A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
RESENHA CRÍTICA - O FIO DA MEADA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Aluno: Matheus Pablo Barreto dos Santos 
Curso: Nutrição (UFPE – CAV) 
Disciplina: Avaliação do Estado Nutricional 
 
RESENHA CRÍTICA E ANÁLISE DE SITUAÇÃO DO DOCUMENTÁRIO “O FIO DA 
MEADA”. 
 
O documentário brasileiro “O fio da meada” foi lançado em 2019, dirigido por 
Sílvio Tendler e produzido por Ana Rosa Tendler. Ele retrata a urbanização intensa 
que o país vem sofrendo nos últimos anos, acabando com a cultura dos povos 
tradicionais como os caiçaras, indígenas e quilombolas, que desde a colonização do 
Brasil pelos portugueses, eles vêm sendo escravizados, dizimados e sofrendo 
preconceito. Infelizmente, até hoje em dia esses povos estão precisando fugir e lutar 
por sua sobrevivência, que com o passar do tempo, vem sendo ameaçada devido a 
ambição do homem, que quer dizimá-los da face da terra para poderem utilizar suas 
propriedades para fins de lucro, com finalidade de atender às suas ganâncias, sendo 
que os produtos ofertados pela natureza não são para os homens extraírem e 
acabarem com tudo e sim para vivermos em harmonia com o planeta. 
 Além disso, essa urbanização intensa que o documentário retrata, mostra a 
defesa destes povos, que vem resistindo contra essas agressões e mantendo a suas 
culturas preservadas, que parece uma missão muito difícil para eles, sendo 
necessário também um apoio do estado para criar leis que os protejam contra os 
homens que os estão ameaçando. Em adição, esta obra-cinematográfica mostra quais 
são os fios da meada, que são: 1, “o chão que hábito” (retrata a exploração do país 
nos tempos coloniais); 2, “a semente que planto” (mostra a importância da agricultura 
familiar e como as corporações transnacionais controlam a produção e vendas de 
alimentos, mostrando os perigos das monoculturas e uso abusivo de agrotóxicos); e 
por fim, o ultimo fio da meada, que é “a ancestralidade em movimento” (que mostra a 
importância do conhecimento empírico dos povos tradicionais e a importância de 
preservar o ambiente em que vivem). 
Acresce também, com relação as memorias que foram ativadas, na cena onde 
mostra o segundo fio da meada, lembrei bastante da época em que eu costumava ir 
no sítio onde meu pai nasceu, que lá eles têm a cultura de plantar os alimentos que 
consomem e também eles buscam renda a partir da agricultura familiar, algo que me 
fez lembrar bastante da minha infância, o que me fez refletir ainda mais sobre a 
importância de comprar alimentos de feiras locais, que acabam ajudando estas 
pessoas que dependem disso para viver, além também de preservar a cultura local e 
ser um contribuinte para a saúde. 
 Portanto, este documentário é indicado para as pessoas que buscam aprender 
mais sobre a importância da preservação do meio ambiente e também da cultura de 
diversos povos tradicionais que dividem este ambiente conosco.