A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
ANATOMIA DO CORAÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Anatomia do coração:
O coração humano, assim como o de todos os mamíferos, é um órgão
musculoso formado por quatro cavidades e que apresenta como função
primordial garantir que o sangue seja enviado para todas as partes do
nosso corpo. Esse órgão, que apresenta o tamanho médio de um punho
fechado, está localizado atrás do esterno e entre os pulmões, no
mediastino médio. Ele garante o bombeamento graças a contrações
rítmicas do músculo cardíaco.
subdivisões do coração:
O coração, órgão do sistema cardiovascular, é uma câmara oca com quatro
cavidades: dois átrios e dois ventrículos. Possui o formato de um cone
invertido com o ápice voltado para baixo e apresenta o volume aproximado
de uma mão fechada. Normalmente pesa cerca de 300 g.
As paredes do coração são compostas por três túnicas:
● Endocárdio: túnica formada por endotélio que repousa sobre uma
camada de tecido conjuntivo frouxo, a camada subendotelial. Essa
última camada é conectada ao miocárdio pela camada subendocardial,
a qual apresenta nervos, veias e ramos do sistema que conduz o
impulso nervoso.
● Miocárdio: camada mais espessa do coração e responsável pela
capacidade de contração do órgão. Essa camada é formada por feixes
de fibras musculares cardíacas, as quais estão orientadas em várias
direções. O miocárdio envolve as câmaras do coração, sendo mais
espesso nos ventrículos – em especial, no ventrículo esquerdo – e
mais fino nas paredes dos átrios.
● Pericárdio: saco invaginado que envolve o coração é formado pelo
pericárdio parietal e o pericárdio visceral. O pericárdio parietal é
uma camada externa, enquanto o pericárdio visceral é uma camada
mais interna. O pericárdio visceral forma o chamado epicárdio e
reveste o coração externamente.
Câmaras do coração:
O coração é formado por duas câmaras superiores, os átrios, e duas
câmaras inferiores, os ventrículos. Os átrios estão separados pelo septo
interatrial, e os ventrículos separam-se pelo septo interventricular.
Os átrios apresentam como função principal receber o sangue que vem de
diversas partes do corpo, funcionando, portanto, como câmaras coletoras.
Já os ventrículos são os responsáveis por garantir o bombeamento do
sangue para outros locais, sendo, portanto, câmaras bombeadoras.
Tendo em vista o papel de cada câmera do coração, fica fácil compreender
por que os ventrículos apresentam paredes mais desenvolvidas, e os átrios,
paredes mais delgadas. As paredes espessas proporcionam uma contração
com muito mais vigor do que as paredes delgadas, garantindo, assim, que o
sangue seja enviado para diversas partes do corpo.
O átrio direito é uma câmera que recebe sangue de diversas partes do
corpo, exceto os pulmões. Nele desembocam três veias: veia cava superior,
veia cava inferior e seio coronário. O ventrículo direito comunica-se com o
átrio direito e dele parte a artéria pulmonar, que leva sangue aos pulmões.
O átrio esquerdo recebe sangue vindo dos pulmões por meio de quatro veias
pulmonares. O ventrículo esquerdo recebe o sangue do átrio esquerdo e
dele parte a artéria aorta, que é responsável por levar sangue para o
restante do corpo, exceto os pulmões.
Válvulas do coração:
Entre os átrios e os ventrículos, encontramos as válvulas
atrioventriculares. No coração, também estão presentes as válvulas
semilunares pulmonar e aórtica, localizadas entre os ventrículos e a
artéria pulmonar e aorta, respectivamente. Temos, portanto, quatro
válvulas no coração, as quais impedem o refluxo do sangue,
proporcionando, desse modo, uma movimentação do sangue em uma única
direção.
OBS: O sopro cardíaco nada mais é que um som anormal ouvido entre um
batimento e outro que é resultado de uma turbulência no fluxo sanguíneo.
Nem sempre o sopro cardíaco determina uma patologia, sendo chamado de
sopro cardíaco inocente aquele que ocorre mesmo sem alterações
anatômicas e/ou funcionais do sistema cardiovascular. Em outras situações,
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sopro-no-coracao.htm
o sopro pode ser resultado de alguns problemas, como a passagem do
sangue por uma estrutura valvular anormal.
O caminho do sangue no coração:
O sangue chega das diversas partes do corpo, exceto do pulmão, pelo átrio
direito. Nessa cavidade desembocam as veias cavas superior e inferior, que
trazem o sangue do corpo, e também o seio coronário, que é responsável
por drenar o sangue presente no próprio coração.
Do átrio o sangue flui para o ventrículo direito e é levado para os pulmões
pela artéria pulmonar. Após sofrer hematose nos pulmões, o sangue é
levado por quatro veias pulmonares até o átrio esquerdo, de onde flui para
o ventrículo esquerdo. Dessa última cavidade, o sangue é impulsionado a
sair pela artéria aorta, que leva sangue para todas as partes do corpo, com
exceção do pulmão, por meio de inúmeras ramificações.
Impulso do coração:
O coração bate de maneira rítmica, alternando entre contração e
relaxamento. A contração é chamada de sístole, e o relaxamento é
denominado de diástole. A sístole garante que o sangue seja bombeado, e a
diástole, que é a fase de relaxamento, garante que as cavidades do coração
encheram-se de sangue.
A geração do batimento cardíaco é atribuída ao chamado nó sinoatrial, que
é formado por uma massa de células especializadas, localizadas na parede
do átrio direito, responsáveis por gerar espontaneamente um impulso
elétrico. Esses impulsos elétricos são semelhantes aos gerados pelas
células nervosas e propagam-se rapidamente pelo tecido muscular
cardíaco.
Esses impulsos chegam a outro ponto que garante a transmissão de
impulsos: o nó atrioventricular, que está localizado entre a parede dos dois
átrios. Os sinais então partem do nó atrioventricular e seguem em direção
a todas as partes dos ventrículos e ao ápice do coração por meio de
estruturas especializadas denominadas de sistema de Purkinje.