A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Avaliação e Cuidados Pré operatórios - Aula 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 
Valentina G. Bortoluzzi 
 
1 
 
 
 Introdução 
• Objetivos: 
→ Identificar e quantificar comorbidades que possam 
causar complicações no resultados pré-operatórios. 
→ Otimizar a condição clinica e funcional do paciente. 
→ Reduzir a morbidade e mortalidade pré-operatória. 
 Achados 
→ Achados no histórico do paciente. 
→ Achados no exame físico. 
→ Dados epidemiológicos (idade, sexo e padrão de 
progressão de doenças). 
 
 Etapas da Avaliação 
• Anamnese + exame físico. 
• Exames complementares (se necessários). 
• Anamnese: 
✓ História da doença atual e seu tratamento 
✓ Tolerância ao exercício 
✓ Ultima visita ao clínico 
✓ Medicações em uso e alergias 
✓ História social (uso de álcool, tabaco, drogas) 
✓ Doenças pré-existentes 
✓ Cirurgias prévias e/ou anestesias 
✓ Sangramentos e cicatrizações 
✓ Via aérea 
✓ História anestésica familiar (complicações?) 
• Preditores de morbi-mortalidade: 
✓ Idade 
✓ Estado físico 
✓ Porte da cirurgia 
✓ Natureza da cirurgia (emergência ou eletiva) 
*Cirurgias de emergência possuem maior incidência 
de morbimortalidade. 
 
 
 Exames Pré-Operatórios 
 
 
 Riscos 
• DO PROCEDIMENTO: 
→ Cirurgia de coração e pulmão 
→ Ressecção hepática 
→ Cirurgias intra-abdominais longas e com risco de 
sangramento. 
→ Prostatectomia aberta 
→ Grandes cirurgias ortopédicas 
→ Cirurgias de emergência 
 
• DO PACIENTE: 
→ Risco cardíaco 
→ Infecções 
→ Desequilíbrios de líquidos e eletrólitos 
→ Distúrbios nutricionais 
 
 Risco Cardíaco 
→ Principal causa de morte no mundo industrializado 
→ Causa importante e morbidade e mortalidade em 
cirurgia 
→ Incidência em complicações cardíacas varia de 1 a 5% 
 
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 
Valentina G. Bortoluzzi 
 
2 
 
Índice Risco Cardíaco – American 
College of Cardiology 
 INDICADORES 
• Histórico de doença coronariana 
• Histórico de IC 
• Histórico de doença cerebrovascular 
• DM insulinodependente 
• Creatinina maior que 2mg/dL 
 
 GRAU DE RISCO – MORTALIDADE 
• Sem fator de risco: 0,4% 
• 1 fator de risco: 1% 
• 2 fatores de risco: 2,4% 
• 3 ou mais fatores de risco: 5,4% 
 
 Risco Pulmonar 
→ Prevalência varia de 5 a 7% 
→ Deve-se avaliar se existe infecção ativa ou 
exacerbação de doença pré-existente (pneumonia, 
por exemplo). Se houver, deve ser resolvida antes da 
cirurgia. 
→ Gama muito grande de complicações. 
 
 
 
 RAIO-X de Tórax 
→ É beneficiário apenas para pacientes acima de 75 
anos. 
→ Indicado para pacientes: 
✓ Tabagistas 
✓ DPOC 
✓ Cardiopatas 
✓ Infecções recentes 
 
 
 Risco Renal 
→ 5% da população adulta tem algum grau de disfunção 
renal 
→ Pode afetar a fisiologia de muitos órgãos: 
✓ ECG, análise bioquímica e hemograma completos 
✓ Análise cuidadosa de anemia e sangramentos. 
 
 Risco Hematológico 
→ Uso recente de anticoagulantes, AAS e AINES. 
→ Deve ser investigada história de complicações 
cirúrgicas hemorrágicas. 
→ Testes laboratoriais devem ser seletivos e justificados. 
 
 Risco Nutricional 
 DESNUTRIÇÃO 
→ Aumenta o risco de complicações 
→ Indicadores: 
✓ Perda ponderal > 10% do peso corporal em 6 
meses ou maior que 5% em 1 mês. 
✓ Baixos níveis séricos de albumina 
 
 OBESIDADE 
→ Aumenta a taxa de mortalidade perioperatória 
→ Aumenta risco de: 
✓ Complicação cardíaca 
✓ Tromboembolismo pulmonar 
✓ Necrose e infecção de feridas 
✓ Hérnias incisionais 
UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS 
Valentina G. Bortoluzzi 
 
3