Buscar

Formação sociocultural do Brasil I

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 8 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 8 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

Formação sociocultural do Brasil I
APRESENTAÇÃO
A realidade cultural, social, política ou econômica de um país não pode se explicar apenas pela 
situação presente. Tudo o que vivemos faz parte de um longo processo histórico, que encontra 
raízes no modo de viver em sociedade dos nossos ancestrais. O processo pelo qual o Brasil foi 
ocupado e colonizado; a diversidade de povos que constituíram esse país; a forma como esses 
povos se miscigenaram e se multiplicaram pelas diversas regiões do nosso território; tudo isso 
explica em muito quem é o brasileiro e a sociedade brasileira atual.
Bons estudos.
Ao final desta Unidade de Aprendizagem, você deve apresentar os seguintes aprendizados:
Reconhecer a realidade social e cultural do Brasil.•
Explicar os efeitos da ocupação e colonização brasileira.•
Valorizar as diferentes manifestações culturais de etnias e raças (negra, indígena, branca).•
DESAFIO
"Em suma e no essencial, todos os grandes acontecimentos da chamada "era dos 
descobrimentos", articulam-se num conjunto que não é senão um capítulo da história do 
comércio europeu. Tudo que se passa são incidentes da imensa empresa comercial a que se 
dedicam os países da Europa a partir do século XV, e que lhes alargará o horizonte pelo oceano 
afora..." (PRADO JR., 2000, p. 11)
Com base no trecho acima, responda: Em que se diferenciou o projeto colonizador de Portugal 
do projeto colonizador da Inglaterra na América?
INFOGRÁFICO
No mercantilismo, a riqueza dos países era medida pelo lucro advindo das trocas comerciais. 
Portugal não possuía grandes manufaturas (fábricas) e precisava importar produtos de outros 
países, principalmente da Inglaterra. Em troca, deveria oferecer a matéria-prima produzida de 
suas colônias. Observe o infográfico.
CONTEÚDO DO LIVRO
Para conhecer um pouco mais sobre o início da formação da sociedade brasileira, sugerimos a 
leitura do artigo A experiência portuguesa no processo de colonização do Brasil, de Carmelindo 
Rodrigues da Silva. O autor nos mostra que os impulsos iniciais do processo de colonização se 
explicariam pelo desejo da expansão da empresa europeia dentro da lógica mercantilista que se 
consolidava naquele momento da Idade Moderna. Não se tratou apenas de um projeto específico 
de desbravamento do mar, do espírito aventureiro português, mas, além disso, tratava-se de 
buscar alternativas para ampliar o comércio que tinha como entraves questões de ordem política 
e econômica. Assim, é possível dizer que a formação da sociedade brasileira não era um fim, um 
objetivo propriamente dito, como diferentemente ocorreu nas chamadas colônias de povoamento 
tão presentes na América Espanhola.
Mais como consequência do que como alvo, a formação do Brasil enquanto nação se deu por 
um processo histórico bastante peculiar, com desdobramentos significativos para a constituição 
do país enquanto nação.
Boa leitura. 
Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!
DICA DO PROFESSOR
A realidade cultural, social, política ou econômica de um país não pode ser explicada pela sua 
situação presente, uma vez que tudo faz parte de um longo processo histórico. A ocupação e a 
forma de colonização, os povos que constituíram e miscigenaram esse país, tudo isso explica a 
sociedade e sua realidade atual. Nesse vídeo, abordaremos a colonização e a formação da 
sociedade brasileira, o tipo de exploração de acordo com a realidade de Portugal e a 
diferenciação desta colonização da Espanha e Inglaterra.
Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!
EXERCÍCIOS
Leia o trecho a seguir: “O europeu chegou ao Novo Mundo com uma bagagem 
repleta de superstições e preconceitos e atirou-se às conquistas, sob a justificativa de 
estar a serviço de Deus e de Sua Majestade. Embora defendendo a ideia de uma 
colonização pacífica e cristã, tratou os indígenas como povos bárbaros, escravizando-
os e tomando-lhes as terras. Sob a alegação de que eles eram preguiçosos, sustentou 
durante séculos o mito do índio indolente, conceito que ainda hoje está presente na 
mentalidade da maioria dos brasileiros. Daquela época herdamos a ideia de que o 
índio não tem a responsabilidade do homem “civilizado”, portador de uma cultura 
superior e em condições de administrar as terras. Boa parte dos textos históricos e 
literários que têm o índio como personagem reforça apenas os aspectos folclóricos de 
sua cultura, tratando-os como irmãos estranhos. A imagem continua a ser idealizada, 
longe de expressar a realidade marcada (...) pelo duro trabalho e pela tentativa de 
adaptação à vida dita civilizada. Depois de tanto tempo o índio continua a ser o outro, 
julgado pelos valores do homem branco.” (CARNEIRO, 1999, p. 9-10). 
1) 
 Com base na análise do texto, assinale a alternativa CORRETA:
A) É historicamente defensável o argumento de que a colonização brasileira esteve isenta de 
julgamentos supersticiosos e discriminatórios.
B) A imagem que herdamos dos povos indígenas não foi falseada pela percepção mítica e 
idealizada de sua cultura pelos colonizadores.
C) Tratando os indígenas como povos bárbaros, o europeu escravizou-os e tomou-lhes as 
terras, já que defendia a ideia de uma colonização pacífica e cristã.
D) O europeu tratou os indígenas como povos bárbaros, escravizando-os e tomando-lhes as 
terras. Ou seja, não defendeu a ideia de uma colonização pacífica.
E) Não parece aceitável a crença de que haja um mundo civilizado em oposição a outro, não 
civilizado. As aspas usadas na palavra civilizado sugerem esta restrição.
2) Sabemos que o Brasil teve uma complexa formação étnica, na qual o elemento 
indígena teve grande participação, pelo menos na fase inicial. Sobre esse elemento 
étnico, leia o texto escrito pelo oficial português Gabriel Soares, em 1587, onde 
descreve os índios Guaianá: "É gente de pouco trabalho (...); se encontram com gente 
branca, não fazem nenhum dano, antes boa companhia, e quem acerta de ter um 
escravo guaianá não espera dele nenhum serviço, porque é gente folgazã de natureza 
e não sabe trabalhar.“. O texto expressa:
A) a diferença entre as concepções de trabalho do mundo europeu e das culturas indígenas.
B) o preconceito racial que impediu a miscigenação cultural entre brancos e índios.
C) a ineficiência do ensino dos brancos aos grupos indígenas sem tradição agrícola.
D) o argumento básico para elaborar as leis que proibiam a escravização indígena.
E) a forma usada pelos índios para evitar a dominação cultural e a escravização.
3) A economia colonial brasileira é integrada ao processo do mercantilismo e altamente 
especializada e dirigida para o mercado externo, tendo internamente um caráter 
predatório sobre os recursos naturais. Assinale a opção que caracteriza a economia 
colonial estruturada como desdobramento da expansão mercantil europeia:
A) A descoberta de ouro no final do século XVII aumentou a renda colonial, favorecendo o 
rompimento dos monopólios que regulavam a relação com a metrópole.
B) O caráter exportador da economia colonial foi lentamente alterado pelo crescimento dos 
setores de subsistência, que disputavam as terras e os escravos disponíveis para a 
produção.
C) A lavoura de produtos tropicais e as atividades extrativas foram organizadas para atender 
aos interesses da política mercantilista europeia.
D) A implantação da empresa agrícola representou o aproveitamento, na América, da 
experiência anterior dos portugueses nas suas colônias orientais.
E) A produção de abastecimento e o comércio interno foram os principais mecanismos de 
acumulação da economia colonial.
“A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em certos 
vocábulos difere em algumas partes; mas não de maneira que se deixem de entender. 
(...) Carece de três letras, convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa 
digna de espanto, porque assim não tem Fé, nem Lei, nem Rei, e desta maneira vivem 
desordenadamente (...)." (GANDAVO, Perode Magalhães. História da Província de 
Santa Cruz, 1578.). 
4) 
A partir do texto, pode-se afirmar que todas as alternativas expressam a relação dos 
portugueses com a cultura indígena, EXCETO:
A) A busca de compreensão da cultura indígena era uma preocupação do colonizador.
B) A desorganização social dos indígenas se refletia no idioma.
C) A diferença cultural entre nativos e colonos era atribuída à inferioridade do indígena.
D) A língua dos nativos era caracterizada pela limitação vocabular.
E) Os signos e símbolos dos nativos da costa marítima eram homogêneos.
5) "Até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela, ou outra coisa de metal ou 
ferro; nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito bons ares frescos e 
temperados como os de Entre-Douro e Minho, porque neste tempo dagora assim os 
achávamos como os de lá. (As) águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa 
que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem! 
Contudo, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. 
E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar. E que não 
houvesse mais do que ter Vossa Alteza aqui esta pousada para essa navegação de 
Calicute (isso) bastava. Quanto mais, disposição para se nela cumprir e fazer o que 
Vossa Alteza tanto deseja, a saber, acrescentamento da nossa fé!" ("Carta de Pero 
Vaz Caminha ao Rei de Portugal" em 1°/5/1500.) Segundo a carta, que informa ao 
Rei de Portugal tudo o que fora observado durante a curta estadia em nossa costa 
atlântica, Pero Vaz de Caminha apresenta possibilidades oferecidas pela terra recém-
descoberta. Dentre essas possibilidades, de acordo com o texto, estão:
A) A extração de metais e pedras preciosas no interior do território, área não explorada então 
pelos portugueses.
B) A pesca e a caça, pela qualidade das águas e terras onde aportaram os navios portugueses.
C) A extração de pau-brasil e a pecuária, de grande valor econômico naquela virada de 
século.
D) A conversão dos indígenas ao catolicismo e a utilização da nova terra como escala nas 
viagens ao Oriente.
E) A conquista de Calicute a partir das terras brasileiras e a cura de doenças pelos bons ares 
aqui encontrados.
NA PRÁTICA
Veja a seguir uma reflexão sobre a colonização portuguesa no Brasil.
SAIBA MAIS
Para ampliar o seu conhecimento a respeito desse assunto, veja abaixo as sugestões do 
professor:
Sociologia
História - Formação Sociocultural do Brasil - 1/2
Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!
História - Formação Sociocultural do Brasil - 2/2
Conteúdo interativo disponível na plataforma de ensino!

Continue navegando