A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Artigo_genero_meme_Lingua_Portuguesa

Pré-visualização | Página 1 de 5

O GÊNERO TEXTUAL MEME NO ENSINO DE LÍNGUA 
PORTUGUESA 
 
THE MEME TEXT GENRE IN PORTUGUESE LANGUAGE TEACHING 
 
EL GÉNERO TEXTUAL MEME EN LA ENSEÑANZA DE LA LENGUA PORTUGUESA 
 
Daiane Pereira da Rosa1 
Clair Terezinha Corbani2 
 
Resumo 
 
Este artigo busca contribuir com a pesquisa de práticas de linguagens digitais, previstas na Base Nacional Comum 
Curricular (BNCC) para o ensino médio, por meio do gênero textual meme. O estudo vem da necessidade de 
planejar aulas de língua portuguesa com competências e habilidades oriundas das tecnologias digitais, para 
aproveitar a identificação e o interesse dos alunos por eles, para produzir aprendizados significativos da linguagem, 
que mostrem a língua em funcionamento. Para isso, discute-se a relevância do trabalho com os gêneros textuais 
na escola e o potencial educativo do meme enquanto texto multissemiótico. O resultado apresenta uma pluralidade 
de práticas de linguagens possíveis de serem trabalhadas com os memes para ampliar o repertório dos estudantes 
e enriquecer as aulas de língua portuguesa. Esta pesquisa tem como base teórica os estudos de Marcuschi (2010) 
sobre gêneros textuais, a concepção sociointeracionista e a proposta teórico-metodológica de sequência didática 
de Dolz e Schneuwly (2004) e os direcionamentos sobre linguagens e tecnologias digitais na educação básica da 
BNCC (2018). 
 
Palavras-chave: Gêneros textuais. Memes. Língua Portuguesa. BNCC. 
 
Abstract 
 
This article seeks to contribute to the research of digital language practices, foreseen in the National Common 
Curricular Base (BNCC) for high school, through the meme text genre. The study comes from the need to plan 
Portuguese language classes with competencies and skills derived from digital technologies, to take advantage of 
the students' identification and interest in them, to produce meaningful language learnings, that show the language 
in operation. For this, the relevance of working with text genres at school and the educational potential of the 
meme as a multisemiotic text are discussed. The result presents a plurality of language practices that can be worked 
with memes to expand the students' repertoire and enrich the Portuguese language classes. This research is based 
on Marcuschi's (2010) studies on text genres, the socio-interactionist conception and the theoretical-
methodological proposal of didactic sequence by Dolz and Schneuwly (2004) and the directions on languages and 
digital technologies in BNCC basic education (2018). 
 
Keywords: Text Genres. Memes. Portuguese language. BNCC. 
 
Resumen 
 
Este artículo trata de contribuir con la investigación de prácticas de lenguajes digitales, previstas en la Base 
nacional Común Curricular (BNCC) para la educación media, por medio del género textual meme. El estudio surge 
de la necesidad de planificar clases de lengua portuguesa con competencias y habilidades provenientes de las 
tecnologías digitales, para aprovechar la identificación y el interés de os alumnos por ellas, para producir 
aprendizajes significativos del lenguaje, que muestren la lengua en funcionamiento. Para ello, se discute la 
relevancia del trabajo con los géneros textuales en la escuela y el potencial educativo del meme como texto 
multisemiótico. El resultado presenta una pluralidad de prácticas de lenguaje posibles de ser trabajadas con los 
memes, para ampliar el repertorio de los estudiantes y enriquecer las clases de lengua portuguesa. Esta 
 
1 Graduanda em Formação Pedagógica em Letras. Centro Universitário Internacional Uninter. E-mail: 
daia.rosa@yahoo.com.br. 
2 Graduada em Letras - Português/Inglês. E-mail: claircorbani01@gmail.com. 
O gênero textual meme no ensino de Língua Portuguesa 
Caderno Intersaberes, Curitiba, v. 10, n. 25, p. 33-46, 2021 34 
investigación tiene como base teórica los estudios de Marcuschi (2010) sobre géneros textuales, la concepción 
sociointeraccional y la propuesta teórico-metodológica de secuencia didáctica de Dolz y Schneuwly (2004) y las 
orientaciones sobre lenguajes y tecnologías digitales en la educación básica de la BNCC (2018). 
 
Palabras-clave: Géneros textuales. Memes. Lengua Portuguesa. BNCC. 
1 Introdução 
 Em uma era pós-digital3, em que as tecnologias são onipresentes e que indivíduos 
passam cada vez mais tempo conectados, os desafios educacionais são ainda maiores. Os 
estudantes da educação básica são nativos digitais4 - aqueles que nasceram e cresceram 
inseridos nesse universo digital - e os aparatos tecnológicos fazem parte natural do dia a dia 
deles. Notícias online, conversas em tempo real e publicações em redes sociais são consumidas 
e produzidas pelos alunos de diversas faixas etárias. 
Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua 
(IBGE, 2019), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que os 
adolescentes e os jovens adultos são os mais conectados. No último trimestre de 2018, 87,7% 
das pessoas na faixa etária de 14 a 17 anos utilizaram a internet, número que subiu para a média 
de 90% de 18 a 29 anos, e depois declinou gradativamente até chegar ao percentual de apenas 
38,7% com 60 anos ou mais. 
Entre as gerações de não usuários, as motivações para não acessar a internet são bem 
distintas. De 14 a 17 anos, o principal motivo é a razão econômica, que atingiu o ápice com 
53,4%, enquanto a falta de interesse e habilidade em usar a rede é o argumento de 92,9% das 
pessoas com 60 anos ou mais. Dados que comprovam a afinidade dos jovens alunos com o uso 
da internet e das tecnologias. 
 Neste contexto, os docentes se deparam com o desafio de despertar o interesse de 
crianças e adolescentes para o conteúdo curricular, disputando espaço com todos os atrativos 
conteúdos digitais. Como a abordagem tradicional de ensino tem se mostrado ineficiente, como 
a própria Base Nacional Comum Curricular - BNCC (BRASIL, 2018) aponta, é necessário 
apostar em procedimentos pedagógicos mais envolventes, que mostrem a aplicação do 
conhecimento e, paradoxalmente, se apropriem dos recursos, das linguagens e dos formatos 
digitais. 
 
3 Esse conceito foi atribuído pelo autor Walter Longo (2014) para referenciar a realidade vivenciada atualmente com a 
onipresença das tecnologias digitais e seus impactos nas relações humanas e comunicativas. 
4 O termo "nativos digitais" é de Marc Prensky (2001), que discorre sobre o pensamento e o comportamento diferenciado das 
pessoas que nasceram na era digital. 
Daiane Pereira da Rosa e Clair Terezinha Corbani 
Caderno Intersaberes, Curitiba, v. 10, n. 25, p. 33-46, 2021 35 
 O domínio da cultura digital é uma necessidade tão latente da educação brasileira, que 
a nova BNCC (BRASIL, 2018) elenca esse domínio como uma das 10 competências gerais 
consideradas aprendizagens essenciais para a formação humana integral. O documento define 
os conhecimentos que todos os alunos devem desenvolver durante a educação básica. 
 Embora não seja algo novo no estudo da linguística, os gêneros textuais ganharam 
destaque na BNCC e em diversas pesquisas que mostram seu potencial no ensino de língua 
portuguesa. Essa abordagem em sala de aula é defendida para preparar os alunos para situações 
reais de uso e de interpretação da linguagem e do discurso em diversas práticas sociais. 
 A utilização dos gêneros na escola é respaldada pela teoria sociointeracionista, que 
contempla a aprendizagem por meio da interação social. Nessa perspectiva teórica, a construção 
do conhecimento depende dos contextos históricos, sociais e culturais e da interação do 
indivíduo com o meio em que se relaciona. “O desenvolvimento na idade escolar só se torna 
possível graças ao ensino e à aprendizagem intencionais, que supõem um pré-enquadre da 
situação