Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
VENTRÍCULOS CEREBRAIS

Pré-visualização | Página 1 de 1

VENTRÍCULOS CEREBRAIS 
Locais por onde se armazena, circula e produz o liquor. 
 
V I N I C I U S D A S I L V A S A N T O S - M E D I C I N A - U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E P E R N A M B U C O 
VENTRÍCULOS LATERAIS 
Também conhecidos como primeiro e segundo 
ventrículo. Esquerdo e direito, são estruturas centrais 
no encéfalo em forma de um C curvado, separadas pelo 
septo pelúcido.O ventrículo lateral pode ser dividido 
em: 
• Corno frontal ou anterior: Porção mais anterior e 
superior do ventrículo. 
• Corpo: Região dilatada, a curva do C, banana na TC. 
• Corno temporal ou lateral: Inferior ao frontal, 
conhecido como ventrículos supratentoriais. 
• Corno occipital ou posterior: Pontinha do C, onde 
está a maior quantidade do plexo coróide. 
 Além disso, possuem estruturas importantes: 
• Plexo coróide: Tecido especializado localizado 
no assoalho dos ventrículos responsável pela 
produção do líquido cefalorraquidiano (LCR). 
• Forame interventricular (de Monro): É o canal 
que comunica os ventrículos laterais ao 
terceiro ventrículo. 
 
 
TERCEIRO VENTRÍCULO 
Localizado na linha média do diencéfalo (próximo aos 
tálamos), recebe o líquido dos ventrículos laterais e 
manda para o 4º ventrículo através do aqueduto 
cerebral. 
• Possui íntima relação com o diencéfalo 
(tálamo, hipotálamo, epitálamo). 
• Forame de Monro: Canal de cima, comunica os 
ventrículo laterais com o terceiro. 
• Aqueduto cerebral: Canal inferior, que 
comunica o terceiro ventrículo com o quarto. 
 
QUARTO VENTRÍCULO 
 Localizado na região posterior da ponte, região 
dilatada que recebe liquor do aqueduto cerebral e 
possui dois canais muito importantes: 
• Forame de Magendie: Canal que comunica o 
quarto ventrículo à medula espinhal. 
• Forame de Luschka: Canal que comunica o 
ventrículo espaço subaracnóide, por onde o 
líquor circula no encéfalo. 
 
 
ESPAÇO SUBARACNÓIDE: Espaço entre duas 
membranas aracnóides por onde circula o liquor no 
corpo, inferiormente temos a pia-máter. 
AQUEDUTO 
CEREBRAL 
TERCEIRO 
VENTRÍCULO 
FORAME DE 
MAGENDIE 
QUARTO 
VENTRÍCULO 
FORAME DE 
LUSCHKA 
 
V I N I C I U S D A S I L V A S A N T O S - M E D I C I N A - U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E P E R N A M B U C O 
 
• Granulações aracnoides: Pequenos tufos na 
aracnóide por onde passa o líquor, esses tufos 
estão separados dos seios venosos da dura 
máter por uma camada muito fina, o que 
permite a filtragem do liquor para o sistema 
venoso. 
CIRCULAÇÃO LIQUÓRICA 
PLEXO CORÓIDE → VENTRÍCULOS LATERAIS → 
FORAME INTERVENTRICULAR → 3º VENTRÍCULO → 
AQUEDUTO CEREBRAL → 4º VENTRÍCULO → FORAME 
DE LUSCHKA → ESPAÇO SUBARACNOIDE → SEIOS 
DURAIS → CIRCULAÇÃO VENOSA. 
 
VENTRÍCULOS CEREBRAIS EM CORTE CORONAL 
 
CORRELAÇÃO CLÍNICA 
VENTRÍCULOS NA TOMOGRAFIA 
 
 
 
VISÃO DO CORPO DOS VENTRÍCULOS LATERAIS 
 
CASO CLÍNICO — M, 45 anos, cefaleia intensa 
progressiva associada a vômitos em jato e distúrbios 
visuais, foi solicitado uma TC, que evidenciou: 
 
O exame acima mostra uma dilatação dos ventrículos 
cerebrais em um nível muito alto, o que mostra que o 
líquor não está sendo drenado, junto ao quadro clínico, 
é sugestivo de hipertensão intracraniana. 
CORNO FRONTAL 
DO VENT. LAT. 
 
CORNO TEMPORAL 
DO VENT. LAT. 
CORPO DO VENT. 
LAT. EM FORMA DE 
BANANA