A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
73 pág.
liderança e formaçao de equipes

Pré-visualização | Página 3 de 11

exploradas ao longo da escala apresentada no gráfico.
Após o desenvolvimento das teorias comportamentais surgem as abordagens relacionadas às teorias contingenciais.
Teorias dos aspectos contingenciais/situacionais
Segundo as teorias contingenciais, a liderança é um fenômeno que depende do líder, dos liderados (do grupo) e da situação organizacional. Esse enfoque busca determinar o comportamento que o líder deve assumir para atingir o maior grau de eficácia em cada situação. Dois modelos se destacam.
· Modelo contingencial ou do comportamento de Fiedler. Esse modelo foi elaborado a partir da identificação do modelo de liderança e da personalidade do líder por meio do LPC (Least Prefered Coworker – companheiro de trabalho menos preferido), e da definição da situação. Para Fielder (1967), três fatores situacionais determinam a eficácia da liderança.
·  Relações líder-membro, ou seja, o grau de segurança, confiança e respeito que os subordinados têm por seu líder.
· Situação da tarefa, que pode ser estruturada ou desestruturada. 
· Poder da posição, isto é, o grau de influência que o líder tem sobre as variáveis de poder.
Modelo situacional de Hersey e Blanchard (quatro estilos de liderança). Hersey e Blanchard definem liderança como o processo de influenciar as atividades de um indivíduo ou de um grupo. Para eles o líder deve adequar seu estilo de liderança de acordo com a situação, as necessidades e grau de maturidade dos liderados. O modelo elaborado por eles mostra a necessidade de resiliência do líder, considerando que resiliência é a qualidade que permite a um líder conformar seu comportamento a uma situação enfrentada, ou seja, modificar seu estilo e forma de atuação a cada situação para conseguir a melhor produtividade e a mais rápida evolução dos subordinados (Hersey; Blanchard, 1986). A escolha da forma de atuação e do estilo comportamental mais adequado depende da avaliação da maturidade profissional e psicológica do líder e dos liderados.
 
Liderança e Formação de Equipes /
A evolução do conceito de Gestão e de Liderança (Liderança E Formação De Equipes)
1
2
3
4
O que caracteriza a liderança situacional?
a
Os estilos de liderança podem ser agrupados segundo diferentes estilos comportamentais.
b
A ideia de que a liderança era exercida por chefes natos, homens geniais destinados a exercer profunda influência na sociedade.
c
O líder deve adequar seu estilo de liderança de acordo com a situação, as necessidades e grau de maturidade dos liderados.
d
Os estilos de lideranças não podem ser definidos pois dependem da personalidade do líder.
e
Todas as anteriores.
Liderança e Formação de Equipes /
A evolução do conceito de Gestão e de Liderança (Liderança E Formação De Equipes)
1
2
3
4
Qual é o papel do líder?
a
É a gestão do “bom uso do Conhecimento”.
b
É mobilizar as pessoas para as Mudanças.
c
É ajudar a criar o “novo”.
d
É saber avaliar, conhecer para reter os melhores.
e
Todas as anteriores.
Liderança e Formação de Equipes /
A evolução do conceito de Gestão e de Liderança (Liderança E Formação De Equipes)
1
2
3
4
Como definir a tarefa da liderança?
a
Liderar é influenciar pessoas para que desenvolvam motivação para fazer o que deve ser feito com vontade e com o máximo de seu potencial para atingir os objetivos compartilhados fixados.
b
Liderar é organizar o trabalho dos demais membros de um grupo.
c
É controlar como as tarefas são executadas pelos demais membros de um grupo.
d
Liderar é impor suas idéias e formas de atuação aos demais membros de um grupo.
e
Nenhuma das anteriores.
Estranhou esse gabarito?
Liderança e Formação de Equipes /
A evolução do conceito de Gestão e de Liderança (Liderança E Formação De Equipes)
1
2
3
4
Descreva em poucas palavras a diferença entre liderança e gerenciamento.
a
Insira aqui sua resposta.
 Estranhou esse gabarito?
Beatriz Martelote
sugeriu uma solução
Liderar é a habilidade de lidar e administrar pessoas. Já administrar é cuidar de recursos tecnológicos, materiais, físicos, financeiros; lidar com papéis, coisas, processos.
1. A Marca da Liderança
2. 
A empresa é todo o conjunto visto e percebido pelo mercado por sua atuação, sua imagem, suas marcas, o atendimento aos clientes, a rentabilidade, os dividendos, o posicionamento, o estilo de liderança, além, é claro, de seus produtos e serviços. Dessa maneira, a imagem da marca dos produtos ou serviços acaba associada à imagem da própria empresa. Ao longo do tempo, a empresa, a sua marca ou a liderança assumem uma significação simbólica. Esse significado relacionado com a imagem passa a representar a empresa. As empresas, conscientemente ou não, constroem uma imagem coerente. Um dos fatores-chave para a construção de uma imagem de marca e de empresa é sua liderança. E vice-versa. Uma liderança deve se adequar, ser coerente e representativa. A marca da liderança tem de ser a mesma marca da empresa. 
A Marca da Liderança deve ser capaz de diferenciar líderes de diversas organizações e refletir a marca da empresa. E cabe ao líder transmitir a mensagem que a empresa quer passar para os seus associados, clientes e acionistas. Quando uma instituição consegue fixar sua identidade na mente do cliente, as expectativas que fluem desta identidade precisam se tornar reais para os empregados, por meio de políticas e com base na cultura da empresa. Dessa forma, os líderes de todos os níveis devem transferir a identidade do cliente para as ações de liderança. Para Ulrich e Smallwood (2009), todo líder tem a responsabilidade de estabelecer uma marca de liderança que sirva como orientação para o comportamento dos empregados e a forma de atuação e identidade dos líderes.
0. O código da liderança
1. 
Parte do sucesso de uma liderança deve-se ao que Ulrich, Smallwood e Sweetman (2009) chamam de código. Segundo eles, existem cinco atividades que todos os líderes devem saber fazer bem; estratégia; execução; avaliar pessoas com talento; desenvolver o capital humano, e ter proficiência pessoal.
A maioria das regras e características é comum a todos os líderes eficientes e corresponde, em média, a dois terços das competências necessárias, constituindo uma espécie de código da liderança, como um código DNA. O terço restante, que é o diferencial, pode e deve variar conforme a estratégia, o momento e as expectativas da empresa, incluindo os requisitos de cada negócio ou tarefa. Os diferenciadores da liderança são os elementos ou aspectos da liderança que são alinhados de forma única para atender aos clientes e investidores de uma empresa. São os pontos customizados que um líder deve desenvolver de acordo com particularidades que existem em sua organização, mas não necessariamente estão presentes em outras organizações. 
As regras e características comuns do código da liderança estão estruturadas em duas dimensões: o tempo e o foco. A dimensão do tempo considera a necessidade do líder pensar e agir a curto e longo prazo. Em todos os casos, os líderes têm de fazer escolhas, planejar o futuro, definir uma visão estratégica, a missão, as metas, os planos e objetivos. Precisam criar imagens positivas, otimistas e confiáveis do futuro.  Ao mesmo tempo, devem estabelecer a relação entre o projeto do futuro e as ações necessárias do presente.
Em paralelo, os líderes eficazes precisam trazer o foco e a atenção para as pessoas, valorizando suas habilidades e competências, além de gerenciar e desenvolver talentos.
1. As regras da Liderança – Organização
2. 
Regra 1: prepare o futuro, seja um estrategista
É a dimensão estratégica. Um líder estrategista precisa não só “imaginar e criar o futuro”, mas também transmitir essa visão a quem está ao seu redor e conseguir convencê-los a colaborar. Líderes testam modelos, projetam cenários, avaliam recursos e definem uma visão de futuro, além de posicionar e estruturar a empresa e seus profissionais para enfrentarem com sucesso esse futuro. Para isso o líder precisa:
· Ficar atento e vigilante a tudo o que acontece;
· Atrair os melhores talentos;
· Engajar todos na busca do atendimento;
· Criar uma