A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
TECIDO CONJUNTIVO (LÂMINA HISTOLÓGICA)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Material intercelular e fibroblasto/fibrócito
Lâmina 51 - corte de pele espessa
COLORAÇÃO HE
Abaixo do epitélio de revestimento da pele, localiza-se o tecido conjuntivo, constituído por 
células de núcleo basófilo separadas por abundante material intercelular acidifico. 
Próximo ao epitélio é possível observar as papilas do conjuntivo (evaginações que 
facilitam a nutrição das células epiteliais.
FIBRAS COLÁGENAS: acidófilas, coadas pela eosina e constituídas de colágeno tipo I. 
Podem ser de dois tipos:
! Fibras colágenas finas: localizadas logo abaixo do epitélio de revestimento, 
principalmente nas papilas do conjuntivo. Têm coloração mais clara.
! Fibras colágenas espessas: localizadas abaixo das fibras colágenas finas e 
correspondem à maior parte do corte. São mais fortemente coradas pela eosina e 
dispõem-se desordenadamente aparecendo em corte transversal, obliquo e longitudinal
CÉLULAS DO CONJUNTIVO (somente seus núcleos podem ser visualizados nessa 
lâmina)
Núcleo de fibrócito: alongado, fusiforme acompanhando o formato da célula; fortemente 
basófilo pois possui cromatina densa. Fibrócitos são mais numerosos entre as fibras 
colágenas espessas.
Núcleos de outras células: ovóides, com cromatina frouxa, localizados principalmente 
entre as fibras colágenas finas.
SUBSTÂNCIA FUNDAMENTAL AMORFA: em imagem negativa (espaços claros entre as 
fibras colágenas) pois é de difícil preservação devido a sua riqueza de 
glicosaminoglicanos.
 CHG SEGUNDA PROVA 
Taíssa Occhipinti Magalhães sala 146 
Fibras colágenas finas
Fibras colágenas espessas
Núcleo de Fibrócito!! ! ! ! ! Núcleo de outras células
Substância fundamental amorfa
LAMINA 9 - corte de pele fina
COLORAÇÃO: TRICROMICO DE GOMORI 
(muito verde e muito vermelho)
 Fibras colágenas finas coradas pelo verde 
luz
Fibras colágenas espessas também 
coradas pelo verde luz
Núcleo basófilo de células conjuntivas 
(vermelho/rosa escuro)
SFA em imagem negativa
 CHG SEGUNDA PROVA 
Taíssa Occhipinti Magalhães sala 146 
A seta está apontando o folículo piloso.
O pêlo apresenta a mesma cor da queratina 
(vermelho/vinho) pois também é revestido 
de queratina.
Glândula sebácea
bem clara, células verde clarinho com núcleo 
destacado em rosa.
Glândulas sebáceas: localizam-se entre as firas 
colágenas do tecido conjuntivo. Cada glândula é 
constituída de adenômero único ramificado 
formado por células claras, vacuoladas, 
agrupadas formando ácinos e ductos não 
ramificados que desemboca nos folículos 
pilosos.
GLÂNDULA EXÓCRINA SIMPLES ACINOSA
Glândula sudorípara: cada glândula é constituída de 
adenômero tubuloso enovelado e 
ducto único, alongado tortuoso que 
desemboca na superfície. o 
adenômero apresenta-se em cortes 
transversais ou oblíquos próximos às 
glândulas sebáceas e aos folículos 
piloso e é constituído de células 
cúbicas com núcleos ovóides em torno 
do lume. O ducto diferencia-se do 
adenômero por apresentar lume 
estreito e células cúbicas mais coradas 
e com núcleos escuros.
O ducto diferencia-se do adenômero 
nesse caso pela sua coloração mais 
escura (devido à bicamada de células).
GLÂNDULA EXÓCRINA SIMPLES TUBULOSA
 CHG SEGUNDA PROVA 
Taíssa Occhipinti Magalhães sala 146 
DUCTO
ADENÔMERO
LÂMINA 14 - corte de pele
COLORAÇÃO: TRICRÔMICO DE MALLORY
Epitélio de revestimento vinho (apontado pela seta 
à esquerda)
Queratina vermelha
Fibras colágenas finas: coradas pelo azul de 
anilina (corante ácido)
Fibras colágenas espessas: coloração azul 
mais forte do que a das fibras colágenas finas
Núcleos corados em vermelho
 CHG SEGUNDA PROVA 
Taíssa Occhipinti Magalhães sala 146 
LÂMINA 16 - corte de fígado, rim e baço
COLORAÇÃO: IMPREGNAÇÃO PELA PRATA 
PARA FIBRAS RETICULARES (coloração 
especial para fibras reticulares... um verde 
musgo feio)
 
Fibras reticulares organizadas em rede: 
apresentam-se em negro, devido a 
impregnação pela prata sendo 
denominadas fibras argirófilas do tecido 
conjuntivo. São constituídas de colágeno 
tipo III. Formam o estroma de sustentação 
das células em órgãos epiteliais como 
fígado, rim e órgão hemocitopoéticos (baço, 
linfonodo, medula óssea)
Não há coloração para as células
LÂMINA 15 - Corte de artéria de grande calibre e epiglote
TÉCNICA DE VERHOEFF PARA FIBRAS 
ELÁSTICAS; CONTRA-COLORAÇÃO: 
EOSINA
Corte transversal de artéria
Fibras elásticas: em negro, formando 
lâminas elásticas dispostas 
concentricamente na parede do vaso. 
As lâminas elásticas tem aspecto 
ondulado facilitando a distensão da 
parede do vaso e controle do fluxo e 
pressão sanguínea.
 CHG SEGUNDA PROVA 
Taíssa Occhipinti Magalhães sala 146 
Células do tecido conjuntivo
LÂMINA 11 - corte de pele e fígado
COLORAÇÃO VITAL: azul de tripan
CORANTE HISTOLÓGICO: safranina 
(corante básico vermelho)
Corte de pele (identificado 
macroscopicamente por apresenta-se 
pouco corado pois as fibras colágenas 
não se coram nesta técnica)
Macrófagos livres que pinocitaram 
gotículas de azul de tripan, “in 
vivo” (granulopexia). Possuem forma 
variada, sendo a maioria arredondada, 
citoplasma com grãos grosseiros de 
tamanhos variados e heterogeneamente 
corados de azul. O núcleo de macrófago 
corado pela safranina pode ser identificado 
em algumas células
Mastócitos corados em vermelho pela safranina 
(corante básico). possuem forma ovóide, tamanho 
semelhante ao dos macrófagos e citoplasma repleto 
de grânulos finos que contém glicosaminoglicanos ácidos sulfatados.
obs: A lâmina pode conter outros elementos corados em vermelho que não devem ser 
confundidos com mastócitos: núcleo de outras células conjuntivas e fibras musculares, em 
corte transversal.
Corte de fígado
Hepatócitos em fileira corados em róseo
Macrófagos fixos do fígado (células de 
Kupffer) que pinocitaram gotículas de 
azul de tripan “in vivo” (granulopexia). 
Tem forma alongada, fusiforme, coram-
se em azul e localizam-se na parede 
dos capilares sinusóides entre as 
fileiras de hepatócitos.
 CHG SEGUNDA PROVA 
Taíssa Occhipinti Magalhães