A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
TOC

Pré-visualização | Página 1 de 1

Introdução: 
Comportamentos ritualísticos fazem parte da nossa vida diária, como cuidado excessivo 
quando um familiar está doente. 
Conceito: 
Transtorno onde os sintomas envolvem alterações dos pensamentos (preocupações 
excessivas, dúvidas, frases), das emoções (medo, desconforto, aflição, culpa) e do 
comportamento (rituais, repetições, evitações). 
TOC: 
 - Persistência e recorrência de obsessões (não se pode ver, só descobrimos 
quando o paciente fala sobre); 
 - Invadem a consciência; 
 - Desconforto, medo; 
 - Compulsões (é perceptível) ou rituais; 
 - Tempo, duração de 2 semanas (em torno de 1h do dia da pessoa); 
 - Rotina diária, profissional e relações sociais. 
Epidemiologia: 
- Prevalência 2,5% - 4% 
- 1/40 a 50 indivíduos 
- Indivíduos jovens 
- Homens e mulheres sem diferença/crianças acomete mais sexo masculino 
- Indivíduos divorciados, separados e desempregados 
Etiologia: 
- Nada definido ainda 
- Fatores Neurobiológicos: traumatismo, lesões ou infecções 
- Genética: 
• Predisposição genética – 4 a 5 vezes mais chance → familiares de 
primeiro grau; 
• Gêmeos monozigóticos 80%, dizigóticos 50%; 
• Inúmeros genes → pequeno efeito. 
- Disfunção serotoninérgica – estudos de imagem cerebral → excesso de atividade nos 
lobos frontais e gânglios da base/núcleo caudado e putame/tálamo 
- Fatores psicológicos e ambientais: estresse desencadeia sintomas. 
- Atual: imagina-se que TOC englobe série de doenças relacionadas ao comportamento 
repetitivo, mas ainda não há nada concreto. 
Apresentação Clínica: 
Apresenta obsessões e/ou compulsões, onde demanda um certo tempo, ocorrendo 
dificuldades sociais, familiares, profissionais e acadêmica. 
- Heterogêneo: apresentação clínica, à gravidade, curso e à resposta ao tratamento. 
- Evidência de subgrupos: início precoce ou tardio, associado a tiques ou ao T. Tourette, 
à febre reumática. 
Obsessões: 
- Pensamentos, ideias, imagens, frases ou impulsos; 
- Repetitiva e persistentes; 
- Sentida como estranha, imprópria; 
- Desconforto, medo, angústia. 
- Tipos: 
• Sujeira, contaminação; 
• Dúvidas; 
• Simetria, perfeição, exatidão ou alinhamento; 
• Impulsos ou pensamentos de ferir, insultar ou agredir pessoas; 
• Sexo ou obscenidades; 
• Preocupação com doenças ou com o corpo; 
• Religião (pecado, culpa, sacrilégios); 
• Pensamento mágico (números, cores). 
Compulsões: 
- Comportamentos ou atos; 
- Voluntários e repetitivos; 
- Minimizar sofrimento; 
- Regras. 
- Tipos: 
• Lavagem ou limpeza; 
• Verificações; 
• Repetições e confirmações; 
• Ordem, arranjo, simetria, alinhamento; 
• Rezar, repetir palavrões; 
• Tocar, olhar, confessar. 
As obsessões mais comuns são relacionadas a sujeira e/ou contaminação, as de simetria 
e os pensamentos de conteúdo mágico, agressivo ou sexual. 
Rituais diversos como compulsão por lavagens excessivas, verificações ou repetições e 
compulsão por alinhamentos. 
“Tenho muitas dúvidas, repetindo várias vezes a mesma tarefa ou pergunta para ter 
certeza de que não vou errar.” 
“Me preocupo demais com a ordem, simetria ou alinhamento das coisas, fico 
ansioso/aflito quando algo está fora do lugar.” 
“Preciso fazer coisas de forma repetitiva e sem sentido, como voltar um caminho, 
tocar.” 
Diretrizes Diagnósticas CID-10 
- F 42: Sintomas obsessivos, atos compulsivos ou ambos devem estar presentes na 
maioria dos dias por pelo menos duas semanas consecutivas e ser uma fonte de angústia 
ou de interferência com as atividades. 
Os sintomas obsessivos e compulsivos podem e devem ter as seguintes características: 
a) Eles devem ser reconhecidos como pensamentos ou impulsos do próprio 
indivíduo; 
b) Deve haver pelo menos um pensamento ou ato que é ainda resistido, sem 
sucesso, ainda que possam estar presentes outros aos quais o paciente não resiste 
mais; 
c) O pensamento de execução do ato não deve ser em si mesmo prazeroso (o 
simples alívio de tensão ou ansiedade não é, nesse sentido, considerado como 
prazer); 
d) Os pensamentos, imagens ou impulsos devem ser desagradavelmente 
repetitivos. 
- F 42.0 – Predominantemente pensamentos obsessivos ou ruminações; 
- F 42.1 – Predominantemente atos compulsivos (rituais obsessivos); 
- F 42.2 – Pensamentos e atos obsessivos mistos. 
Curso e Prognóstico 
- Crônico; 
- Interferência família; 
- 7 anos entre o início dos sintomas e tratamento; 
- Pode ser controlado, não curado; 
- 10% deterioração qualidade de vida; 
- Gravidade varia de leve até grave; 
- Diminuição capacidade funcional, perda de emprego, separação conjugal, e perda dos 
relacionamentos interpessoais. 
Comorbidades 
- Transtorno Depressivo; 
- Fobia social; 
- Fobia específica; 
- Abuso de álcool; 
- Transtorno do pânico; 
- Transtornos alimentares; 
- Transtorno de Tourette. 
Diagnóstico Diferencial 
- Fobia Social; 
- Fobia Específica; 
- Transtornos do controle de impulsos; 
- Hipocondria; 
- Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsiva; 
- Tiques. 
Tratamento: 
- Tricíclico (antidepressivo): Clomipramina 100-300 mg/dia (geralmente paciente 
TOC responde a doses altas → efeitos colaterais – boca seca, aumento de peso, intestino 
ressecado, fissura anal por dificuldade para defecar) 
- Inibidores seletivos da recaptação de serotonina: Fluvoxetina 100-300 mg/dia 200 
mg/dia; Fluoxetina 20-80 mg/dia 50 mg/dia; Sertralina 50-250 mg/dia 150mg/dia; 
Paroxetina 20-60 mg/dia 50 mg/dia; Citalopram 20-60 mg/dia 50 mg/dia. 
- Sintomas OC graves; 
- Comorbidades; 
- Ausência insight e/ou convicções delirantes; 
- Recusa de buscar auxílio com TCC; 
- Monoterapia ISRSs; 
- Aumento da dose medicação em uso; 
- Trocar ISRSs por ISRSs 
- Trocar ISRSs por Clomipramina; 
- Associação clomipramina com ISRSs; 
- Potencialização com AP; 
- TERAPIA COGNITIVA COMPORTAMENTAL 
• Sintomas leves a moderados; 
• Não adere tto medicamentoso; 
• Efeitos colaterais; 
• Gestação.