A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
83 pág.
MATERIAL SOBRE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS2

Pré-visualização | Página 2 de 20

2.1 A MOEDA, A LIQUIDEZ E O SISTEMA MONETÁRIO.........................................14 
2.2 A IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICA MONETÁRIA..............................................20 
2.3 FORMAÇÃO DA TAXA DE JUROS.........................................................................23 
2.4 CURVA DE RENDIMENTOS.....................................................................................24 
2.5 CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................24 
3 MECANISMOS TRADICIONAIS DE TRANSMISSÃO DA POLÍTICA 
MONETÁRIA E A FACILITAÇÃO QUANTITATIVA....................................................27 
3.1 INTRODUÇÃO............................................................................................................30 
3.2 AS TAXAS DE JUROS PRÓXIMAS DE ZERO (LIMITE MÍNIMO DE ZERO) E A 
FACILITAÇÃO QUANTITATIVA..............................................................................30 
3.3 AS TAXAS DE JUROS, A CURVA DE RENDIMENTOS E A SUBSTITUIÇÃO 
ENTRE ATIVOS......................................................................................................................32 
3.4 OS CANAIS DE TRANSMISSÃO TRADICIONAIS...............................................33 
3.4.1 O canal do valor dos ativos.........................................................................................34 
3.4.2 O canal do crédito.......................................................................................................35 
3.4.3 O Canal da taxa de câmbio........................................................................................36 
3.5 OS CANAIS DE TRANSMISSÃO DE POLÍTICAS MONETÁRIAS NÃO 
CONVENCIONAIS................................................................................................................36 
3.5.1 O tamanho do balanço patrimonial do Banco Central (facilitação quantitativa) 
...................................................................................................................................................36 
3.5.1.1 O Canal de rebalanceamento de portfólio....................................................................37 
3.5.1.2 O Canal de sinalização.................................................................................................38 
3.5.1.3 O Canal de liquidez ......................................................................................................41 
3.5.1.4 O Canal fiscal...............................................................................................................42 
3.5.2 Composição do balanço patrimonial do Banco Central (Operation Twist) ..............42 
3.6 CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................43 
4 ANÁLISE DA EFETIVIDADE DOS CANAIS DE POLÍTICA MONETÁRIA NÃO 
CONVENCIONAIS.........................................................................................................44 
4.1 O CANAL DE REBALANCEAMENTO DE PORTFÓLIO............................................44 
4.2 CANAL DE SINALIZAÇÃO...........................................................................................45 
4.2.1 DECLARAÇÕES DO FOMC........................................................................................52 
4.2.2 EXPECTATIVAS DAS FUTURAS TAXAS BÁSICAS DE 
JUROS......................................................................................................................................56 
4.3 CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................62 
5 EFEITOS NAS VARIÁVEIS MACROECONÔMICAS................................................63 
5.1 AS RODADAS DE POLÍTICAS MONETÁRIAS NÃO CONVENCIONAIS NOS 
ESTADOS UNIDOS...............................................................................................................63 
5.1.1 QE1 (11/08 – 03/10) .......................................................................................................63 
5.1.2 QE2 (11/10 – 06/11) .......................................................................................................64 
5.1.3 Operation Twist (09/11 – 12/12) ....................................................................................64 
5.1.4 QE3 (09/12 – 10/14) .......................................................................................................65 
5.2 ESTADOS UNIDOS..........................................................................................................65 
5.3 JAPÃO................................................................................................................................71 
5.4 IMPACTOS NAS VARIÁVEIS ECONÔMICAS DOS ESTADOS UNIDOS................74 
5.5 CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................77 
6 CONCLUSÃO......................................................................................................................78 
REFERÊNCIAS......................................................................................................................80 
10 
 
1 INTRODUÇÃO 
 
A crise financeira de 2007-2008, gerou uma forte recessão na economia dos Estados 
Unidos e no ambiente econômico global. Mesmo com o uso de diversas políticas econômicas 
convencionais, para que a economia voltasse a crescer em seu ritmo normal, isso não ocorreu. 
Os policymakers nos EUA utilizaram políticas fiscais para a retomada do crescimento, 
fazendo com que o endividamento americano atingisse níveis elevados. Além disso, 
utilizaram a política monetária convencional, que reduziu as taxas de juros para níveis muito 
próximos a zero. Mesmo assim a economia não apresentou os resultados esperados no que 
tange aos indicadores macroeconômicos. 
Dessa forma, o Banco Central americano passou a utilizar instrumentos de política 
monetária não convencionais para estimular o crescimento, como a facilitação quantitativa, 
que expande o balanço patrimonial do Banco Central, por meio da compra de títulos que estão 
em posse dos bancos comerciais, injetando moeda na economia e expandido o crédito. A 
facilitação quantitativa também é conhecida como compras de ativos em larga escala (LSAP 
da sigla em inglês), ou quantitative easing (QE do inglês). A outra política monetária não 
convencional adotada pelo Fed é chamada de Operation Twist, a qual modifica a composição 
do balanço patrimonial do Banco Central. Foram feitas quatro rodadas de políticas monetárias 
não convencionais na economia americana, três rodadas de facilitação quantitativa (QE1, 
QE2, QE3) e uma rodada de Operation Twist. 
Ainda há desconfiança em relação aos efeitos dessas políticas sobre a economia, os 
impactos sobre a inflação e os riscos de balanços patrimoniais dos Bancos Centrais inflados 
demais. Gros e Aldici (2015) afirmam que essa compra de ativos geraria expansão do balanço 
afetando os gastos nominais e, assim originaria inflação. Com este instrumento os bancos 
centrais podem aumentar a base monetária o quanto quiserem, aumentando a moeda em 
circulação e o crédito. Isso afetaria os preços e os parâmetros dos ativos (títulos de dívida, 
taxas de juros de empréstimos, inflação esperada, expectativas e taxa de câmbio). Essas 
variáveis então afetam o PIB e a inflação, que são os objetivos finais da política monetária. 
Mas o Federal Reserve nunca especificou a duração da manutenção dos ativos. Em algum 
momento este diminuirá seu balanço patrimonial, deixando o mercado especular quando isso 
ocorrerá. 
11 
 
Em dezembro de 2008, foi estabelecida a banda de 0% - 0,25%, a menor taxa de juros 
da história dos Estados Unidos. Quando a economia diminui seu ritmo o FOMC diminui a 
taxa nominal de juros para estimular os empréstimos, investimento e consumo. Mas o FOMC 
não pode mover essa taxa abaixo de 0%. Com uma taxa de juros negativos os bancos com 
carteira comercial