A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Conjuções

Pré-visualização | Página 1 de 1

Conjunções
	Conjuções coordernativas: quando introduzem uma oração que não estabelece função sintática em relação à outra.
(não há uma obrigação de ter “resposta”)
Ex: eu fui pertuguntar, mas ela não respondeu
Perspectiva semântica: As conjunções ajudam a estabelecer diferentes relações semânticas entre os termos ou orações que elas conectam.
Atenção.: Existem as conjunções integrantes (“que” e “se”), que não estabelecem valor semântico, apenas unem sintaticamente as orações.
Observe os enunciados a seguir:
I)João foi ao cinema e ao restaurante.
II)Mariana gostaria que seu namorado chegasse.
III)André comeu tanto que passou mal.
No primeiro caso, a conjunção “e” está ligando dois termos ("ao cinema", "ao restaurante") sintaticamente independentes, conferindo-lhes uma relação semântica de adição.No segundo, a conjunção “que” não estabelece valor semântico entre as orações, apenas liga sintaticamente a segunda oração (subordinada) à oração principal.
No terceiro, a locução conjuntiva “que” - em correlação com o advérbio "tanto" - evidencia que a segunda oração representa a consequência da primeira.
	1) Observe os versos:
“Se há noite ou sol, é indiferente,
a escuridão rompe com o dia.”
A expressão que, empregada para ligar esses versos, expressa noção adequada ao contexto é:
d) pois, com sentido de explicação.
Como o segundo verso explica uma condição expressa pelo primeiro verso, deve-se utilizar uma conjunção que tenha valor explicativo, portanto, a conjunção “pois”.
2) Na resposta à pergunta 1, o trecho (II) expressa em relação ao trecho (I) ideia de:
I)Mas sobretudo a biologia me ajudou a repensar-me como pessoa solidária (l. 3)
II) Hoje em nenhum lugar me sinto uma criatura solitária. (l. 6)
c) conclusão
A frase II pode ser entendida como uma conclusão em relação ao que foi dito na frase I. Para ter certeza, é possível acrescentar conectivos conclusivos como “Dessa forma” e “Assim”.
3)Tarefa
Morder o fruto amargo e não cuspir
Mas avisar aos outros quanto é amargo
Cumprir o trato injusto e não falhar
Mas avisar aos outros quanto é injusto
Sofrer o esquema falso e não ceder
Mas avisar aos outros quanto é falso
Dizer também que são coisas mutáveis…
E quando em muitos a não pulsar
— do amargo e injusto e falso por mudar —
então confiar à gente exausta o plano
de um mundo novo e muito mais humano.
*Na organização do poema, os empregos da conjunção, “mas” articulam, para além de sua função sintática,
c)a introdução do argumento mais forte de uma sequência.
O enunciado deixa claro que é preciso identificar o que a conjunção anuncia além de sua função
sintática, logo é a introdução de um argumento mais forte em oposição ao anterior.
4)Aumento do efeito estufa ameaça plantas, diz estudo. O aumento de dióxido de carbono na atmosfera, resultante do uso de combustíveis fósseis e das queimadas, pode ter consequências calamitosas para o clima mundial, mas também pode afetar diretamente o crescimento das plantas. Cientistas da Universidade de Basel, na 
	Suíça, mostraram que, embora o dióxido de carbono seja essencial para o crescimento dos vegetais, quantidades excessivas desse gás prejudicam a saúde das plantas e têm efeitos incalculáveis na agricultura de vários países. O texto acima possui elementos coesivos que promovem sua manutenção temática. A partir dessa perspectiva, conclui-se que
c) as expressões: “consequências calamitosas”, na linha 2, e “efeitos incalculáveis”, na linha 6, reforçam a ideia que perpassa o texto sobre o perigo do efeito estufa.
Perpassa significa ir além do que foi dito
5) A relação semântica expressa pelo termo “logo” no verso "não tenho, logo, mais que desejar" ocorre igualmente em:
a) “Não se lembrou de ter um retrato do menino. E LOGO o retrato que tanto desejara.”
b) “Acendia, tão LOGO anoitecia, um candeeiro de querosene.”
c) “É um ser humano, LOGO merece nosso respeito.”
d) E era LOGO ele que chegava a esta conclusão.
e) “Adoeceu, e LOGO naquele mês, quando estava cheio de compromissos.”
Em “Não tenho, LOGO, mais que desejar", a conjunção “logo” tem valor conclusivo, assim como na alternativa C. Na letra A, logo tem sentido de que o retrato do menino era muito importante; na letra B, tem sentido de “imediatamente”; na letra D, tem sentido de “justamente” e, na letra E, de “neste momento”.
6)Também já fui brasileiro
Eu também já fui brasileiro
moreno como vocês.
Ponteei viola, guiei forde
e aprendi na mesa dos bares
que o nacionalismo é uma virtude.
Mas há uma hora em que os bares se fecham
e todas as virtudes se negam.
(…) Carlos Drummond de Andrade
	Assinale a alternativa que apresenta conjunção com sentido equivalente ao de “mas” presente no sexto verso.
a) “Anda que anda até que desanda.”
b) “Não só venceu, mas também convenceu.”
c)“Mas que beleza, Dona Creuza!”
d) “Atirou-se do vigésimo sétimo andar e não se feriu.”
e) “Há sempre um, “mas” em nossos discursos.”
A relação estabelecida pelo, “mas” é de oposição, já que cair do vigésimo sétimo andar e não se machucar é algo inesperado.
Conjunções subordinativas: quando as frases dependem uma da outra. Existem dois tipos:
1)Integrantes: não possuem valor semântico-sintático; (que; se)
Ex: Joana queria muito que Pedro viajasse.
2)Adverbiais: apresentam valor semântico.
	Classificações
	Conjunções
	Exemplos
	Causais
(exprimem causa)
	porquê; uma vez que; sendo que; visto que, como
	Como estava muito doente, resolvi não ir ao shopping 
	Comparação
(A = B)
	 como, que nem, (do) que, qual, quanto,
	Praia é bom como piscina.
	Concessiva
(oposição sem anular a outra oração)
	embora, ainda que, mesmo que, por mais que, apesar de que
	Embora esteja chovendo, vou à praia.
	Condicionais
(algo necessário para que ocorra)
	se, caso, contanto que, a menos que, a não ser que, salvo se
	Vou caminhar, a menos que não esteja chovendo.
	Conformativas
(algo aconteceu como previsto)
	conforme, segundo, como, consoante.
	A viagem ocorreu conforme planejamos.
	Consecutivas
(indicam consequencia)
	e maneira que, de modo que, de forma que, que (combinada com “tal”, “tanto”, “tão”)
	Comeu tanto que passou mal.
	Finais
(apresentam finalidade)
	a fim de, para
	Vou dormi para acordar cedo amanhã.
	Proporcionais
(em que proporção ocorreu o fato apresentado na oração principal)
	à medida que, ao passo que, à proporção que, quanto mais, quanto menos
	Quanto mais andava mais cansado ficava.
	Temporais: (exprime o tempo de realização do fato)
	enquanto, logo que, quando, antes que, até que, assim que, desde que
	Desde que foi morar fora, não o vi mais.