A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Absolutismo
Fatores
- Aliança Rei-Burguesia: essa camada social possuía um interesse econômico na centralização do poder político e na adoção de mecanismos protecionistas para garantir a expansão das atividades comerciais. Além disso, a adoção de incentivos comerciais contribuía para o enfraquecimento da nobreza feudal.
- Reformas religiosas: a decadência da Igreja Católica e a falência do poder papal contribuíram para o fortalecimento do poder real, essas reformas minaram o poder universal, colaborando para a consolidação do poder real.
- O Renascimento Cultural contribuiu para um retorno ao Direito Romano.
Mercantilismo
Características
- Balança comercial favorável: exportar mais do que importar, desta forma entraria mais moedas do que sairia, deixando o país em boa situação financeira.
- Metalismo (bulionismo): acúmulo de metais.
- Intervencionismo Estatal: tinha o intuito de desenvolver a produção agrícola, comercial e industrial.
- Adoção de medidas protecionistas: os reis criavam impostos para evitar ao máximo a entrada de produtos vindos do exterior.
- Monopólios: o Estado garante o exclusivismo comercial sobre um determinado produto e/a uma determinada área.
- Pacto Colonial: as colônias deveriam fazer comércio apenas com suas metrópoles.
- Industrialização: o governo estimulava o desenvolvimento de indústrias em seus territórios.
Conceito
- Política econômica do Estado Moderno com base no acúmulo de capitais.
Objetivo
- Intervenção do Estado nos assuntos econômicos para promover o fortalecimento do Estado e o enriquecimento da burguesia.
Mecanismos 
- Criação de um Exército Nacional: instrumento crucial para a centralização política e tinha a intenção de enfraquecer a nobreza e não armar os camponeses.
- Controle Legislativo: as decisões do reino estavam controladas pelo rei, que possuía direito de criar as leis.
- Controle sobre a Justiça: criação do Tribunal Real.
- Controle sobre as Finanças: intervenção na economia, mediante o monopólio da cunhagem de moedas, a padronização monetária, a cobrança de impostos, a criação de Companhias de Comércio e a imposição dos monopólios.
- Burocracia Estatal: corpo de funcionários que auxilia na administração das obras públicas, no fortalecimento do controle do Estado e do poder real.