A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Exame Clínico

Pré-visualização | Página 1 de 1

Escola Superior Batista do Amazonas – ESBAM 
Medicina Veterinária/ disciplina: Semiologia Veterinária 
Aluna: Gabrielly Rocha 
 
1 
 
 Exame Clínico 
´´É a reunião de todas as informações 
necessárias para o estabelecimento do 
diagnóstico.´´ 
 
PARTES DO EXAME CLÍNICO: 
1. Identificação do animal: Espécie, raça, 
sexo e idade; 
2. Anamnese; 
3. Exame Físico; 
4. Solicitação e interpretação de exames; 
5. Diagnóstico e prognóstico; 
6. Tratamento. 
Resenha 
➢ Serve para Identificação do animal. 
➢ Espécie, raça, sexo, idade, coloração 
da pelagem, peso, nome do animal, 
nome do tutor, origem. 
➢ Através dessas informações podemos 
de forma logica descartar 
possibilidades de doenças. 
 
1- Espécie 
• Felinos: PIF, FIV e FELV 
• Cães: cinomose. 
• Equinos: mormo 
• Bovinos: Carbúnculo sintomático. 
2- Raça 
• Bovinos: objetivo da criação, 
leiteiras (mastite) 
• Equinos: animais de tração 
(alterações sist. locomotor) 
• Cães: miocardiopatias. 
 
3- Sexo 
• Fêmeas: Adenocarcinomas, 
Piometras, mastite. 
• Machos: hérnias escrotais. 
4- Idade 
• Filhotes: verminoses, 
parvovirose. 
• Senis: endocrinopatias e 
neoplasias. 
 
Anamnese 
 ´´É uma entrevista realizada pelo profissional da 
saúde ao seu paciente, que tem como intenção 
de ser um ponto inicial no diagnóstico de uma 
doença ou patologia. ´´ 
 
TIPOS DE PERGUNTA: 
➢ Abertas: devem ser feitas de tal 
maneira que o cliente se sinta livre 
para se expressar, sem nenhum tipo 
de restrição. 
➢ Focadas: um assunto específico. 
➢ Fechadas: servem para que o 
entrevistador complemente o que o 
cliente ainda não falou, com questões 
diretas de interesse específico. 
 
FORMATO DA ANAMNESE: 
1- Fonte e confiabilidade; 
2- Queixa principal; 
3-História Médica Recente; 
4- Comportamento dos órgãos; 
5-História Médica Pregressa; 
Escola Superior Batista do Amazonas – ESBAM 
Medicina Veterinária/ disciplina: Semiologia Veterinária 
Aluna: Gabrielly Rocha 
 
2 
 
6- História Ambiental e de Manejo; 
7- História Familiar. 
 
➢ A anamnese deve ser completa e 
pode ser o mais importante dos 
aspectos do exame clínico. 
➢ Deve sugerir não somente as 
possibilidades diagnósticas, mas 
também as probabilidades. 
➢ Requer tempo adequado; o tempo 
permite a adaptação do animal à 
presença de estranhos (clínico e 
assistente). 
➢ Testar a exatidão das informações 
obtidas pelo tutor, com repetições de 
afirmações. 
 
PRINCÍPIOS BÁSICOS PARA OBTENÇÃO 
DA ANAMNESE: 
1. Ouvir atentamente o proprietário; 
2. Evitar interrupções e/ou distrações; 
3. Não desvalorizar precocemente as 
informações; 
4. Não se deixar levar pela suspeita do 
proprietário; 
5. Não demonstrar sentimentos 
desfavoráveis; 
6. Saber interrogar o proprietário; 
7. Apresentar conhecimentos teóricos sobre 
as enfermidades (fisiopatologia, 
terapêutica). 
 
OBJETIVOS DA ANAMNESE: 
1. Estabelecer condições para a relação 
veterinário/proprietário; 
2. Conhecer a história clínica e os fatores 
ambientais relacionados com o paciente; 
3. Estabelecer os aspectos do exame físico 
que merecem maior atenção; 
4. Definir a estratégia a ser seguida quanto 
aos exames complementares; 
5. Escolher procedimento terapêuticos mais 
adequado em função do diagnóstico e do 
conhecimento global do estado do animal. 
 
FONTE E CONFIABILIDADE: 
➢ Quem está passando as informações? 
➢ As informações são confiáveis? 
➢ Testar informações. 
 
QUEIXA PRINCIPAL: 
➢ O que motivou a consulta? 
 
HISTÓRICO MÉDICO RECENTE: 
➢ O que está acontecendo? 
➢ Quando iniciou? 
➢ Como iniciou? 
➢ Tratamento? 
➢ Resultado? 
 
HISTÓRIA AMBIENTAL E DE MANEJO: 
➢ Banho? 
➢ Produto? 
➢ Vacina? 
➢ Vermífugo? 
➢ Alimentação? 
➢ Passeio? 
➢ Piso? 
➢ Local onde dorme? 
➢ Outros... 
 
 
 
 
 
 
Escola Superior Batista do Amazonas – ESBAM 
Medicina Veterinária/ disciplina: Semiologia Veterinária 
Aluna: Gabrielly Rocha 
 
3 
 
Exame Físico 
1- Nível de consciência; 
2- Postura e locomoção; 
3-Condição física ou corporal; 
4-Pelame; 
5- Formato abdominal; 
6-Características respiratórias; 
7-Outros. 
 
Solicitação de exames 
➢ Confirmar a presença ou a causa da 
doença; 
➢ Avaliar a severidade do processo 
mórbido; 
➢ Determinar a evolução de uma doença 
específica; 
➢ Verificar a eficácia de um determinado 
tratamento. 
 
EXAMES LABORATORIAIS: 
➢ Hemograma Completo; 
➢ Perfil bioquímico; 
➢ Parasitológico de Fezes; 
➢ Urinálise. 
 
EXAMES DE DIAGNÓSTICO POR 
IMAGEM: 
➢ Ultrassonografia; 
➢ Raio – X. 
 
 
 
 
Diagnóstico 
´´É o reconhecimento de uma doença com base nos 
dados obtidos na anamnese, no exame físico e exames 
complementares. ´´ 
 
 
TIPOS DE DIAGNÓSTICO: 
➢ Nosológico ou clínico - O 
reconhecimento de uma doença com 
base nos dados obtidos na anamnese, 
no exame físico e/ou exames 
complementares. 
➢ Terapêutico - Realização de um 
procedimento medicamentoso e, se 
houver resposta favorável, fecha o 
diagnóstico. 
➢ Anatômico - Determinadas doenças 
produzem modificações anatômicas 
que podem ser encontradas no exame 
macroscópico dos órgãos. 
➢ Etiológico - Conclusão do clínico sobre 
o fator determinante da doença. 
➢ Histopatológico - Conclusão baseado 
na análise de alterações teciduais. 
➢ Anatomopatológico - O exame macro 
e/ou microscópico de peças cirúrgicas, 
biopsias ou o exame post mortem, 
englobando os diagnósticos anatômico 
e histopatológico. 
➢ Radiológico - Utilização de Raio-X. 
➢ Presuntivo, provável ou provisório - 
Em várias ocasiões, nem sempre é 
possível estabelecer, de imediato, o 
diagnóstico exato da enfermidade que 
ora se manifesta. 
Escola Superior Batista do Amazonas – ESBAM 
Medicina Veterinária/ disciplina: Semiologia Veterinária 
Aluna: Gabrielly Rocha 
 
4 
 
CAUSAS DE ERROS DIAGNÓSTICOS: 
➢ Anamnese incompleta; 
➢ Exame físico superficial; 
➢ Avaliação precipitada; 
➢ Conhecimento ou domínio insuficiente 
dos métodos dos exames 
➢ físicos; 
➢ Impulso precipitado em tratar o 
paciente antes mesmo de se 
➢ estabelecer o diagnóstico. 
 
PASSOS PARA DIAGNÓSTICOS 
CORRETOS: 
➢ Não seja demasiadamente sagaz; 
➢ Não tenha pressa; 
➢ Não tenha predileções; 
➢ Não diagnostique raridades; 
➢ Não tome um rótulo por diagnóstico; 
➢ Não seja tão seguro de si; 
➢ Não hesite em rever seu diagnóstico, 
de tempo em tempo, nos casos 
crônicos. 
Prognóstico 
´´Consiste em prever a evolução da doença e 
suas prováveis consequências. ´´ 
 
1- Perspectiva de salvar a vida; 
2- Perspectiva de recuperar a saúde ou de 
curar o paciente; 
3- Perspectiva de manter a capacidade 
funcional do órgão acometido. 
 
CLASSIFICA-SE EM: 
➢ Favorável 
➢ Reservado 
➢ Desfavorável 
 
Tratamento 
´´É o meio utilizado para combater a doença. ´´ 
 
➢ Tratamento cirúrgico; 
➢ Medicamentoso; 
➢ Dietético. 
 
QUANTO A FINALIDADE O TRATAMENTO 
PODE SER: 
➢ Causal: quando se opta por um meio 
que combata a causa da doença; 
➢ Sintomático: quando visa combater 
apenas os sintomas ou abrandar o 
sofrimento do animal; 
➢ Vital: quando procuramos evitar o 
aparecimento de complicações que 
possam levar a morte. 
 
 
 
“No diagnóstico, o clínico alcança a 
afirmação de seus conhecimentos; no 
prognóstico, prevendo corretamente a 
evolução da doença, o clínico terá a 
contraprova do seu acerto e, no sucesso da 
terapia recomendada, a confirmação da sua 
competência.” 
 
Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.