A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
SISTEMA GENITAL FEMININO (embriologia(

Pré-visualização | Página 1 de 1

SISTEMA GENITAL FEMININO: é dividido em órgãos internos e genitália externa. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Ovários: uma mulher adulta possui 2 ovários, que são estruturas envolvidas na produção de gametas 
femininos e na produção de hormônios; estão 
localizados um de cada lado do útero e são 
mantidos nessa posição por diversos ligamentos. 
Cada ovário tem uma organização histológica: 
a. Epitélio germinativo: camada externa que 
recobre a superfície do ovário; 
b. Túnica albugínea: capsula esbranquiçada de 
tecido conjuntivo; 
c. Córtex: parte interna do ovário, onde se 
encontram os folículos em diferentes 
estágios de desenvolvimento e regressão; 
d. Medula: onde se encontram elementos vasculares, nervosos e fibras musculares lisas. 
Os folículos presentes no córtex são os oócitos envolvidos por diferentes tipos celulares, que se 
modificam ao longo do desenvolvimento folicular. Essas células são importantes para eventos da 
reprodução humana, como nutrição, proteção, amadurecimento, liberação no momento adequado 
e secreção de hormônios responsáveis pela preparação da vagina e das trompas para a fertilização e 
a gravidez. 
• Tubas uterinas: tem cerca de 10cm de comprimento, 
são formadas por uma camada externa de 
membrana serosa, uma camada média muscular e 
uma camada interna de células epiteliais secretoras 
e ciliadas. Tem função de captação e transporte de 
oócitos, fecundados ou não, que ocorre com auxilio 
das fimbrias, projeções digitiformes; o transporte ao 
longo das trompas é auxiliado pelos movimentos 
ciliares das células epiteliais e pela contração 
musculas, que sofrem influencia hormonais de 
acordo com o ciclo reprodutor feminino e gestação. 
• Útero: é divido em duas regiões mais importantes; 
a. Colo: fica entre a vagina 
e o corpo do útero, suas 
células secretoras 
produzem o muco 
cervical, composto por 
substancias nutritivas 
que auxiliam na 
suplementação 
energética dos 
espermatozoides e 
protege-os do ambiente 
hostil da vagina. A 
consistência do muco 
varia de acordo com o ciclo reprodutor, sendo mais fluido durante a ovulação, 
facilitando a passagem dos espermatozoides. 
b. Corpo: possui conexão com as duas tubas uterinas. 
O útero possui três camadas: mucosa (endométrio), muscular (miométrio) e serosa/adventícia 
(perimétrio). 
a. O endométrio (membrana mucosa uterina) é revestido por epitélio colunar 
(cilíndrico) simples (lâmina epitelial), e contém numerosas glândulas tubulares. 
Fisiologicamente o endométrio é dividido em camada funcional (camada que 
descama) e camada basal (camada em contato com o miométrio). Durante a 
menstruação parte do endométrio sofre grandes alterações que provocam sua 
descamação (menstruação). Possui rica vascularização que se renova a cada ciclo 
menstrual. 
b. O miométrio (musculatura uterina) compreende um complexo de três camadas de 
músculo liso que são microscopicamente difíceis de separar: (de dentro para fora). A 
camada subvascular é consideravelmente fina e participa principalmente no 
fechamento das tubas/trompas e na separação do endométrio durante o ciclo 
menstrual. A camada vascular é bastante forte e bem perfundida, envolvendo o útero 
como uma rede. Ela possui um papel fundamental durante o parto. A camada supra 
vascular é novamente uma fina lâmina de fibras musculares cruzadas estabilizando a 
parede uterina. 
a. O perimétrio é igual ao peritoneu e é cercado por uma fina camada de tecido 
conjuntivo (tela subserosa). Em áreas livres de peritoneu não há serosa, mas 
adventícia. 
• Vagina: órgão tubular, com estrutura fibromuscular, 
constituído por diversos tipos celulares; essas células 
secretam substancias responsáveis pela acidez do pH 
vaginal, que se modificam de acordo com os hormônios 
femininos ao longo do ciclo menstrual. Tem como função 
condutora de fluxo menstrual, do sêmen e do feto 
durante o parto. Em sua abertura inferior (óstio da 
vagina), há uma fina prega mucosa, pouco vascularizada 
(hímen), sendo rompida na relação sexual. 
• Orgãos externos (vulva): monte do 
púbis, grandes e pequenos lábios, 
vestíbulo da vagina, óstio da vagina, 
óstio da uretra, clitóris e hímen. 
Monte do púbis - é uma massa de tecido 
subcutâneo adiposo localizado 
anteriormente à sínfise púbica. A pele 
sobre o monte pubiano é coberta de 
pelos pubianos. 
Grandes lábios - Os grandes lábios são 
duas dobras cutâneas longitudinais 
cobertas por pelos pubianos. Eles são a 
parte mais lateral da vulva, estendendo-
se desde o monte pubiano até o períneo. 
A fenda entre os grandes lábios é 
chamada de fenda da vulva ou rima do 
pudendo. Contém os pequenos lábios e o vestíbulo. Os dois grandes lábios fundem-se anteriormente 
(comissura anterior) e posteriormente (comissura posterior). Os grandes lábios são homólogos ao 
escroto no sexo masculino. 
Pequenos lábios - Os pequenos lábios são duas dobras cutâneas longitudinais, finas e sem pelos, 
encontradas entre os grandes lábios. Eles cercam o vestíbulo vaginal e seus orifícios uretral e 
vaginal. Os pequenos lábios contribuem para a formação do prepúcio e do frênulo do clitóris. 
Clitóris - O clitóris é um órgão erétil responsável pelas sensações sexuais. É análogo ao pênis 
masculino. Localizado na parte mais superior do vestíbulo vulvar, o clitóris é circundado pela parte 
anterior dos pequenos lábios. O corpo é composto por dois corpos cavernosos. 
• Mamas: estruturas constituídas de tecido glandular, conjuntivo e adiposo. Possuem importante 
inervação sensorial e motora envolvida na lactação, vasos sanguíneos e linfáticos. As glândulas 
mamárias são glândulas 
sudoríparas apócrinas 
modificadas. Elas 
possuem uma estrutura 
dinâmica, o que significa 
que a sua anatomia 
muda dependendo da 
idade da mulher, fase do 
ciclo menstrual e status 
reprodutivo. As 
glândulas são ativas na 
mulher adulta após o 
parto (período 
puerperal). Neste 
período, o hormônio hipofisário conhecido como prolactina estimula a produção de leite pela 
glândula, enquanto o hormônio hipotalâmico chamado oxitocina estimula a ejeção do leite através do 
mamilo. Fora do período puerperal as glândulas são menos abundantes, com a maior parte do tecido 
mamário preenchida por tecido adiposo. A glândula é composta por 15 a 20 lobos secretores, que são 
separados por bandas fibrosas. Estas bandas fibrosas são chamadas de ligamentos suspensores da 
mama. Os lobos contêm numerosos lóbulos, que consistem em glândulas tubuloalveolares. Os ductos 
secretores dos lobos, chamados de ductos lactíferos, convergem e se abrem no mamilo. Cada ducto 
lactífero se dilata em um seio lactífero antes de se abrir no mamilo. 
A anatomia dos mamilos é ajustada para auxiliar na função da mama. Eles são cercados por uma 
região circular de pele pigmentada, chamada de aréola, que se torna ainda mais pigmentada e 
proeminente durante a puberdade. A aréola demonstra pequenas elevações pontuais em sua 
superfície, que são produzidas pelas muitas glândulas areolares. Estas são em sua maioria glândulas 
sudoríparas e sebáceas, bem como glândulas mamárias modificadas, chamadas de glândulas de 
Montgomery. Elas produzem uma secreção antimicrobiana que protege a superfície da aréola. 
• Hormônios sexuais femininos: