A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Reações de hipersensibilidade

Pré-visualização | Página 1 de 2

AT 7 Mecanismos de hipersensibilidades 
Objetivos de Aprendizagem: 
1. Conceituar hipersensibilidade; 
Os distúrbios causados por respostas imunes são chamados de hipersensibilidade. As respostas 
são, algumas vezes, controladas de maneira inadequada, inapropriadamente direcionadas aos 
tecidos do hospedeiro ou desencadeadas por microrganismos comensais ou antígenos 
ambientais, os quais geralmente são inofensivos. Nestas situações, a resposta imune, 
normalmente benéfica, torna-se a causa da doença. 
Autoimunidade: reações contra antígenos próprios. A falha dos mecanismos normais de 
autotolerância resulta em reações contra as próprias células e tecidos. 
Reações contra microrganismos: As respostas imunes contra antígenos microbianos podem 
causar doença se as reações forem excessivas ou se os microrganismos forem anormalmente 
persistentes. As respostas das células T contra microrganismos persistentes podem dar origem 
a uma inflamação grave, algumas vezes, com a formação de granulomas; esta é a causa da 
lesão tecidual observada na tuberculose e algumas outras infecções crônicas. Se forem 
produzidos anticorpos contra antígenos microbianos, eles podem se ligar aos antígenos para 
produzir imunocomplexos, que se depositam nos tecidos e desencadeiam inflamação. 
Reações contra antígenos ambientais (Alergias): 20% da população é anormalmente 
responsiva a uma ou mais destas substâncias. Esses indivíduos produzem anticorpos 
imunoglobulina E (IgE) que causam doenças alérgicas (Cap. 20). Alguns indivíduos tornam-se 
sensibilizados a antígenos ambientais e substâncias químicas, que, em contato com a pele, 
desenvolvem reações de células T que levam à inflamação mediada por citocinas,resultando 
em sensibilidade de contato. 
2. Classificar os mecanismos de hipersensibilidade; 
 
A hipersensibilidade imediata (hipersensibilidade do tipo I), causada por anticorpos IgE 
específicos para antígenos ambientais. São as chamadas alergias, resultante da ativação de 
células T auxiliares produtoras de IL-4, IL-5 e IL-13, classicamente denominadas células TH2, 
onde as células T estimulam a produção de anticorpos IgE e a inflamação. 
A hipersensibilidade do tipo II: Os anticorpos IgG e IgM podem causar lesão tecidual por meio 
da ativação do sistema complemento, recrutando células inflamatórias e interferindo nas 
funções celulares normais. Alguns desses anticorpos são específicos para antígenos de 
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Caixa de texto
Cél Th2, mastócitos,basófilos,eosinófilos
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Caixa de texto
possui três mecanismos: 1- os anticorpos que se ligam aos antígenos de superfície celular (opsonização direta ou por meio do complemento), depois fagocitose 2- recrutamento dos neutrófilos e macrófagos 3- mecanismo é uma ligação direta com os receptores (disfunção celular)
Ísis Pimentel
Caixa de texto
Autoimunidade ou reação cruzada
Ísis Pimentel
Caixa de texto
Locais
determinadas células ou da matriz extracelular e são encontrados ligados a essas células ou 
tecidos ou como anticorpos livres na circulação. 
A hipersensibilidade do tipo III: Outros anticorpos podem formar imunocomplexos na 
circulação – de modo que os complexos são subsequentemente depositados nos tecidos, 
particularmente nas paredes dos vasos sanguíneos – e causar lesões. 
A hipersensibilidade do tipo IV: lesão tecidual pode ocorrer em razão dos linfócitos T que 
induzem inflamação ou matam diretamente as células-alvo. Elas são causadas principalmente 
pela ativação de células T auxiliares CD4+, as quais secretam citocinas que promovem a 
inflamação e ativam os leucócitos, especialmente neutrófilos e macrófagos. As células T 
auxiliares também estimulam a produção de anticorpos que danificam os tecidos e induzem a 
inflamação. Os CTLs contribuem para a lesão de tecidos. 
3. Compreender os mecanismos imunopatológicos envolvidos nas reações de 
hipersensibilidade; 
Essa classificação é útil porque diferentes tipos de respostas imunopatológicas mostram 
distintos padrões de lesão tecidual e podem variar em relação à especificidade para o tecido. 
Como resultado, os diferentes mecanismos imunológicos produzem distúrbios com 
características clínicas e patológicas distintas. Como os principais componentes da patologia e 
das manifestações clínicas dessas doenças são os múltiplos mecanismos que podem estar 
envolvidos e a repetição dos ataques de inflamação, eles podem ser, algumas vezes, 
agrupados sob a designação de doenças inflamatórias imunomediadas. 
4. Conhecer alguns exemplos de doenças relacionadas a cada um dos mecanismos de 
hipersensibilidade; 
• Doenças causadas por anticorpos: Doenças mediadas por anticorpos são 
produzidas por anticorpos que se ligam a antígenos em determinadas células ou 
em tecidos extracelulares ou, ainda, por complexos antígeno-anticorpo que se 
formam na circulação e são depositados nas paredes dos vasos 
 
• Doenças Causadas por Anticorpos contra Células Fixas e Antígenos de Tecido: Os 
anticorpos contra os antígenos celulares ou da matriz causam doenças que afetam 
especificamente as células ou tecidos onde esses antígenos estão presentes e, 
frequentemente, essas doenças não são sistêmicas. Os anticorpos que se ligam a 
antígenos da superfície celular podem opsonizar diretamente as células ou ativar o 
sistema complemento,resultando na produção de proteínas do complemento que 
opsonizam as células. Essas células opsonizadas são fagocitadas e destruídas pelos 
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Caixa de texto
Th 1 e Th 17
Ísis Pimentel
Caixa de texto
Antígeno próprio ou estranhos
Ísis Pimentel
Caixa de texto
DEPURAÇÃO INEFICAZ
Ísis Pimentel
Caixa de texto
TARDIA
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Caixa de texto
Tipos: contato,tuberculina e granulomatosa
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Realce
Ísis Pimentel
Caixa de texto
ANEMIA HEMOLITÍCA
Ísis Pimentel
Caixa de texto
MS:mecanismo 3 da HS 2
fagócitos, que expressam receptores para as porções Fc dos anticorpos IgG e 
receptores para proteínas do complemento. Os anticorpos depositados nos tecidos 
recrutam neutrófilos e macrófagos, que se ligam aos anticorpos ou às proteínas do 
complemento ligadas pelos receptores de Fc de IgG e do complemento. Esses 
leucócitos são ativados pela sinalização dos receptores (particularmente receptores de 
Fc) e produtos de leucócitos, incluindo enzimas lisossomais e espécies reativas de 
oxigênio, que são liberados e produzem lesão tecidual. Os anticorpos que se ligam a 
receptores celulares normais ou outras proteínas podem interferir nas funções destes 
receptores ou proteínas e causar doença sem inflamação ou dano tecidual. 
 
• Doenças Mediadas por Imunocomplexos: Os imunocomplexos que causam doença 
podem ser compostos por anticorpos ligados a autoantígenos ou a antígenos 
estranhos. As características patológicas das doenças provocadas por imunocomplexos 
refletem o local de deposição do complexo antígeno-anticorpo e não são 
determinadas pela fonte celular do antígeno. Dessa maneira, as doenças mediadas por 
imunocomplexos tendem a ser sistêmicas e afetar vários órgãos e tecidos, embora 
alguns sejam particularmente suscetíveis, como os rins e as articulações. Os complexos 
antígeno-anticorpo são gerados durante as respostas imunes normais, mas somente 
provocam doença quando são produzidos em quantidades excessivas, não são 
eficientemente eliminados e se depositam nos tecidos. Os imunocomplexos 
depositados nas paredes dos vasos e nos tecidos ativam os leucócitos e mastócitos, 
que, então, secretam citocinas e mediadores vasoativos. Esses mediadores podem 
aumentar a deposição de imunocomplexo nas paredes dos vasos em razão do 
aumento da