A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Introdução Embriologia Veterinária

Pré-visualização | Página 1 de 1

Introdução à 
embriologia 
A embriologia trata da fertilização ao nascimento do feto. 
 
Glossário: 
Ontogenia: desenvolvimento de um organismo do ovo fertilizado até sua forma madura. 
Meiose: consiste em duas divisões celulares meióticas onde o número de cromossomos das células germinativas é 
reduzido à metade do número presente em outras partes do corpo. Esse processo permite uma distribuição aleatória 
de cromossomos maternos e paternos entre os gametas, produzindo uma nova combinação do material genético. 
Mitose: processo onde células eucarióticas dividem seus cromossomos entre duas menores (é uma fase de divisão 
celular). 
Oócito: óvulo 
Concepto: todos os produtos da concepção, incluindo o embrião e suas membranas a partir da fecundação. 
Embrião: corresponde ao estágio inicial do desenvolvimento de um organismo. 
Gametogênese: processo de divisão e diferenciação de células precursoras. 
Espermatogênese: processo de formação e especialização das células sexuais masculinas. (espermatozoides) 
Ovogenêse: processo de formação das células sexuais femininas (óvulos). 
 
A fecundação gera a 
gametogênese, que por sua vez gera 
espermatogênese ou ovogênese. 
Desenvolvimento embrionário 
O desenvolvimento envolve: 
 - multiplicação das células por 
mitose; 
 - diferenciação ou 
especialização celular que modifica o 
tamanho e forma das células que 
compõem os tecidos. 
Embriões de diferentes 
mamíferos, quando comparados 
em diferentes estágios, 
apresentam similaridades. 
Tipos de desenvolvimento: 
Vivíparos: animais se 
desenvolvem dentro do corpo 
da progenitora durante o 
período chamado gestação. 
Ovíparo: animais se 
desenvolvem dentro de um 
ovo no exterior do corpo da 
progenitora. 
Ovovivíparo: animais se 
desenvolvem dentro de um 
ovo no interior do corpo da 
progenitora. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tipos de reprodução: 
 
Assexuada: 
 - ocorre por mitose. 
 - colonização por um só indivíduo; 
 - forma clones a partir de um único indivíduo; 
 - todos podem gerar novos descendentes; 
 - a produção é rápida e de baixo custo energético; 
 
 - não favorece e evolução das espécies (todos possuem o mesmo material); 
 - diversidade quase nula; 
 - não se adapta facilmente a alterações do ambiente. 
 
 
Sexuada: 
 - ocorre por meiose. 
 - descendentes com características diversificadas; 
 - maior capacidade de sobrevivência à mudanças ambientais; 
 - favorece a evolução a novas formas; 
 
 - processo lento; 
 - grande custo energético na formação de gametas e nos processos que 
resultam na fecundação. 
 
A reprodução pode ser: 
 
Externa: processo onde os óvulos e 
gametas são depositados no exterior 
do corpo (típica de peixes e 
anfíbios). 
 
Interna: os gametas se encontram 
dentro do corpo da progenitora. 
• Dimorfismo sexual: quando macho e 
fêmea de uma mesma espécie se 
diferenciam por características 
externas.