A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Sistema Cardiovascular

Pré-visualização | Página 1 de 5

Sistema Cardiovascular 
@vet.marimilano 
 
O coração é uma bomba, o seu bombeamento mantém o 
sangue em movimento através do sistema vascular dia e 
noite, liberando oxigênio e nutrientes necessários às 
células, transportando hormônios que auxiliam na 
regulação das funções corporais, liberando anticorpos e 
células inflamatórias necessárias para proteger o corpo e 
removendo produtos de excreção do metabolismo dos 
tecidos. 
O sangue que carrega estes importantes materiais, é 
impulsionado pelo através de um sistema fechado de 
tubos (vasos sanguíneos) aos tecidos do corpo. 
Como o deve bombear oxigênio e nutrientes por todo 
o corpo, faz sentido que ele seja centralmente localizado 
no tórax. Ele é circundado pelos pulmões e protegido 
pelas costelas. Nos gatos e cães, o situa-se entre a 3ª e 
7ª costelas, já nos equinos e ruminantes, o tem 
ligeiramente o formato de um “coração”, sua base 
circular esta onde os principais vasos sanguíneos entram 
e saem, e o ápice da outra ponta esta onde o ventrículo 
esquerdo termina. 
Em todas as espécies veterinária, o coração localiza-se no 
mediastino (espaço entre as duas cavidades pleurais que 
contém os pulmões. A traqueia, o esôfago e algumas 
estruturas vasculares também estão localizados no 
mediastino). 
O mediastino também é denominado espaço 
interpleural, pois ele é o espaço entre a pleura que 
recobre o pulmão direito e a pleura que recobre o 
pulmão esquerdo. 
 
Composição da parede cardíaca: 
O coração é primariamente um órgão muscular, como 
seria esperado pela sua função de bombeamento. A cada 
externa do coração é denominada pericárdio. O 
pericárdio consiste em duas camadas: pericárdio fibroso 
(externa) e pericárdio seroso (interna). 
O pericárdio fibroso é constituído de tecido conectivo 
fibroso resistente que protege o coração e frouxamente o 
adere ao diafragma, já o pericárdio seroso é realmente 
constituído de duas camadas interna, a camada visceral 
(epicárdio, que é intimamente aderida ao músculo 
subjacente) e camada parietal (repousa entre o epicárdio 
e o pericárdio fibroso). 
 
 
 
 
 
 
 
Entre as duas camadas do pericárdio seroso, encontra-se 
uma cavidade pequena preenchida om líquido que age 
como um lubrificante entre as camadas, permitindo ao 
coração suavemente expandir-se e contrair-se à medida 
que ele se enche e esvazia. 
Dentro do saco formado pelo pericárdio está uma 
camada espessa de tecido cardíaco, o miocárdio 
(músculo cardíaco). Como o músculo esquelético, o 
musculo cardíaco é estriado quando examinado sob 
microscopia. Entre o miocárdio e as câmaras do coração 
encontra-se uma fina delimitação membranosa 
denominada endocárdio. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Visceral = significa “pertencer a órgãos internos moles” 
Parietal = significa “pertencer à parede de um órgão ou 
cavidade” 
 
@vet.marimilano 
 
Fluxo sanguíneo pelo coração: 
O coração recebe o sangue não oxigenado dos tecidos do 
corpo e o bombeia para os pulmões, onde ele é 
oxigenado, depois o bombeia o sangue oxigenado para 
fora de volta para a circulação sistêmica a fim de 
fornecer oxigênio aos tecidos. Em um coração saudável, o 
sangue viaja em somente uma direção; uma série de 
valvas evita o fluxo retrógrado. 
O sangue não oxigenado é recebido no átrio direito 
proveniente da circulação sistêmica e coronariana. A 
circulação coronariana fornece sangue ao músculo 
cardíaco; como em todos os tecidos, o coração deve 
fornecer sangue a si próprio. Muitas veias que coletam 
sangue não oxigenado dos tecidos fundem-se 
progressivamente em vasos maiores, até que elas 
formam a veia cava cranial e a veia cava caudal. 
A veia cava desemboca no átrio direito, que está 
localizado na base do coração. 
 
 
 
 
 
 
Após ser coletado no átrio direto, o sangue passa pela 
valva atrioventricular direita “válvula tricúspide” para o 
ventrículo direito do coração. 
Durante a sístole (contração cardíaca), o ventrículo 
direito contrai-se, a valva tricúspide fecha-se (evitando 
que o fluxo sanguíneo volte ao átrio) e o sangue é 
ejetado pelo ventrículo pela valva pulmonar para as 
artérias pulmonares. Das artérias pulmonares, o sangue 
passa pelos vasos ramificados aos capilares pulmonares 
dos alvéolos, onde a oxigenação ocorrerá. 
Após se tornar oxigenado nos capilares pulmonares, o 
sangue viaja por vasos que se fundem e aumentam em 
diâmetro, tornando-se as veias pulmonares que liberam o 
sangue no átrio esquerdo. O sangue acumulado no átrio 
esquerdo flui pela valva atrioventricular esquerda 
“válvula mitral”, para o ventrículo esquerdo. 
Durante a sístole, a valva mitral fecha-se (evita o fluxo 
retrógrado do ventrículo ao átrio) à medida que o 
ventrículo contrai e ejeta o sangue pela valva aórtica para 
as artérias coronárias e para a aorta, a maioria artéria do 
corpo. Da aorta, o sangue viaja pelos vários ramos 
arteriais para os capilares dos tecidos, onde o oxigênio e 
os nutrientes serão trocados. 
Após passar pelos capilares teciduais, o sangue não 
oxigenado retorna ao coração progressivamente por 
vênulas maiores e veias, até desembocar pela veia cava, 
ou veias coronárias no átrio direito. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Estruturas externas do coração: 
A base do coração está localiza no topo, onde os átrios 
são encontrados e por onde os vasos sanguíneos entram 
e saem. O ápice do coração aponta a direção ventral e 
caudal, e a extremidade do ápice do coração é a ponta do 
ventrículo esquerdo. 
 
 
 
Quando examinamos o coração, ele geralmente é mais 
fácil de ser identificado pelos átrios esquerdo e direito. 
As partes maiores e mais visíveis dos átrios são as 
aurículas (orelha, descreve as estruturas externas das 
orelhas em animais e pessoas). As aurículas, como se 
empoleiram sobre o peso do coração, parecem algo 
como as orelhas frouxas pendentes sobre os ventrículos 
musculares e lisos. 
As aurículas podem ser identificadas pela determinação 
do ventrículo em que elas se dispõem. A aurícula 
esquerda repousa sobre o ventrículo esquerdo, que é 
longo e estreito e termina no ápice cardíaco. A aurícula 
direita repousa sobre o ventrículo direito, que tem uma 
@vet.marimilano 
Em animais que se mantêm em repouso, a 
base do coração é orientada na direção 
dorsocranial 
Circulação sistêmica – átrio direito – valva tricúspide 
– ventrículo direito – valva pulmonar – artéria 
pulmonar – pulmões – átrio esquerdo – valva mitral – 
ventrículo esquerdo – valva aórtica – aorta – e 
recomeça o ciclo novamete 
 
ampla área de superfície e se envolve ao redor do 
ventrículo esquerdo. 
As bordas dos ventrículos podem ser observadas na 
superfície do coração; elas são separadas pelos sulci 
interventriculares (sulci é plural de sulcos, que significa 
“entalhe”). Os sulci interventriculares contêm gordura e 
vasos sanguíneos que fazem parte da circulação 
coronariana do coração. 
Como o sangue retorna ao coração pelas veias sistêmicas, 
coronárias e pulmonares sob relativamente baixa 
pressão, as paredes dos átrios, para os quais o sangue 
retorna não precisam ser espessas e fortes como as 
paredes dos ventrículos, dos quais o sangue é ejetado 
para as artérias. A textura das aurículas é muito flexível 
quando comparada à solidez das superfícies externas dos 
ventrículos. 
As veias cavas caudal e cranial que coletam o sangue da 
circulação sistêmica podem ser observadas juntando-se 
com os seios coronariano, que coleta o sangue da 
circulação coronariana e converge ao átrio direito. Várias 
veias pulmonares podem ser observadas controlando o 
átrio esquerdo. 
As veias que entram nos átrios carregam sangue sob 
pressão relativamente baixa, assim elas têm paredes 
mais finas do que as artérias que saem dos ventrículos 
carregando sangue sob alta pressão. Esta diferença na 
espessura das paredes dos vasos é de grande auxílio na 
identificação dos vários vasos que carregam o sangue 
para dentro e para fora do coração. 
As paredes espessas do ventrículo esquerdo do coração 
dão a aparência de serem