros e distinguindo-os das outras classes); para a integração fictícia da sociedade no seu conjunto, portanto, à desmobilização (falsa consciência) das classes dominadas; para a legitimação da ordem estabelecida, por meio do estabelecimento das distinções (hierarquias) e para a legitimação dessas distinções. Esse efeito ideológico, produ-lo a cultura dominante dissimulando a função de divisão na função de comunicação: a cultura que une (intermediário de comunicação) é também a cultura que separa (instrumento de distinção) e que legitima as distinções compelindo todas as culturas (designadas como subculturas) e definirem-se pela sua distância em relação à cultura dominante.BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Bertrand Brasil: Rio de Janeiro, 1989, p. 11.
 
As Teorias do Currículo apresentam, desde visões
Página123