A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
INTRODUÇÃO , FUNÇÃO E ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Pré-visualização | Página 3 de 5

pelo Presidente da República e por ele nomeados, após 
aprovação pelo Senado Federal. 
QUADRO RESUMO: 
Características das agências reguladoras 
⇒Maior autonomia em relação à Administração Direta 
⇒Dirigentes possuem mandato fixo por período determinado pela lei da instituição. 
⇒Previsão de quarentena para os dirigentes que se desligam da agência reguladora. 
⇒Interposição de recuso hierárquico impróprio no Ministério Superior. 
HIPÓTESES DE PERDA DE MANDATO DE DIRIGENTES DE AGÊNCIA 
REGULADORAS. 
OBS: A lei de criação da Agência poderá prever outras condições para a perda do 
mandato 
↓ 
Renúncia 
↓ 
Condenação judicial Transitada em julgada 
↓ 
Decisão definitiva em processo administrativo disciplinar 
Espécies de atividades desempenhadas pelas Agências Reguladoras 
*Poder de Polícia 
*Fomento e fiscalização de atividades privadas 
*Regulamentação e controle de uso de bem público 
*Atividades desempenhadas com o controle de estatal, mas não através de concessão ou 
permissão de serviço público. Ex: ANS 
Regulação, contratação e fiscalização de atividades econômicas, que não englobam 
serviço público, mas atividade econômica em sentido estrito (monopólio flexibilizado, 
como a indústria do petróleo) 
Regulam e controlam atividades que são objetos de concessão e permissão de serviços 
públicos 
Atribuições das Agências Reguladoras 
⇒ fixar regras à prestação dos serviços sob delegação. 
⇒ realizar licitações. 
⇒celebrar contratos. 
⇒controle e intervenção de desempenho das atividades. 
⇒ aplicação de sanções. 
⇒decisão e articulação de medidas para encampação de serviços de interesse público. 
⇒rescisão ou alteração unilaterais de contratos. 
⇒promoção de reversão dos afetados ao serviços ao término do contrato. 
⇒definição de valor da tarifa ou revisão e critérios para reajustes. 
⇒recebimento de reclamações e “denúncias”. 
CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO 
ESPÉCIES EXEMPLOS 
1 - Quanto à origem →federais ANS 
→estaduais ARCE 
→distritais ADASA 
→municipais AGERSA 
2 – Quanto à atividade preponderante 
→Agências de serviços ANATEL 
→Agências de fomento ANCINE 
→Agências de uso de bens públicos ANA 
→ Agências de polícia ANVISA 
3 – Quanto à previsão constitucional 
→Com referência constitucional ANATEL e ANP 
→Sem referência As demais 
4 – Quanto ao momento de criação 
→Agências de segunda geração (1996-1999) ANEEL 
→Agências de segunda geração (2000- 2004) 
ANS →Agência de terceira geração (2005- 2007) 
Agências Executivas 
Autarquias e fundações que por iniciativa da Administração Direta celebram contrato de 
gestão visando a melhoria dos serviços que prestam em troca de uma maior autonomia 
gerencial, orçamentária e financeira. Se trata apenas de uma qualificação dada uma 
autarquia ou fundação que tenha um contrato de gestão com seu órgão supervisor, no 
caso um ministério, cumprindo metas de desempenho, redução de custos e eficiência. 
Assim, para ser uma agência executiva basta apenas uma qualificação dada por um 
Ministro de Estado. Exemplos: Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e 
Qualidade Industrial (Inmetro), a Agência Nacional do Desenvolvimento do Amazonas 
(ADA) e Agência Nacional do Desenvolvimento do Nordeste (Adene). 
Agência Executiva 
Autarquias ou fundações que recebem a qualificação através de um decreto do Poder 
Executivo ou portaria expedida pelo Ministro do Estado Celebração de contrato de 
gestão com Ministério Supervisor, Plano estratégico de reestruturação e 
desenvolvimento institucional, Melhoria da qualidade de gestão e redução de custo, 
Possuem o dobro do limite para contratação direta por dispensa de licitação nos termos 
do art. 24, parágrafo único da Lei de Licitações 
Entidades Paraestatais 
Entidades da sociedade civil, sem fins lucrativos, que desempenham atividades de 
interesse social mediante vínculo formal de parceria com o Estado (Rafael Oliveira). 
Fundamentos da existência do 3º setor: 
A) passagem de uma Adm Pub imperativa para uma Adm Pub consensual – o que 
incrementa parcerias entre Estado e Sociedade. 
B) princípio da subsidiariedade – primazia da sociedade na efetivação dos direitos 
sociais, restringindo-se a atuação direta do estado a casos excepcionais. 
C) fomento – o poder público deve promover incentivo ao exercício das atividades 
sociais pela sociedade. 
 Características comuns: 
São entidades privadas, sem fins lucrativos, instituídas sob forma de fundações 
(privadas) ou associações civis, recebendo qualificação jurídica diferenciada. 
(Rafael Oliveira as denomina como “públicas não estatais”). Pública (executam 
atividades sociais e recebem benefícios públicos); 
Não estatal (não integram a estrutura da administração pública); 
Desse modo: 
 
lucrativa; 
 
 
 
 
As entidades paraestatais (que englobam todas as entidades do 3º setor, conforme Di 
Pietro) possuem diferentes qualificações jurídicas, podendo, inclusive variar de um Ente 
da federação para outro. 
Organizações Sociais 
Não integram a Administração Pública, integram a iniciativa privada mas atuam ao lado 
do Estado, cooperando com ele estabelecendo parcerias com o poder público. São 
pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos criadas por particulares para 
aexecução de serviços públicos não exclusivos do Estado, previstos em lei. A lei 
9637/98 autorizou que fossem repassados serviços de: ensino, pesquisa científica, 
desenvolvimento tecnológico, proteção e preservação do meio ambiente, cultura e 
saúde. 
O instrumento para o repasse é contrato de gestão – art. 37, § 8º (é um contrato diferente 
já que o contrato de gestão se celebra entre a Administração direta e a indireta), 
dispensa licitação como acontece em todos os outros casos de transferência de serviço 
público (o arrt. 24, inciso XXIV, da Lei 8666/93, possibilita a dispensa de licitação para 
a celebração de contratos de prestação de serviços com as organizações sociais, 
qualificadas no âmbito das respectivas esferas de governo, para atividades contempladas 
no contrato de gestão). 
Podem receber: dotações orçamentárias, bens públicos através de uma permissão de 
uso, recebem servidores públicos. 
São requisitos específicos para que as entidades privadas se habilitem à qualificação 
como organização social: 
I - comprovar o registro de seu ato constitutivo, dispondo sobre: 
a) natureza social de seus objetivos relativos à respectiva área de atuação; 
b) finalidade não-lucrativa, com a obrigatoriedade de investimento de seus excedentes 
financeiros no desenvolvimento das próprias atividades; 
c) previsão expressa de a entidade ter, como órgãos de deliberação superior e de 
direção, um conselho de administração e uma diretoria definidos nos termos do estatuto, 
asseguradas àquele composição e atribuições normativas e de controle básicas previstas 
nesta Lei; 
d) previsão de participação, no órgão colegiado de deliberação superior, de 
representantes do Poder Público e de membros da comunidade, de notória capacidade 
profissional e idoneidade moral; 
e) composição e atribuições da diretoria; 
f) obrigatoriedade de publicação anual, no Diário Oficial da União, dos relatórios 
financeiros e do relatório de execução do contrato de gestão; 
g) no caso de associação civil, a aceitação de novos associados, na forma do estatuto; 
h) proibição de distribuição de bens ou de parcela do patrimônio líquido em qualquer 
hipótese, inclusive em razão de desligamento, retirada ou falecimento de associado ou 
membro da entidade; 
i) previsão de incorporação integral do patrimônio, dos legados ou das doações que lhe 
foram destinados, bem como dos excedentes financeiros decorrentes de suas atividades, 
em caso de extinção ou desqualificação, ao patrimônio de outra organização social 
qualificada no âmbito da União, da mesma área de atuação, ou ao patrimônio da União, 
dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios, na proporção dos recursos e bens 
por estes