A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Oclusão resumo geral

Pré-visualização | Página 1 de 7

Oclusão I
2º Período – Odontologia
Nome: Letícia Ribeiro e Letícia Veronesi
Apostila de oclusão 2016/1
Introdução e conceitos de oclusão
	Oclusão não é somente engrenamento dos dentes, vai muito além. Tem-se: dentes, ligamentos periodontais e todo um sistema que faz a pessoa falar, mastigar e deglutir. 	
	Músculos, ossos e dentes tem que trabalhar juntos para evitar patologias. Tudo forma o sistema ortognático.
	1920: Stillman e Maccall (periodontistas)
Neste tempo, o tratamento era a exodontia não só do dente afetado, mas de alguns ao redor, pois o pensamento era que o problema não iria voltar e assim, o uso de dentaduras aumentou. Isso desencadeava não só um problema periodontal, mas prejudicava a fonética e articulações.
	Para substituírem os dentes faltosos, foi necessário o uso do articulador, já que não era só encaixar o dente e sim arrumá-los para que as articulações não fossem prejudicadas.
	Oclusão é a relação dinâmica, morfológica e funcional entre todos os componentes do sistema mastigatório, incluindo os dentes, tecidos moles de suporte, sistema neuromuscular, articulação temporomandibular e o esqueleto craniofacial.
	O assunto abrange todos os fatores que causam, afetam, influenciam ou resultam da posição mandibular, da função, parafunção e não apenas das relações de contao oclusal da dentição.
Sistema Estomatognático
	Responsável pelo funcionamento de tudo. 
Ex.: Ao comer uma maça, os incisivos cortam. A mandíbula vai para frente – movimento de protrusão. Para este movimento, foi necessário o movimento dos músculos faciais, inervação e vascularização. Os dentes precisam ter contato e força igualitária. Após o corte, a maça vai para os molares e sofre um movimento de lateralidade para a direita ou para a esquerda. O lado que mastigar a maça é chamado de lado de trabalho e o outro de lado de não trabalho ou balanceio.
Quando os dentes do lado de trabalho, principalmente os caninos, começarem a se tocar, é “mandada uma mensagem ao sistema nervoso” de que a mastigação já não é mais necessária e a pessoa já pode deglutir. 
	O Sistema Estomatognático é constituído de um conjunto heterogêneo de órgãos e tecidos, os quais devem atuar integrado e harmoniosamente, de tal maneira que seus envolvimentos fisiológicos e patológicos sejam absolutamente interdependentes, participando decisivamente da mastigação, deglutição, respiração, fonação e postura. 
	O Sistema Estomatognático está dividido em: componentes anatômicos, funcionais e fisiológicos.
· Componentes Anatômicos do Sistema Estomatognático:
· Ossos (mandíbula e maxila);
· Músculos;
· Articulações (dentes e ATM);
· Ligamentos (ATM e periodontais);
· Língua, lábios e bochechas;
· Dentes e
· Sistema Vascular e Nervoso.
· Componentes Fisiológicos do Sistema Estomatognático:
· ATM;
· Oclusão dentária (estática e dinâmica);
· Periodonto;
· Mecânismo Neuromuscular.
· Oclusão Dentária Estática:
-Dente/dente
-Dente/ 2 dentes
· Oclusão Dentária Dinâmica:
-Movimentos mandibulares
· Componentes Funcionais do Sistema Estomatognático:
· Mastigação;
· Deglutição;
· Respiração;
· Fonação e
· Postura (mandíbula e língua)
Músculos Componente ATIVO.
Oclusão dentária: Deglutição (600 vezes/dia)
		 Mastigação (17,5 minutos de contato oclusal em 24 horas)
O desequilíbrio entre os componentes anatômicos, fisiológicos e funcionais resultam em patologias: bruxismo, abrasão, trauma periodontal, etc.
ATM
Disco ou Menisco Articular: acompanha o côndilo e evita seu toque com os demais componentes. 
No movimento de Protrusão, os côndilos vão para baixo e para frente até a eminencia articular.
Zona Bilaminar ou Região retrodiscal: extremamente inervada e sensível. Sente-se a dor no pavilhão auditivo.
Nomenclatura em oclusão
· Ralação Centrica (RC): 
Posição anatômica ao nível de ATM; sem relação dente; reproduzíveis quantas vezes for necessário no mesmo local. Posição onde o côndilo se encontra mais anterior e superior dentro da cavidade glenóide. Não pode ser alterado. 
Obs.: Como que o côndilo pode estar anterior se para conduzir o paciente em RC à mandíbula vai para trás? Para conduzir o paciente em RC ele tem que abrir um pouco a boca, com isso o côndilo vai para frente, porém a mandíbula vai para posterior. 
· Máxima intercuspidação habitual (MIH ou OC):
Posição dentária; não depende de posição de côndilo; o paciente em uma posição habitual; Não importa se o côndilo direito está em uma posição e o esquerdo em outro; variável de acordo com a posição dos dentes. Pode ser alterado.
Obs :restauração do 1PM está mais alta em MIH, você vai se acostumar com ela, raspando um dente no outro; perder dente; colocar aparelho.
· Relação de oclusão Centrica (ROC): 
10% da população tem uma diferença em RC e MIH.
Ex.: manipular o paciente em RC e se fechar em MIH, todos os dentes engrenaram perfeitamente, coincidência de RC com MIH=ROC.
Levar a língua no palato(mandíbula para posterior) e ocluir a boca- se ocluir e os dentes engrenarem corretamente= ROC.
Ocluir e não engrenarem corretamente = ROC diferente de MIH. (Maioria das pessoas-pode gerar dor).
· Movimento Protrusivo: 
Movimentos de tocar os dentes e levar a mandíbula para frente (tocar os incisivos e não tocar os posteriores. Protrusão leva a mandíbula para frente para cortar o pedação de maça (através das incisivos), volta a mandíbula para trás; lateralidade= lado de onde mastiga 
· Lado de trabalho: 
Movimento de lateralidade para esquerda ou para direita com toque no lado de trabalho (lado onde está mastigando).
· Lado de balanceio ou não trabalho: 
Movimento de lateralidade para esquerda ou para direita com desobstrução do lado de trabalho (lado onde não está mastigando).
· Princípios de proteção mútua ou oclusão mutuamente protegida: 
É o sistema de proteção de todos os dentes. Paciente em MIH toque de canino para trás de ambos os lados simultaneamente e com a mesma intensidade de força. Nos incisivos apenas um leve toque. Os dentes posteriores protegem os anteriores. Toque de maneira certa: usa-se uma tira de poliéster, nos dentes posteriores e caninos ela tem que prender (força e pressão, já nos incisivos ela tem que soltar). Protrusão: toque dos incisivos protegem os posteriores.
Lateralidade- toca canino e do lado oposto não a de haver toque algum.
· Guia anterior: 
Dada pelos Incisivos, resultante da protrusão. Bordos incisais dos incisivos inferiores passam pela palatina dos incisivos superiores até topo a topo na mesma intensidade.
· Guia posterior: 
Dado pela ATM. Vertente anterior do côndilo passa pela vertente posterior da eminência articular. O que limita um paciente sem dente é a ATM.
 Obs.: As guias são resultantes do movimento de protrusão.
· Curva de Spee: 
Curva no sentido ântero-posterior do plano oclusal, posição dos dentes.
· Curva de Wilson: 
Curva no sentido latero-latero do plano oclusal.
Obs das curvas: A posição do dente define a curva- pode ser modificada.
· Espaço funcional livre (EFL): 
Espaço presente entre os dentes em repouso. Espaço para fonética. Os dentes não se tocam. Varia de 1 à 10 mm, média 3mm. 
 EFL= DVR-DVO
· Dimensão vertical de oclusão (DVO): 
Se dá da espinha nasal anterior ao mento - dimensão medida em altura- dentes havendo toque 
· Dimensão vertical de repouso (DVR): 
Posição mandibular ou distância que mantêm os dentes sem toque com a boca fechado, posição confortável. Independe de dente.
· Trespasse vertical: 
Quantidade ou espaço que incisivo superior recebe o incisivo inferior.
· Trespasse horizontal: 
Espaço ou distância entre incisivo inferior e incisivo superior no sentido horizontal.
· Cúspide de contenção cêntrica:
VIPS= Vestibular inferior palatina superior
· Cúspide de contenção não cêntrica
LIVS= Lingual inferior vestibular superior
· Contato prematuro: 
Dá-se em fechamento e aberturada boca. oque entre dentes (não deveria existir sentido vertical.
 Ex: dentista- restauração oclusal do 1PM- ficou alta = contato antes do tempo, sente o dente restaurado primeiro. Contato antes do tempo.
· Interferência oclusal: 
Contato que impede o movimento