A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO

Pré-visualização | Página 1 de 2

MARIANA AFONSO COSTA – MEDICINA: 2º PERÍODO 
ANATOMIA HUMANA II – PROFESSORA: MARIA INÊS BOECHAT 
SISTEMA DIGESTÓRIO 
 O sistema digestório é formado pelo tubo digestivo e pelas glândulas anexas – salivares, fígado e pâncreas. O tubo 
digestivo segue da cavidade oral até o anus, dividindo se em: CAVIDADE ORAL, FARINGE, ESÔFAGO, ESTOMAGO, INTESTINO 
DELGADO, INTESTINO GROSSO, RETO e ÂNUS. 
REGIÃO ORAL 
A região oral é dividida em vestíbulo da boca e a cavidade oral. A cavidade oral é limitada anteriormente pela rima oral 
– espaço entre os dois lábios; posteriormente pelo istmo das fauces – delimitado pelas pregas, palatoglosso e palatofaríngeas, 
e a úvula; lateralmente pelas bochechas; superiormente pelo palato e inferiormente pelos músculos do assoalho da boca, 
ocupado pela língua. 
A língua, além de auxiliar a mastigação através dos músculos do assoalho da boca, é um órgão sensorial – presença de 
papilas gustativas – e ajuda na defesa contra microrganismos – tonsilas linguais. 
Posteriormente à cavidade oral, circundada anteriormente pela prega palatoglosso e posteriormente pela prega 
palatofaríngea, há a fossa tonsilar, onde se encontra a tonsila palatina (amigdala). Na parte terminal central da língua 
encontra-se o forame cego. 
As tonsila palatinas, tonsila lingual e tonsila faríngea (localizada na nasofaringe) formam o chamado ANEL linfático DE 
WALDEYER, que atua na defesa do organismo. 
A prega palatoglosso liga o palato mole à língua, formando o arco palatoglosso, e a prega palatofaríngea liga o palato 
mole à faringe formando o arco palatofaríngeo. 
Identificar: 
1. Vestíbulo da boca (anteriormente aos dentes) 
2. Frênulos dos lábios 
a. superior 
b. inferior 
3. Palato duro (formado pelos ossos maxilas e palatino) 
4. Palato mole, formado por: 
a. Úvula 
b. Arco e prega palatoglosso 
c. Arco e prega palatofaríngea 
d. Fossa tonsilar: Tonsila palatina 
 
5. Músculos do assoalho da boca: 
a. Genioglosso 
b. Genio-hioídeo 
c. Milo-hioídeo 
6. Língua: 
a. Raiz 
b. Corpo 
c. Ápice 
d. Tonsila lingual 
e. Forame cego 
f. Sulco terminal 
g. Frênulos 
A cavidade oral é uma região muito vascularizada tanto no ponto de vista arterial quanto venoso, pequenos cortes 
podem causar grande sangramento. 
Por outro lado, a drenagem venosa acentuada na região inferior da língua permite a utilização/absorção de alguns 
medicamentos via sublingual, fornecendo ações rápidas. 
 
6g 
2b 
2a 
 
 
 
 
 
3 
4 
4a 
4b 
4c 
4d 
6d 
6a 
6b 
6c 
6d 
4d 
6e 
6f 
 
FARINGE 
 A faringe se estende da base do crânio até a margem inferior da cartilagem cricóidea – mais ou menos até vertebra C6 
– se dividindo em NASOFARINGE, OROFARINGE E LARINGOFARINGE. A faringe faz parte tanto do sistema respiratório – ligando 
a cavidade nasal à laringe – quanto do sistema digestório – ligando a cavidade oral ao esôfago. 
 A transição faringoesofágica – transição da laringe para o esôfago – acontecem mais ou menos na altura da vertebras 
cervical C6. 
 Identificar: 
7. Recesso Piriforme 
8. Músculos da faringe: 
a. Constritor superior da faringe 
b. Constritor médio da faringe 
c. Constritor inferior da faringe 
 
7 
4c 
4d 
6a 
4a 
4 
5a 
5b 
5c 
9 
10 
11 
 
ESÔFAGO 
 A principal e única função do esôfago é conduzir o bolo alimentar até o estomago. É um órgão grande estende-se 
verticalmente entre a traqueia e a coluna, atravessando o diafragma pelo hiato esofágico, e é divido em três regiões: cervical, 
torácica e abdominal. 
 O esôfago na região cervical (1/3) é predominantemente composto por musculatura esquelética e nas regiões torácica 
e abdominal (2/3) é composto por musculatura lisa, responsável por levar o bolo alimentar para o estomago através do 
peristaltismo. 
 Além disso, o esôfago possui 4 regiões onde há o espessamento da musculatura com intuito de impedir o refluxo: na 
transição faringoesofágica, onde o espessamento é nomeado ESFÍNCTER ESOFÁGICO SUPERIOR; na transição do esôfago para 
o estomago, chamado ESFÍNCTER ESOFÁGICO INFERIOR; no cruzamento com o arco aórtico e com os brônquio principal 
esquerdo. 
 É o terceiro órgão do sistema digestório acometido por câncer. 
ESTÔMAGO 
 O estomago é um órgão responsável pela digestão através do suco gástrico liberado na cavidade gástrica, sendo 
caracterizado por suas curvaturas maior e menor, e pelas paredes anterior e posterior. Anatomicamente, o estomago se divide 
em quatro regiões: região cárdia, fundo, corpo e região pilórica. 
 A região cárdia possui esse nome por se localizar anatomicamente próxima ao coração, sendo que nessa região há 
uma válvula chamada cárdia que impede o refluxo do alimento. 
 Na região interna do corpo do estomago nota-se as pregas gástricas, que, quando o estomago se dilata, se esticam 
aumentando a área do estomago. 
 A região pilórica corresponde ao final do estômago, onde a parte mais larga, chamada de antro pilórico, leva até o 
canal pilórico – parte mais estreita – onde encontrasse o piloro, um espessamento do músculo característico do esfíncter 
pilórico, que controla a saída do conteúdo gástrico e impede o refluxo gastroduodenal, através do óstio pilórico. 
 Identificar: 
9. Curvatura maior 
10. Curvatura menor 
11. Parede anterior 
12. Parede posterior 
13. Região cárdia 
a. Óstio cárdio 
14. Regiões do fundo e corpo: 
a. pregas gástricas 
15. Região pilórica 
a. Antro pilórico 
b. Canal pilórico 
c. Piloro 
d. Óstio pilórico 
É o segundo órgão do sistema digestório mais acometido por câncer. 
8a 
8b 
8c 
Curvatura menor 
Curvatura maior 
Músculo constritor superior 
da faringe 
Músculo constritor médio 
da faringe 
Músculo constritor inferior 
da faringe 
Parede 
anterior 
É possível que o hiato esofágico fique alargado possibilitando a entrada e uma parte do estomago – geralmente o 
fundo – ocasionando a hernia de hiato. 
 
 
INTESTINO DELGADO 
 O intestino delgado mede em torno de 7 a 9 metros, sendo responsável pela digestão e absorção, se dividindo em: 
duodeno – parte superior ligada ao estomago; Jejuno e Íleo, sendo esse último conectado ao intestino grosso. 
 O duodeno é o principal responsável pela digestão através do suco pancreático e da bile. Ele se divide em porções 
superior, descendente, inferior ou horizontal e ascendente. 
 Na parte descendente do duodeno desembocam os ductos colédoco – que sai da vesícula biliar transportando a bile – 
pancreático principal formando a ampola hepatopancreática (ou papila duodenal maior), e, em algumas pessoas, o ducto 
pancreático acessório também chega ao duodeno formando a papila duodenal menor. 
 O jejuno e o íleo possuem diferenças anatômicas, mas a transição do jejuno para o íleo é lenta, gradativa e não ocorre 
em um ponto anatômico específico. 
 A área de transição entre o íleo e o intestino grosso, é caracterizada pela junção ileocecal, com uma válvula 
responsável por impedir o refluxo do conteúdo levado para o intestino grosso. 
 Identificar: 
16. Duodeno 
a. Parte superior 
b. Parte descendente 
i. Ampola hepatopancreática 
ii. Papila duodenal menor 
c. Parte inferior/horizontal 
d. Parte ascendente 
17. Jejuno 
18. Íleo
 
 
13 
13a 
14 
14a 
15 
15d 
15c 
15b 
Antro pilórico 
Canal pilórico 
15a 
Parede 
anterior 
17 
18 
 
 
INTESTINO GROSSO 
 O intestino grosso é responsável por absorver agua e resíduos indigeríveis convertendo-os em fezes. O intestino 
grosso é caracterizado pela presença das tênias cólicas, das saculações e dos apêndices epiplóicos (pequenas estruturas 
aderidas superficialmente nas paredes do cólon, compostos por gordura e pequenos vasos). Além disso, ele se divide em ceco, 
colo e reto. 
 A primeira região do intestino grosso é o ceco, caracterizado pela presença do esfíncter íleocecal e do apêndice 
vermiforme. O apêndice vermiforme é um divertículo intestinal composto por massa de tecido linfoide produtor de muco, que 
possui apenas