A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Metabolismo energético

Pré-visualização | Página 1 de 1

Metabolismo energético: 
- transformação da energia do alimento em 
energia química potencial 
- “Na natureza nada se cria, nada se perde, 
tudo se transforma” 
- compreendem os processos pelos quais as 
celulas convertem a energia potencial 
proveniente dos alimentos em energia útil 
- quebra de ADP em ATP -> energia para os 
processos 
- ao utilizar ATP a concentração dele cai e a 
de ADP aumenta – promovendo a 
regeneração do ATP 
*enegia: capacidade de realizar trabalho 
*caloria: unidade-padrão para medida de calor 
*a unidade de energia utilizada na nutrição é a 
quilocaloria -> 1kcal é a energia específica 
necessária para elevar 1L de água a 
temperatura de 1ºC 
*joule: unidade de energia em termos de 
tabalho mecânico -> 1kcal = 4,2kJ 
- conversão da energia dos alimentos em 
ATP (40%) – maior parte é transformada em 
calor p/ manter a temperatura corporal 
- energia não digerível, fezes ou utilizadas pela 
flora (1-5%) 
- urina, suor e celulas (~5%) 
- ETA (6-10%) 
- calor (45-50%) 
*efeito térmico dos alimentos: o corpo gasta 
energia p/ metabolizar os alimentos – 
promovendo digestão, absorção e os 
processos metabólicos 
Fatores de Atwater: 
- desenvolveu uma forma de mensurar a 
energia dos alimentos 
- estudos utilizando um calorímetro ou bomba 
calorimétrica ->combustão de uma amostra 
de alimento 
- dependendo da quantidade de energia 
liberada na queima do alimento, acontecia um 
aumento na temperatura que era convertido 
em caloria 
- carboidratos e proteínas -> 4kcal 
- lipídios -> 9kcal 
- para que o alimento fosse oxidado precisava 
de um influxo de O2 -> quanto mais energia o 
alimento gerava na sua combustão, mais O2 
era necessário para promover a queima 
Balanço energético: 
- balanço energético positivo x balanço 
energético negativo 
- os alimentos sozinhos não influenciam no 
peso, o que vai interferir será o balanço 
energético 
Peso: 
- refelte a adequeacao ou não de energia 
- mas não é um indicador da adequeacao de 
macronutrientes e micronutrientes 
- necessidade de exames complementares: 
exame fisco, % de gordura, exames 
bioquímicos e inquéritos alimentares 
Gasto energético total: 
- energia despedida pelo corpo humano pelo 
período de 24h 
- gasto energético basal (GEB) 
- efeito térmico do alimento (ETA) 
- energia gasta pela atividade física (EGAF) 
- termogênese adaptativa (TA) 
- GET = GEB + ETA + EGAF + TA (kcal/dia) 
- gasto energético basal – 60% do gasto 
energético total 
- energia gasta com atividade física depende 
do nível de atividade do individuo 
Gasto energético basal (GEB)/ TMB: 
- reflete as necessidades energéticas em 
repouso p/ sustentar as atividades metabólicas 
- maior componente do GET 
*condições de aferição: paciente acordado, 
jejum de 10 a 12 horas, ambiente termoneutro 
e completo repouso físico e mental 
Fatores que afetam o GEB: 
- massa corporal: relação direta – quanto 
maior a massa corporal, maior o GEB 
*massa magra/massa livre de gordura: massa 
magra engloba tudo que não é gordura 
- massa magra é mais metabolicamente ativa 
Composição corporal: 
- o principal determinante de GEB é a massa 
livre de gordura ou massa corpórea magra, 
tecido metabolicamente mais ativo 
*massa livre de gordura: ossos, tendões, 
ligamentos, musculo esquelético e órgãos 
Idade: 
- correlação negativa do GEB quando relativo 
ao peso corporal 
- motivos: 
- utilização de energia para a deposição de 
tecidos durante o crescimento 
- 1º mês de vida: 35% da energia 
- 12 meses: 3% 
- fase de estirão 4% 
- a perda de MM com o envelhecimento está 
associada ao declínio no GER 
Gênero: 
- naturalmente o homem tem menos gordura 
corporal do que a mulher 
Outros fatores: clima, utilização de drogas, 
fatores patológicos, estado hormonal e 
gestação e lactação 
Efeito termogênico dos alimentos: 
- representa a energia necessária para digerir, 
absorver e metabolizar nutrientes 
- medicao do ETA – fins de pesquisa 
- fatores que afetam o ETA: composição de 
nutrientes, tamanho da refeição, ativação 
simpática induzida pela refeição, idade, 
composição corporal 
Energia gasta em atividade física: 
- varia conforme o tamanho corporal e 
eficiência dos hábitos individuais do movimento 
- grande variabilidade 
- pacientes acamados/atletas 
- idade, peso e sexo 
Termogênese adaptativa: 
- refere-se as alterações que podem ocorrer 
no gasto metabólico devido as influencias do 
meio ambiente 
- mudança quantitativa e qualitativa da dieta 
- exercícios intensos 
- fármacos 
- alterações hormonais 
Métodos para avaliar o GET ou seus 
componentes: 
- calorimetria direta – individuo dentro de uma 
câmara termicamente isolada – medir o 
quanto de calor seu corpo produz 
- calorimetria indireta – estima o gasto 
energético determinando o volume de 
oxigênio consumido em um dado período 
- utiliza-se o espirômetro 
- queima de CHO + LIP + PROT 
- convenção 1L O2 consumido = 5kcal 
Ex: 10 min, consumo 2L de O2/min 
10 min X 2L O2/min = 20L em 10 min 
20L O2 x 5kcal = 100kcal 
- energia liberada por L de O2 consumido 
varia conforme o substrato utilizado 
- p/ oxidar lipídios precisa de mais O2 
Calorimetria indireta: 
*vantagens: 
- mobilidade, custo 
- bom p/ medir TMB/GEB 
- ótima correlação com a calorimetria direta 
*desvantagens: 
- desconfortável 
- aparelhos caros 
*indicações: 
- pacientes com necessidades de um calculo 
energético mais preciso 
- p/ conhecer o substrato utilizado pelo 
organismo 
- pesquisa 
Equivalentes metabólicos (MET): 
- unidade de medida que expressa múltiplos da 
TMB 
- 1 MET = quantidade de O2 metabolizado em 
repouso (3,5mL/kg/min) 
- considerando-se que 1L de O2 consumido = 
5kcal, então temos 0,0175kcal/kg/min 
- ex: indivíduo 70kg = 1,2 kcal/min 
Valor geral = 1 MET = 1kcal/min 
Equações preditivas – TMB e GET: 
- Harris e Benedict 
 
 
 
 
*em fases da vida onde há desenvolvimento, a 
necessidade é maior que o gasto (ex: crianças 
crescendo, gestação)