A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Análise do conto Favela

Pré-visualização | Página 1 de 1

Autor: Nadson Cardoso de Jesus 
Análise do conto “Favela” de Carolina Maria de Jesus 
O conto favela narra a vida de uma mulher, brasileira, negra, pobre, semianalfabeta e 
moradora de favela. Essa mulher conta como era o dia a dia e as dificuldades que ela e suas 
semelhantes sofriam e precisavam passar para viver. Além disso, conta o quanto era difícil 
morar na favela sem apoio das pessoas, pois a grande maioria não sentia empatia pelo próximo, 
valorizavam os “grã-finos” e não estendiam a mão para um semelhante. Mostra que as mulheres 
que viviam na favela teriam que ser imprescindivelmente guerreiras, para se manterem “dignas” 
e sem “fraquejar” diante dos diversos obstáculos que surgiam em suas vidas. O fato dela ser 
negra e morar em uma favela, condiz com a realidade da extrema maioria da população preta, 
claro que não em sua totalidade, mas a favela era composta em sua maioria por negros e isso 
mostra que essa parcela da população sofreu muito, mesmo após a abolição. Pois, 
inquestionavelmente continuaram não tendo muitas oportunidades para poderem melhorar de 
vida, sendo oprimidos e julgados como inferiores. Sem terem oportunidade de fazer parte da 
sociedade de maneira mais “justa”. 
O que diferencia Carolina das demais figuras femininas marginalizadas e que lutavam 
pelo seu direito de sobrevivência em meio à fome, é o fato dela ter uma grande paixão pela 
leitura e escrita. Dividia o seu tempo entre catar papeis, cuidar dos filhos e escrever. Mesmo 
diante de todas as dificuldades em que ela passou, nunca deixou de lado o que tinha que fazer 
e nem o que desejava. Ela almejava ter reconhecimento como escritora e também, não só como 
mulher, como mulher negra. 
O conto favela, representa essa luta de negros “abandonados” pelo sistema, que não os 
dava oportunidade e também pelas pessoas. Em um país que em sua grande maioria é composta 
por pessoas negras, existir tamanha desigualdade, só mostra o quanto as pessoas evoluíram 
muito pouco o seu aspecto humano e intelectual. Esse fato é muito evidente, uma demonstração 
disso é que por ser escritora, a personagem do conto recebe um pouco de visibilidade, mesmo 
que muito pouco. Porém, tendo em vista o reconhecimento que ela teria se fosse uma escritora 
branca, isso é quase nada. Isso se evidência ainda hoje, pois, escritores negros muitas das vezes, 
ainda são pouco viabilizados na sociedade mesmo tendo grande talento e muito conhecimento. 
Referências: 
FERREIRA, A. C.; MIGLIOZZI, L. C. F. M. . LITERATURA AFRO-FEMININA 
BRASILEIRA DO SÉCULO XXI: CORPO, VOZ, POESIA E RESISTÊNCIA. In: XV 
ABRALIC: experienciências literárias textualidades contemporâneas, 2017, Rio de Janeiro. 
Anais - XV ABRALIC, 2017. p. 5910-5921. 
JESUS, Carolina Maria de. Onde estaes Felicidade?. São Paulo: Edições Me Parió Revolução, 
2014.