A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
BIOFÍSICA DA HEMODINÂMICA

Pré-visualização|Página 1 de 1

BIOFÍSICA DA HEMODINÂMICA

➜“Por que o sangue flui?” é que os líquidos e os gases fluem por gradientes de pressão (ΔP) de regiões de alta pressão para regiões de baixa pressão. Por essa razão, o sangue pode fluir no sistema circulatório apenas se uma região desenvolver pressão mais elevada do que outras.

➜Nos seres humanos, o coração gera alta pressão quando se contrai. O sangue flui para fora do coração (a região de pressão mais alta) para o circuito fechado de vasos sanguíneos(uma região de menor pressão). Conforme o sangue se move pelo sistema, a pressão diminui, devido ao atrito entre o sangue e a parede dos vasos sanguíneos.

- A pressão criada dentro dos ventrículos é denominada pressão propulsora, pois é a força que impulsiona o sangue pelos vasos sanguíneos.

A pressão mais alta nos vasos do sistema circulatório é encontrada na aorta e nas artérias sistêmicas, as quais recebem sangue do ventrículo esquerdo. A pressão mais baixa ocorre nas veias cavas, imediatamente antes de desembocarem no átrio direito.

➜A pressão exercida por um líquido em movimento tem dois componentes: um dinâmico, que é o componente do movimento e que representa a energia cinética do sistema, e um componente lateral, que representa a pressão hidrostática (energia potencial) exercida sobre as paredes do sistema. A pressão dentro do nosso sistema circulatório geralmente é denominada pressão hidrostática, embora se saiba que é um sistema no qual o líquido está em movimento.

➜Se os vasos sanguíneos dilatam(vasodilatação), a pressão dentro do sistema circulatório cai. Se os vasos sanguíneos contraírem(vasoconstrição), a pressão sanguínea no sistema aumenta.

O fluxo (α) é diretamente proporcional ao gradiente de pressão (ΔP): Fluxo α ΔP

em que ΔP=P1- P2. Essa relação significa que quanto maior o gradiente de pressão, maior é o fluxo de líquido.

➜A tendência de o sistema circulatório se opor ao fluxo sanguíneo é denominada resistência ao fluxo.Um aumento na resistência de um vaso sanguíneo resulta em redução do fluxo por ele.

➜A  resistência é influenciada por três componentes: o raio do tubo (r), o comprimento do tubo (L) e a viscosidade (“espessura”) do líquido (η)

-A lei de Poiseuille mostra a relação desses componentes: R α η/ r4

➜A viscosidade do sangue é determinada pela razão entre os eritrócitos e o plasma, bem como pela quantidade de proteínas plasmáticas. Em geral, a viscosidade é constante, e pequenas mudanças no comprimento ou na viscosidade causam poucos efeitos na resistência. Isso faz as mudanças no raio dos vasos sanguíneos serem a principal variável que afeta a resistência na circulação sistêmica.

➜Como o fluxo é inversamente proporcional à resistência, o fluxo aumenta 16 vezes quando o raio duplica.

➜O fluxo sanguíneo no sistema circulatório é diretamente proporcional ao gradiente de pressão no sistema e inversamente proporcional à resistência do sistema ao fluxo. Se o gradiente de pressão permanece constante, então o fluxo varia inversamente à resistência.

➜As artérias atuam como um reservatório de pressão durante a fase de relaxamento do coração, mantendo a pressão arterial média (PAM), que é a força impulsora do fluxo sanguíneo. A pressão arterial média é influenciada por dois parâmetros: o débito cardíaco (volume sanguíneo que o coração bombeia por minuto) e a resistência periférica (resistência dos vasos sanguíneos ao fluxo sanguíneo por eles.

➜O valor máximo, a pressão sistólica, durante a sístole, caindo em seguida e atingindo seu valor mais baixo, a pressão diastólica, ao final da diástole. No adulto saudável, a pressão sistólica é de aproximadamente 120 mmHg e a pressão diastólica é de 80 mmHg. Esses valores de pressão sanguínea geralmente são expressos como 120/80 mmHg. A diferença entre as pressões sistólica e diastólica é chamada pressão de pulso (120 – 80 = 40 mmHg).

-Pressão de Pulso:é a diferença entre PA sistólica e PA diastólica. A complacência aórtica( é quando o vaso tem a capacidade de aumentar de tamanho-dilatado- necessita de uma força física, ex: a ‘’elasticidade’’ do vaso para receber o sangue) e o volume sistólico interferem na PAM. A distensibilidade é a variação do tamanho do vaso independe da força física, ele aumenta por comando neural,humoral e etc.. A complacência fixa aumenta a pressão de pulso

HTML image 0

HTML image 1

HTML image 2

➜ O cálculo da Pressão Arterial Média (PAM) se dá por pressão sistólica [da contração do VE-mensurada nas artérias (aorta)] e pela pressão diastólica [eventos que coincidem com a diástole, mas é a distribuição periférica do fluxo de sangue(o sangue entrando nas arteríolas e dividindo essa ‘carga’)].  PAM=PAD+(PAS-PAD)/3

ex: Normotenso 120x80. PAM=80+(120-80)/3. Tudo isso é igual a 93,3 mmHg

 -insuficiência aórtica(sopro): quando há falha no fechamento da aorta. Não há incisura no gráfico. Volume sg MT grande, subindo PA sistólica e PA diastólica cai MT.

      -a placa de ateroma(arteriosclerose). Aumenta a   pressão sistólica e consequentemente a pressão de pulso

-persistência canal arterial(↓O2):em que o canal arterial fetal em alguns não se fecham e chega MT sg p aorta ↑PA sistólica e ↑PP, o sg não vai p circulação sistêmica, não chega em todos os tecidos e PA diastólica cai.

   -estenose aórtica(estreitamento da válvula):mantém PA diastólica e ↓PP.

 * incisura:refletem o fechamento das valvas

-O PAM influência outros sistemas, como renal,nervoso e outros (risco problemas renais, AVE e etc).

- A Temperatura corporal influencia na vasoconstrição e vasodilatação periférica(pelas trocas com o ambiente e pelas reações metabólicas-ATP).