A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
RELATÓRIO PRODUÇÃO GRÁFICA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Centro Universitário Carioca 
 Unidade Rio Comprido 
 
 
 
Relevografia, Encavografia, Permeografia, Planografia e Processos Digitais 
 
 
 
 
 
Nome: Camila Machado da Silva Nonato 
Curso: Design 
Aula: Produção Gráfica 
Prof: Geraldo Luiz 
 
 
 
 
 
 
Rio de Janeiro 
 2020 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Resumo 
Esta pesquisa objetivou na análise e classificação dos diferentes processos de impressão, 
citando, relevografia, encavografia, permeografia, planografia e processos digitais e 
dissertando sobre o seu funcionamento e benefícios na sociedade. Detalhando neste 
trabalho, o passo a passo do funcionamento desta impressão, e como surgiu todo esse 
trabalho que ao longo do tempo foi se tornando tão importante e primordial no nosso 
cotidiano. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Introdução 
Quando desenvolvemos um projeto gráfico, seja pessoal ou profissional, é importante 
atentar-se à qualidade e o método de impressão que utilizamos, assim o layout é valorizado 
e transmite a mensagem de maneira eficiente. Porém, de modo mais importante, antes de 
iniciar o desenvolvimento do projeto, o sistema de impressão mais adequado, levando em 
consideração o tipo de papel, cores e acabamentos utilizados. Os processos de impressão são 
definidos pela forma como ocorre a transferência dos elementos gráficos para o papel e são 
classificados em diretos e indiretos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
https://www.printi.com.br/blog/etapas-da-producao-grafica-no-processo-de-impressao
 
 
 
 
 
Tema 
Quando um projeto gráfico deve ser impresso em uma impressora comercial, será muito 
importante definir, antes mesmo do início do projeto enquanto arquivo digital, qual será o 
sistema de impressão e o tipo de papel em que esse projeto será impresso. 
Para discutir estas questões deve-se expor as características principais do projeto (tiragem, 
tamanho final, número de cores etc.), para que ela possa auxiliá-lo numa escolha mais 
adequada do sistema de impressão e tipo de papel. Porém, para isso deve-se analisar cada 
tipo de impressão e qual se encaixa melhor com o resultado desejado. 
Antigamente, o processo de impressão que abriu portas para muitas outras tecnologias e o 
mais utilizado era a Relevografia, também conhecido como processo tipográfico, que utilizava 
chapas de metal, geralmente aço ou cobre, gravada em oco e entintadas nas partes 
escavadas, produzindo imagens e textos em relevo. Este processo foi o mais utilizado na 
época que tão desenvolvido por outros tipógrafos que a partir dele tivemos a capacidade de 
obter ainda mais informação. 
Em contraste com o processo anterior, a Encavográfia que utiliza mecanismo contrário ao da 
Relevografia, que é usada uma matriz em baixo relevo. Os elementos que serão impressos 
são formados por sulcos em baixo relevo na matriz, que armazenam a tinta que será 
transferida para papel ou outro suporte mediante pressão. A gravação é produzida por uma 
ponta de diamante que grava em vibração os impulsos recebidos pelo RIP (equipamento ou 
software responsável por converter imagens em linguagem legível pelas impressoras) sobre 
uma chapa ou cilindro. 
Podemos analisar também a Permeografia, uma impressão realizada com uma matriz 
permeável. É de impressão direta, suas tintas têm uma densidade menor que as de impressão 
off-set. As tintas são aplicadas em uma tela de poliéster ou seda com fios muito finos, esticada 
em um bastidor de madeira, alumínio ou aço. A "gravação" da tela se dá pelo processo de 
fotossensibilidade onde a matriz preparada com uma emulsão fotossensível é colocada sobre 
um fotolito, sendo este conjunto matriz+fotolito colocados por sua vez sobre uma mesa de 
luz. Os pontos escuros do fotolito correspondem aos locais que ficarão vazados na tela, 
permitindo a passagem da tinta pela trama do tecido, e os pontos claros (a luz passará pelo 
fotolito atingindo a emulsão) são impermeabilizados pelo endurecimento da emulsão 
fotossensível que foi exposta a luz. Cada cor impressa significa uma nova impressão na 
Permeografia, sendo assim uma tinta diferente e uma tela diferente. 
Atualmente, as impressões em offset e digitais são as mais utilizadas por sua versatilidade e 
rapidez em resultados. Eles são chamados de processo planográfico cuja essência consiste em 
repulsão entre água e gordura (tinta gordurosa). Todo o processo acaba tornando alto o custo 
da impressão, mas este custo acaba dissolvido devido a sua grande tiragem. Hoje em dia, com 
as novas tecnologias, os processos analógicos já não são mais tão utilizados, dando lugar aos 
CTP's, que agilizam o processo e geram menos material, como fotolito etc. 
 
https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Planografia&action=edit&redlink=1
https://pt.wikipedia.org/wiki/Repuls%C3%A3o
https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81gua
https://pt.wikipedia.org/wiki/Gordura
https://pt.wikipedia.org/wiki/Custo
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fotolito
 
 
 
 
 
 
 
Referências 
https://blog.revendakwg.com.br/destaque/tipos-de-impressao/ 
https://www.guiadografico.com.br/artigos/como-escolher-por-um-processo-de-impressao 
https://www.expoprint.com.br/pt/impressao-offset 
https://www.impressorajato.com.br/a-producao-grafica-e-seu-processo-de-impressao 
 
https://blog.revendakwg.com.br/destaque/tipos-de-impressao/
https://www.guiadografico.com.br/artigos/como-escolher-por-um-processo-de-impressao
https://www.expoprint.com.br/pt/impressao-offset
https://www.impressorajato.com.br/a-producao-grafica-e-seu-processo-de-impressao

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.