A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Introdução ao Direito Penal

Pré-visualização | Página 3 de 3

que é um direito assegurado 
pela Constituição Federal. 
 
 
FERNANDA CAUS PRADO DIREITO PENAL I 
6 
 
A conduta criminosa 
O conceito de crime está ligado à violação dos valores fundamentais protegidos na 
esfera do direito penal. O crime será sempre violação de direitos de outrem, violação 
do direito alheio. 
Para compreender a teoria do crime, é necessário entender a estrutura do direito 
penal (bens jurídicos, normas e fatos). A teoria do crime deve ser repensada à luz da 
ideia de que o direito penal deve defender bens jurídicos. 
A ideia do que é ou não é crime, requer dos intérpretes que verifiquem se a conduta 
praticada pelo sujeito ativo ofendeu bem jurídico alheio. Quem aplica o direito penal, 
a exemplo do juiz, deve avaliar se o sujeito que praticou a conduta (pela qual está 
sendo acusado) ofendeu o bem jurídico alheio. 
➔ Conduta criminosa: aquela capaz de ofender o bem jurídico alheio. 
O sistema de proteção de bens jurídicos pela norma penal é bem elaborado, pois os 
bens jurídicos não são protegidos apenas por sofrerem lesão, mas também pela 
possibilidade efetiva de serem colocados em perigo. 
Desse modo, a ofensa pode se dar de duas formas: lesão ao direito alheio ou perigo 
concreto de lesão ao direito alheio . Fora dessas possibilidades, o sujeito não 
praticou o crime. 
★ Exemplificando: lesão ou perigo de lesão. 
Homicídio consumado é uma lesão ao direito alheio, a tentativa de homicídio (não 
consumado) é um perigo concreto de lesão ao direito alheio. 
 
 
 
 
 
FERNANDA CAUS PRADO DIREITO PENAL I 
7 
 
 -------------------------------________----- EXERCÍCIOS ---------------------------------------------------- 
1. A definição legal da infração penal deve ser feita de forma clara e inteligível 
(taxativa), para não gerar leis penais abertas demais. 
VERDADEIRA 
 
2. A preceituação genérica da lei penal fere o princípio da legalidade. 
VERDADEIRA 
 
3. Não é obrigatória a prévia existência de lei penal incriminadora para que 
alguém possa ser por um fato condenado. 
FALSA, estabelece o art. 1º do CP “Não há crime sem lei anterior que o defina. 
Não há pena sem prévia cominação legal.”