A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AÇOES CONSTITUCIONAIS

Pré-visualização | Página 1 de 1

PROVA (P2) DE AÇÕES CONSTITUCIONAIS E COLETIVAS – 10º A NOT.
QUESTÃO 1 (2,5 pontos)
Ereculano estava passando férias em Sertãozinho, na casa de sua irmã Eustáquia, 
quando soube que a Prefeitura aumentou absurdamente a tarifa do transporte 
público em desacordo com o que prevê a Lei Orgânica do local. Por essa razão, 
entende que o Poder Judiciário deverá ser instado a se manifestar sobre a decisão 
do Poder Público de Sertãozinho. Responda:
1. Qual a medida processual cabível face ao presente caso narrado?
2. Ereculano é legitimado para a propositura da referida ação? Mesmo que o 
domicílio seja de sua irmã?
1. Ação civil publica (art. 1, III, da Lei 7.347/1985) ou até ADI municipal 
2. Com fulcro no artigo 1, §3º, da lei, Ereculano, poderá ajuizar a ação, mesmo 
que seja eleitor de outro município, tal ação poderá ser feita em qualquer 
seção judiciaria, pois a legitimidade ativa da ação é deferida ao cidadão. A 
condição de eleitor configura meio de prova documental da cidadania.
QUESTÃO 2 (2,5 pontos)
Afonso é jornalista e deseja ter acesso ao extrato de contrato firmado entre a 
Prefeitura e fornecedor de insumos para tratamento de água, uma vez que as 
obrigações contratuais dali constantes já estão sendo praticadas, sem que as 
informações tenham sido publicadas no Diário Oficial. Solicitou à Prefeitura que 
prestasse tais esclarecimentos, o que lhe foi negado sob o argumento de que os 
dados dali constantes não envolvem informações pessoais do próprio jornalista.
1. Qual o instrumento processual a ser proposto?
2. Quem são respectivamente os legitimados ativos e passivos do referido 
instrumento processual?
1. Mandado de segurança individual, nesse caso usa-se tal instrumento 
levando-se em conta que a autoridade publica praticou um ato ilegal ao não 
dar publicidade para as obrigações contratuais, constantes no extrato de 
contrato firmado, que já estavam sendo praticadas, ferindo assim o principio 
da publicidade. Afonso, possui ainda, direito liquido e certo, uma vez que 
solicitou a prefeitura a prestação de tais esclarecimento e a justificativa para a 
negativa ao acesso dos documentos não procede, tendo em vista que trata-se 
de documento publico. (Art. 5º, LXIX, CF).
2. Ativo: afonso; Passivo: prefeitura 
QUESTÃO 3 (2,5 pontos)
Quais são as diferenças entre o mandado de injunção e a ação direita de 
inconstitucionalidade por omissão? Cite, explique e fundamento nos dispositivos 
legais – não é suficiente só citar o dispositivo)
A Ação direta de inconstitucionalidade por omissão é uma forma de controle 
concentrado enquanto o mandado de injunção é controle difuso, ou seja, no caso 
concreto.
Mandado de injunção, positivado no artigo 5º, inciso LXXII, da Constituição e 
disciplinado pela Lei nº 13.300/2016, representa uma virada paradigmática do 
direito publico, se presta a provocar o Poder Judiciário para que, diante da 
omissão legislativa, supra a lacuna técnica que impede o exercício do direito. 
“Conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma 
regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades 
constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à 
cidadania.”
Para que o mandado de injunção seja ajuizado, não se exige imposição 
constitucional de regulamentar a norma, dirigida ao administrador. 
ADO é a ação devida para tornar efetiva norma constitucional em razão de 
omissão de qualquer dos poderes ou de órgão administrativo, poderá ser total ou 
parcial, fundamenta-se no artigo 103, § 2° da CF; A Lei 12.063/2009, que acresceu o 
Capítulo II-A à Lei 9.868/1999, trouxe a disciplina processual para a Ação Direta 
de Inconstitucionalidade por Omissão – ADO.
Podem propor ADO: o presidente da republica, a mesa do senado federal, bem 
como a mesa da câmara dos deputados e a mesa de assembléia legislativa ou da 
câmara legislativa do DF, o governador de estado ou do DF, o procurador geral da 
republica, CFOAB, partido politico com representação no congresso nacional e a 
confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. 
QUESTÃO 4 (2,5 pontos)
A empresa Tudo para a sua Casa Ltda. veiculou propaganda considerada enganosa 
relativa a determinado produto: as especificações eram distintas das indicadas no 
material publicitário. Em razão do anúncio, cerca de duzentos mil consumidores 
compraram o produto. Diante desse fato,
http://www.normaslegais.com.br/legislacao/lei-9868-1999.htm
1. Qual a ação processual a ser proposta?
2. Quem são os legitimados para propositura da respectiva ação?
1. A Associação de Defesa do Consumidor pode propor a ação civil pública.
2. A associação constituída a pelo menos 1 ano e que tenha como uma de suas 
finalidades a defesa do consumidor, é parte legítima para ajuizar ação civil 
pública.  Lei da Ação Civil Pública (Lei 7.347/1985): Art. 5o   Têm legitimidade 
para propor a ação principal e a ação cautelar:
I - o Ministério Público;
II - a Defensoria Pública;
III - a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios;
IV - a autarquia, empresa pública, fundação ou sociedade de economia mista;
V - a associação que, concomitantemente:.
a) esteja constituída há pelo menos 1 (um) ano nos termos da lei civil;
b) inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao patrimônio público e 
social, ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência, 
aos direitos de grupos raciais, étnicos ou religiosos ou ao patrimônio artístico, 
estético, histórico, turístico e paisagístico.
§ 1º O Ministério Público, se não intervier no processo como parte, atuará 
obrigatoriamente como fiscal da lei.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.