A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
92 pág.
DISJUNTOR SF6

Pré-visualização | Página 6 de 10

medição no mínimo duas 
vezes. 
 
- Transferir sucessivamente o 
equipamento de medição para o polo 
“b” e depois para o polo “c” e medindo 
XbO e XcoO 
 
- Repetir as medições no mínimo duas 
vezes. Registrar os valores no relatório. 
 
Os valores Xao, Xbo e Xco devem ser 
registrados no relatório final de montagem 
e na plaqueta do mecanismo de operação 
70.00 prevendo futuras avaliações do 
estado dos contatos de arco 
 
- Remover o dispositivo de fechamento 
lento W37 e montar o teto e painéis 
laterais do armário do mecanismo de 
operação 70.00 (veja o parágrafo 
fechamento do armário do mecanismo 
de operação do capítulo “montagem do 
sistema de supervisão do gás”. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fig. 1
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/45 
COLOCAÇÃO EM SERVIÇO 
 
Controle dos pontos de atuação do 
densímetro. 
 
Este controle deverá ser feito ao menos 3 
horas após o enchimento do gás. Proceder 
conforme capítulo “Manutenção - Controle 
do estado do disjuntor”. 
 
Controle da estanqueidade 
 
Verificar a estanqueidade de todas as 
partes novas montadas ou que tenham sido 
abertas, por meio de detetor de fuga W51. 
Efetuar as operações de controle final de 
acordo com o relatório de fim de 
montagem fornecido juntamente com o 
disjuntor dentro do armário do mecanismo 
de operação 70.00. 
 
Após preencher o relatório de fim de 
montagem, enviar uma cópia deste à 
ALSTOM T&D LTDA 
 
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/46 
COLOCAÇÃO EM SERVIÇO 
 
Montagem dos terminais de alta tensão 
 
- Limpar as superfícies de contato dos 
terminais, removendo a película ou 
cobertura protetora. 
 
Fig. 1 
 
- Aplicar uma fina camada de graxa 
protetora para limpar as superfícies de 
contato (A) em alumínio sem 
revestimento remover por 
movimentação em cruz com escova de 
aço (B) apropriada (espessura de fios de 
ao menos 0,3mm), lixa ou lima grossas, 
a camada de oxidação das superfícies 
de contato. As superfícies de contato 
devem permanecer planas, 
apresentando ligeira rugosidade 
 
- A fim de evitar a formação de uma nova 
camada de óxido, aplicar, 
imediatamente, uma fina camada de 
graxa sobre as partes de contato com 
um pano. 
 
Fig. 2 
 
- Aplicar uma fina camada de L..-62 nos 
parafusos S, arruelas U e porcas M. 
 
- Fixar os terminais K, previamente limpos 
e levemente engraxados, às superfícies 
de contato do disjuntor apertando os 
parafusos firmemente. 
 
Os terminais de alumínio do usuário 
deverão ser tratados da mesma maneira 
que as superfícies de contato do disjuntor. 
 
 
 
 
 
Fig. 1
Fig. 2
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/47 
OPERAÇÃO 
 
Informações importantes para o 
mecanismo de operação à mola pré-
carregada: 
 
- Aquecimento do mecanismo de 
operação: Ligar a resistência de 
aquecimento do mecanismo de 
operação, tão logo seja possível, após a 
montagem do disjuntor. 
O aquecimento deverá permanecer 
ligado o tempo todo, para prevenir 
contra condensação de umidade e 
consequente avaria por corrosão. 
 
- Lubrificação: 
Não há exigência de lubrificação 
complementar! 
Os mancais anti-fricção e rolamentos 
suporte são montados em nossa fábrica, 
com aplicação de graxa especial; esta 
graxa tem uma propriedade de baixa 
temperatura excepcionalmente boa e 
alta estabilidade contra envelhecimento. 
Para assegurar-se destas propriedades 
na operação, não faça nada por conta 
própria, tal como: 
 
- Misturar com outro tipo de graxa; 
 
- Usar óleo para lubrificação 
complementar; 
 
- Borrifar os componentes do mecanismo 
com óleo inibidor de ferrugem ou outro 
óleo lubrificante. 
 
Esta graxa tende fortemente a se resinificar, 
se misturada com outros lubrificantes. 
 
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/48 
MANUTENÇÃO 
 
Critérios de Manutenção 
 
O disjuntor FX 11 não necessita muitos 
serviços de manutenção. 
Os critérios de inspeção e de revisão 
indicados, referem-se a disjuntores 
operando sob condições normais e, 
portanto, devem ser considerados somente 
como valores padronizados. 
 
 
Tipo de 
Inspeção 
Periodicidade Qualificação do 
Pessoal 
Abertura do 
compartimento 
de gás 
Disjuntor fora 
de Operação 
Controle visual 
 
Uma vez por ano 
 
Pessoal operador 
 Não Não 
Controle e estado 
do disjuntor 
A cada quatro ou 
seis anos 
Pessoal operador 
 Não Sim (2) 
Inspeção 
A cada 8 ou 10 
anos (1) ou após 
2500 manobras 
Fabricante ou 
pessoal operador 
especializado 
Não Sim (2) 
Revisão 
Vide capítulo 
“Critérios para 
revisão” 
Fabricante ou 
pessoal operador 
especializado 
Sim Sim (2) 
 
(1) Condições ambientais corrosivas ou temperaturas ambientais extremas podem reduzir à 
metade os intervalos indicados. 
(2) Vide capítulo “Medidas de Segurança”. 
 
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/49 
MANUTENÇÃO 
 
Medidas de Segurança 
 
Para o controle visual não são necessárias 
medidas preparatórias. 
Para o controle de estado do disjuntor 
inspeção e qualquer serviço de 
manutenção, as seguintes medidas 
preliminares devem ser tomadas: 
 
- Desenergizar e aterrar o disjuntor. 
 
- Interromper o circuito de comando do 
motor 70.04 (pela abertura de bornes 
secionadores). 
 
- Verificar se a pressão de gás do pólo do 
disjuntor não está abaixo da pressão 
mínima de operação PG (Vide capítulo 
“Enchimento de gás SF6”). Se a pressão 
estiver abaixo deste valor, nenhuma 
interrupção mecânica para descarregar 
a mola de ligamento 70.02 e a de 
desligamento 40.04 será permitida. 
 
- Descarregar a mola de ligamento 70.02 
e a de desligamento 40.04, pelas 
alavancas 70.27 e 70.28 do mecanismo 
de operação 70.00, conforme segue: 
a) disjuntor na posição fechado: 
abertura, fechamento, abertura. 
b) Disjuntor na posição aberto: 
Fechamento, abertura 
- Verificar se as sinalizações visuais do 
mecanismo de operação 70.00 são 
reconhecíveis (símbolos padronizados): 
 
Fig. 1 
 
Disjuntor na posição aberto (A) 
 
Mola de ligamento descarregada (B) 
 
- Assegurar-se que mais nenhuma 
operação seja possível através de 
alavancas 70.27 e 70.28 do mecanismo 
70.00. 
 
- Interromper os circuitos de comando 
das bobinas de fechamento e abertura. 
 
 
Fig. 1
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/50 
MANUTENÇÃO 
 
Controle Visual 
 
Atenção: Durante o controle visual, o 
disjuntor poderá estar energizado! 
 
Fig. 1 
 
Isoladores 
 
- Isoladores 20.02 e isoladores suporte 
30.01: controlar a poluição superficial e 
a integridade das porcelanas. 
 
Pressão do gás SF6 
 
- Determinar a pressão de enchimento de 
SF6 (veja capítulo “Determinação de 
pressão de enchimento”) e compare-a 
com a pressão lida no manômetro 
80.03. 
 
Fig. 2 
 
Aquecedor 70.15 
 
- Abrir a porta do armário do mecanismo 
de operação 70.00 e verificar o 
funcionamento do aquecedor 70.15 
(aquecedor permanentemente ligado) 
 
Contador de operações 70.37 
 
- Registrar a contagem lida no contador 
70.37. 
 
 
 
 
Fig. 1
Fig. 1
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/51 
MANUTENÇÃO 
 
Controle de Estado do Disjuntor 
 
Lista de Material 
 
Ofertado pelo fabricante: 
 
- Simulador W41 para ensaio do 
densímetro. 
 
- Chave fixa dupla W42 
 
- Jogo de vedações S-05 da conexão do 
enchimento. 
 
- Pano de limpeza “Kimwipes” S-13 
 
- Lubrificante L..-44 compatível com SF6 
 
- Observar o capítulo “Medidas de 
segurança”. 
 
Controle visual 
 
- Proceder controle visual de acordo com 
o capítulo “Controle Visual”. 
 
Controle dos valores de resposta do 
densímetro 
 
O simulador W41 permite simular os 
valores de pressão S1 e S2, valores de 
resposta respectivos dos contatos de 
sinalização do densímetro 80.01. 
Estas pressões correspondem aos valores S1 
e S2 (com T=20 C, h </=1.000 mm) 
corrigidos pelo valor P. 
P depende da altitude h e temperatura T do 
gás: 
 
S1,2 = S1, 2 (T=20 , h </= 1000m) + P 
 
Determinação do P: 
 
Fig. 1 
 
O conceito de pressão G está marcado no 
densímetro 80.01. 
Valores de pressão S1 e S2 (T=20 , h </= 
1000m): veja capítulo “Enchimento de gás 
SF6” 
 
 
 
 
 
 
Fig. 1
 
 
 
Emissão nº 04 42.020.087P/52

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.