A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
APS 1 semestre: Diretrizes, Princípios e Atributos do SUS/APS

Pré-visualização | Página 1 de 1

Princípios e diretrizes do SUS
Lei 8080/90 regulamenta os princípios e diretrizes•
Lei 8142/90 também regulamenta o SUS•
SUS foi criado na Constituição Federativa do Brasil de 1988•
Principais temas:
- Determinantes sociais em saúde
- Vigilância em saúde
- Princípios e diretrizes do SUS (GERAL)
- Políticas para populações específicas
- Responsabilidades das 3 esferas de governo
- Estrutura de governança do SUS
- Política de recursos humanos
- Participação complementar do privado
PRINCÍPIOS DOUTRINÁRIOS E ORGANIZATIVOS DO SUS (CFB 1988 e Lei
8080/1990)
- Princípios doutrinários:
→ Universalidade
- Acesso universal
- Direito de TODOS, inclusive de estrangeiros
- Acesso a todos os níveis de atenção via redes de atenção
- Porta principal de acesso: UBS
→ Equidade
- Justiça social
- Dar mais pra quem mais precisa
→ Integralidade
- Atendimento de forma integral (completa)
- Atendimento em todos os níveis de atenção
- Diretrizes ou Princípios organizativos:
→ Descentralização
- Redistribuição de responsabilidades – Nível Federal, Estadual e Municipal
- Municipalização da atenção básica – promoções das ações de saúde direto aos seus 
cidadãos
- Quanto mais perto do fato a decisão for tomada, mais chance haverá de acerto
→ Regionalização
- Organizado pelo Estado
- Pontos de atenção da Redes de atenção à Saúde (RAS - Rede Cegonha e Rede Viver 
sem
limites, por exemplo), tendo a Atenção Básica como ponto de comunicação entre 
esses.
- Considera-se regiões de saúde como um recorte espacial estratégico para fins de 
planejamento,
organização e gestão de redes de ações e serviços de saúde em determinada 
localidade
→ Hierarquização
- Forma de organização de pontos de atenção das Redes de atenção à Saúde (RAS) 
entre si, com
fluxos e referências estabelecidos.
- Relação total com Níveis de atenção.
→ Participação e controle social
- Estimular a participação das pessoas, a orientação comunitária das ações de saúde 
na Atenção
Básica e a competência cultural no cuidado
- Conselhos de Saúde:
- Conselho gestor da UBS
- Conselho Municipal de Saúde
- Conselho Estadual de Saúde
- Conselho Nacional de Saúde
- Conferências de saúde
Níveis de atenção
ATENÇÃO À SAÚDE
• Unidades de saúde
• É tudo que envolve o cuidado com a saúde do ser humano, incluindo as ações e 
serviços de promoção, prevenção,
reabilitação e tratamento de doenças.
• Essa estruturação visa à melhor programação e planejamento das ações e serviços do 
sistema.
• A prioridade para todos os municípios é ter a atenção básica operando em condições 
plenas e com eficácia.
• Não se deve, porém, considerar um desses níveis de atenção mais relevante que outro, 
porque a atenção à
Saúde deve ser integral.
• Nem sempre um município necessita ter todos os níveis de atenção à saúde instalados 
em seu território, para
garantir a integralidade do atendimento à sua população.
• Particularmente no caso dos pequenos municípios, isso pode ser feito por meio de 
pactos regionais que
garantam às populações dessas localidades acesso a todos os níveis de complexidade do 
sistema.
- Atributos da APS:
Acesso: É o primeiro contato pode ser definido como porta de entrada dos 
serviços de saúde, ou seja, quando a
população e a equipe identificam aquele serviço como o primeiro recurso a ser 
buscado quando há uma necessidade ou
problema de saúde. 
Promoção e Prevenção a Saúde: reafirma a existência de um movimento 
crítico e de recusa a um sistema de saúde que privilegia a especialização e 
a medicalização. A promoção de saúde pressupõe uma concepção que 
não restrinja a saúde à ausência de doença, mas que seja capaz de atuar 
sobre seus determinantes que são as condições sociais em que as pessoas 
vivem e trabalham.
•
Atenção nos três níveis de complexibilidade: garantia de acesso a diversos 
níveis de atenção, portanto a existência de uma rede de serviços em 
distintos níveis de complexidade e de competências, em que a integração 
entre as ações nos diversos níveis deve satisfazer o conjunto de cuidados 
demandados por um indivíduo.
•
Articulação das ações de promoção, prevenção e recuperação: Ações 
de saúde coletiva ou como ações
•
Integralidade: é um dos pilares na construção do SUS consagrado pela 
Constituição Federal de 1988 e possui quatro dimensões: primazia das ações de 
promoção e prevenção, atenção nos três níveis de complexidade da 
assistência médica, articulação das ações de promoção, proteção e 
prevenção e abordagem integral do indivíduo e das famílias.
Abordagem integral do indivíduo e da família: Um valor que se expressa na 
forma como os
•
de atenção clínica e individual.
profissionais respondem aos que os procuram.
Longitudinalidade: Relação pessoal de longa duração entre os profissionais de 
saúde e os usuários não exista ou que seja interrompida. Reduzem os 
encaminhamentos desnecessários para especialistas e a realização de 
procedimentos de maior complexidade.
Coordenação: articulação entre os diversos serviços e ações de saúde, de 
forma que estejam sincronizados e voltados ao alcance de um objetivo comum. 
Com objetivo ofertar ao usuário um conjunto de serviços e informações que 
respondam a suas necessidades de saúde de forma integrada, por meio de 
diferentes pontos da rede de atenção à saúde.
ATENÇÃO PRIMÁRIA (BÁSICA)
• É o conjunto de ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem 
promoção, prevenção, proteção,
diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos, cuidados paliativos e vigilância 
em saúde, desenvolvida
por meio de práticas de cuidado integrado e gestão qualificada, realizada com equipe 
multiprofissional e dirigida à
população em território definido, sobre as quais as equipes assumem responsabilidade 
sanitária.
• Porta de entrada para os níveis superiores de maior complexidade.
• UBS: Unidade Básica de Saúde
• ESF: Estratégia de Saúde da Família
ATENÇÃO SECUNDÁRIA (MÉDIA COMPLEXIDADE)
• A média complexidade ambulatorial é composta por ações e serviços que visam 
atender aos principais problemas
e agravos de saúde da população, cuja complexidade da assistência na prática clínica 
demande a disponibilidade de
profissionais especializados e a utilização de recursos tecnológicos, para o apoio 
diagnóstico e tratamento.
• Procedimentos especializados realizados por profissionais médicos, outros profissionais 
de nível superior e nível
médio
• Compreendem as medidas de diagnóstico precoce e tratamento dos problemas de 
saúde. Envolve procedimentos de média complexidade que deverão atuar de maneira 
integrada à atenção primária e terciária.
• Cirurgias ambulatoriais especializadas
• Procedimentos traumato-ortopédico
• Ações especializadas em odontologia
• Patologia clínica
• Anatomopatologia e citopatologia
• Radiodiagnóstico
 Princípios e diretrizes do SUS 
ATENÇÃO TERCIÁRIA (ALTA COMPLEXIDADE)
• Conjunto de procedimentos que, no contexto do SUS, envolve alta tecnologia e alto 
custo, objetivando propiciar à população acesso a serviços qualificados, integrando-os 
aos demais níveis de atenção à saúde (atenção básica e de média complexidade)
• Hospitais terciários e quaternários de caráter regional, estadual ou nacional
• Assistência ao paciente portador de doença renal crônica (por meio dos procedimentos 
de diálise)
• Assistência ao paciente oncológico
• Cirurgia cardiovascular
• Cirurgia vascular
• Cirurgia cardiovascular pediátrica
 
• Radiodiagnóstico
• Exames ultrassonográficos