A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
ARQUITETURA EDIFICIOS DE EDUCAÇÃO 2

Pré-visualização | Página 3 de 5

em 1946 (Fonte: REVISTA FISCAL..., 1949) 
: Escola Rural recém inaugurada em Ribeira do
Amparo, Município de Cipó, em 1949 (Fonte:
Arquivo Clemente Mariani, CPDOC/FGV – CMa FOTO
098_9)
Anísio Teixeira e a
organização do
espaço escolar
 
Os cinco modelos, previstos no plano de construções escolares, podem ser
classificados de acordo com seus programas arquitetônicos.
A escola tipo
Mínimo, com duas
salas de aula e
uma sala de ateliê
e oficina,
destinava-se a
regiões com
população escolar
reduzida;
 
Planta baixa e fachadas da Escola
Mínima (Fonte: REVISTA FISCAL..., 1949) : Planta baixa, fachada principal e
maquete da Escola Mínima ampliada, já
com duas classes (Fonte: REVISTA
FISCAL..., 1949)
Anísio Teixeira e a
organização do
espaço escolar
 
A escola tipo
Nuclear ou "escola-
classe" dispunha de
12 salas de aula,
além de locais
apropriados para
administração,
secretaria e
biblioteca de
professores. As
escolas deste tipo,
cnstituídas
exclusivamente de
salas de aula
comuns, devido à
sua finalidade de
ensino, deveriam
ser
complementadas
com as atividades
sociais, oferecidas
no parque escolar,
em um outro prédio
e horário.
Planta baixa e fachada principal da Escola
Nuclear (Fonte: REVISTA FISCAL..., 1949) 
Maquete da Escola Nuclear (Fonte:
REVISTA FISCAL..., 1949)Adicionar um
pouquinho de texto
 Inauguração de Escola Nuclear no
Município de Catu, Bahia, c. 1950
(Fonte: Arquivo Clemente Mariani,
CPDOC/FGV – CMa FOTO 077_15; CMa
FOTO 077_60)
Anísio Teixeira e a
organização do espaço
escolar
 
A escola Platoon de 12
classes era constituída de
seis salas comuns de classe
e de seis salas especiais
(para leitura e literatura,
ciências sociais, desenho e
artes industriais, auditório,
música e recreação e jogos
e ciências). Foi projetada
para atender a esse tipo de
organização escolar, "com
o mínimo de facilidades
para o seu programa
respectivo" (TEIXEIRA, 1935,
p. 201) e, juntamente ao
tipo "nuclear", deveria ter
por centro o parque
escolar na
complementação de suas
atividades;
 
Escola Modelo da Luz, 1893
Grupo Escolar Dom Pedro II, Belo Horizonte,
1920-1930
Grupo Escolar Dom Pedro II, Belo Horizonte,
1920-1930
Anísio Teixeira e a
organização do espaço
escolar
 
A escola Platoon de 25
classes reunia 12 salas
comuns de classe e 12
salas especiais distribuídas
em pares para cada
especialidade, amplo
ginásio e todas as demais
dependências de uma
escola de grandes
proporções. Era um prédio
completo, "com todas as
instalações para o
funcionamento regular"
(TEIXEIRA, 1935, p. 201), e
perfeitamente adequado
ao sistema Platoon.
Anísio Teixeira e a
organização do espaço
escolar
 
A escola tipo Platoon de 16 classes
compunha-se de 12 salas comuns de
classe e de quatro salas especiais
para auditório, música, recreação e
jogos, ciência e ciências sociais. Este
modelo de prédio permitia o
desenvolvimento de um programa de
educação elementar, enriquecido
com o ensino especial de ciências,
artes e recreação. Segundo Teixeira
(1935, p. 201), bastava-se a si mesmo,
"possuindo todas as demais
dependências para o funcionamento
de um verdadeiro instituto de
educação", mas ganharia sobremodo
com o uso do parque escolar;
 
CANTINA SERVIÇOS GERAIS
BIBLIOTECA ATIVIDADES INDUSTRIAIS PAVILHAO DE TRABALHO
RECANTO
 
ATIVIDADES MANUAIS PAVILHAO DE TRABALHO
PATIO INTERNO.
Anísio Teixeira e a
organização do
espaço escolar
 
Toda instituição de ensino funciona como um polo disseminador de
conhecimento. É importante que as pessoas compreendam que a educação
não se trata exclusivamente de alunos, professores e livros – o ambiente
físico também é importante.
A arquitetura escolar é um fator essencial para o bom aprendizado. Mas,
infelizmente, a maioria dos seus prédios têm um projeto genérico, com
poucos valores estéticos.
Melhor comportamento dos alunos e
colaboradores;
Redução dos níveis de bullying;
Construção menos exigente;
Menor custo de manutenção com
instalações físicas.
Algumas vantagens da arquitetura escolar bem
planejada:
 
ARQUITETURA ESCOLAR E O PROCESSO
DE APRENDIZADO NAS ESCOLAS
BRASILEIRAS
Ambientes bem cuidados, limpos, claros, bem
equipados demonstram a valorização da educação
e os usuários respondem com atitudes de
respeito, cuidado e colaboração para a
manutenção.
 
Canuanã: a escola brasileira que ganhou o prêmio
de melhor arquitetura escolar do mundo
 O ano de 2018 trouxe um prêmio importante para aarquitetura escolar brasileira.
Uma reforma inovadora deu a Escola-Fazenda Canuanã o
titulo de “melhor edifício de arquitetura educacional do
mundo”, concedido pela premiação Building of the Year –
realizada pelo ArchiDaily.
Localizada na área rural de Formoso do Araguaia, no
Tocantis, a escola também funciona como um internato e
mantém 830 alunos matriculados.
O arquiteto responsável pelo projeto é Marcelo
Rosenbaum, que trabalhou em parceria com o escritório
Aleph Zero e o Instituto A Gente Transforma.
Marcelo fez um estudo da cultura e valores da região e
procurou resgatar a identidade indígena na obra. Os
materiais utilizados foram o tijolos de adobe, a madeira e a
palha.
Na decoração, foram utilizados quadros com grafismos
indígenas produzidos pelos índios javaés, da aldeia
Kanoanã.
Projeto Espaço Educativo Rural - 1 sala
 
 
O projeto do Espaço Educativo Rural de 1
Sala de Aula destina-se à construção de
escola de um pavimento, a ser
implantada em assentamentos ou
pequenas comunidades rurais nas
diversas regiões do Brasil.
O edifício tem capacidade de
atendimento de até 60 alunos, em dois
turnos (matutino e vespertino), e até 30
alunos em período integral. Foi
considerada como ideal a implantação
dessas escolas em terreno retangular
com medidas de 35m de largura por 25m
de profundidade e declividade máxima de
3%.
 
Projeto Espaço Educativo Rural - 2 salas
 
 
O projeto do Espaço Educativo Rural de 2
Salas de Aula destina-se à construção de
escola de um pavimento, a ser implantada
em assentamentos ou pequenas
comunidades rurais nas diversas regiões
do Brasil.
O edifício tem capacidade de atendimento
de até 120 alunos, em dois turnos
(matutino e vespertino), e 60 alunos em
período integral. Foi considerada como
ideal a implantação dessas escolas em
terreno retangular com medidas de 35m
de largura por 25m de profundidade e
declividade máxima de 3%. 
Projeto Espaço Educativo Urbano e Rural
- 4 salas
 
 
O projeto do Espaço Educativo Rural e
Urbano de 4 Salas de Aula destina-se à
construção de escola de um pavimento,
a ser implantada nas diversas regiões
do Brasil.
O edifício tem capacidade de
atendimento de até 240 alunos, em
dois turnos (matutino e vespertino), e
120 alunos em período integral. Foi
considerada como ideal a implantação
dessas escolas em terreno retangular
com medidas de 80m de largura por
50m de profundidade e declividade
máxima de 3%. 
 
 INFRAESTRUTURA FISICA (ESCOLAR)
Projeto Espaço Educativo Urbano - 12 salas
 
 
O projeto Espaço Educativo Urbano de 12
Salas de Aula destina-se à orientação para a
construção de escola de um pavimento, a ser
implantada nas diversas regiões do Brasil.
O edifício tem capacidade de atendimento de
até 780 alunos, em dois turnos (matutino e
vespertino), e 390 alunos em período integral.
Foi considerada como ideal a implantação
dessas escolas em terreno retangular com
medidas de 80m de largura por 100m de
profundidade e declividade máxima de 3%. 
 
Quadra coberta com vestiário
 
 
O presente projeto destina-se à construção
de Quadra Coberta com Vestiário, a ser
implantada nas diversas regiões do Brasil.
O projeto Quadra Coberta com Vestiário visa
atender à demanda de espaço para práticas
esportivas nas escolas municipais e
estaduais, apresentando área total de 980,40
m² de cobertura, para implantação em
terrenos de 30x41 metros.
 
Quadra coberta e Vestiário - Modelo 2
 
 
O presente projeto destina-se à
construção de uma Quadra Escolar
Coberta e Vestiário, a ser implantada nas
diversas regiões do Brasil.
O projeto visa atender a demanda de
espaço para práticas esportivas nas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.