A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Material Cultura Brasileira

Pré-visualização | Página 1 de 1

Vejamos os significados para cultura ao longo da história
Vinda do verbo latino colere (cultivar, criar, tomar conta e cuidar), Cultura teve como significado:
A cultura era a educação do espírito das crianças para tornarem-se membros excelentes e virtuosos da sociedade pelo refinamento e aperfeiçoamento das qualidades naturais, como o caráter, a índole e o temperamento sem excessos.
Desta forma, Cultura seria o aprimoramento da natureza humana pela educação em sentido amplo.
No século XVIII, passa-se a entender por cultura os resultados da formação ou educação dos seres humanos.
Resultados esses observados em obras realizadas, feitos, ações e instituições, tais como as artes, as ciências, a Filosofia, os ofícios, a religião e o Estado.
Torna-se, a Cultura, portanto, sinônimo de civilização.
Os pensadores, dessa época, entendiam que o resultado dessa formação-educação se manifesta muito claramente na vida social e política ou na vida civil (do latim, cives, cidadão; civitas, a cidade-Estado).
No século XIX, observa-se uma atenção dirigida a formas sistemáticas de se estudar as culturas humanas, de se discutir sobre elas. Esses estudos se intensificaram na medida em que se aceleravam os contatos, nem sempre pacíficos, entre povos e nações.
As reflexões em torno da cultura se voltaram tanto para compreensão das sociedades modernas e industriais quanto das que iam desaparecendo ou perdendo suas características originais em virtude daqueles contatos.
É bom frisar que toda essa preocupação NÃO produziu uma definição clara e unânime do que seria cultura e isso mostra a dificuldade de conceituá-la. Hoje, pode-se elencar algumas concepções de cultura, para evidenciar sua complexidade.
São basicamente  duas concepções de cultura:
A primeira concepção, nos remete a todos os aspectos de uma realidade social. Embora ela seja mais genérica, é mais usual quando se fala de povos e de realidades sociais bem diferentes das nossas, com os quais partilhamos de poucas características em comum.
Na segunda concepção básica de cultura, observa-se também a referência à totalidade de características de uma realidade social, já que não se pode falar em conhecimento, ideias, crenças sem pensar na sociedade à qual se referem. Essa concepção diz respeito a uma esfera, a um domínio, da vida social.
O que se entende por Identidade Cultural?
Segundo os especialistas em Estudos Culturais, as identidades culturais dizem respeito àqueles aspectos de nossas identidades que surgem de nosso “pertencimento” a culturas étnicas, raciais, linguísticas, religiosas e, acima de tudo, nacionais.
Na construção da identidade nacional brasileira, se observa, que em diferentes épocas e sob diferentes aspectos, a questão da identidade nacional esteve vinculada, com frequência, à problemática da cultura popular.
Vários são os exemplos, não só no Brasil, que associam a identidade nacional à cultura popular, por isso, pode-se dizer que a relação entre nacional e popular se manifesta no interior de um quadro mais amplo, isto é, o Estado.
Se for verdade que esta relação integra o quadro mais abrangente do Estado, é necessário saber que tipo de relação é esta.
Para tanto, é necessário que se tenha a compreensão da noção de memória, pois para responder a essa questão, é preciso lançar mão da ideia de memória, e de aproximar a problemática da cultura popular do Estado.
Um exemplo de memória coletiva popular é a prática do candomblé, que ao definir um espaço social sagrado, o terreiro, possibilita a encarnação da memória coletiva africana em determinados enclaves da sociedade brasileira. Assim, a origem é recorrentemente relembrada e se atualiza através do ritual religioso. A memória coletiva popular deve se transformar em vivência, pois somente dessa forma fica assegurada a sua permanência através das representações.
Enquanto a memória coletiva popular é da ordem da vivência, a memória nacional se refere a uma história que transcende os sujeitos e não se concretiza imediatamente no seu cotidiano.
O exemplo de memória coletiva (o candomblé) mostra a necessidade de a tradição se manifestar enquanto vivência de um grupo social restrito, a memória nacional se mostra em outro plano, visto que está vinculada à história e, assim sendo, pertence à esfera da ideologia.
Um mito é encarnado por um grupo restrito; já a ideologia se estende à sociedade inteira. A memória nacional, dessa forma, não é propriedade particularizada de nenhum grupo social, pois ela se define como um universal que se impõe a todos os grupos. Ela não possui uma existência concreta, mas virtual, daí não poder se manifestar como vivência.
O que significa Etnocentrismo?
O etnocentrismo consiste em julgar, a partir de padrões culturais próprios, como "certo" ou "errado", "feio" ou "bonito", "normal" ou "anormal" os comportamentos e as formas de ver o mundo dos outros povos, desqualificando suas práticas e até negando sua humanidade.
Assim, percebemos como o etnocentrismo se relaciona com o conceito de estereótipo. Os estereótipos são uma maneira de biologizar as características de um grupo.
O estereótipo funciona como um carimbo que alimenta os preconceitos ao definir a priori quem são e como são as pessoas. Sendo assim, o etnocentrismo se aproxima também do preconceito.
Dinamismo Cultural
O caráter dinâmico da cultura é extremamente relevante, pois muitas vezes a cultura é associada à ideia de "tradição", quando na verdade foi pensada como algo imutável, que tenderia a se reproduzir sem perder suas características.
A dinâmica cultural está diretamente relacionada à diversidade cultural existente em nossa sociedade. Esta se confunde muitas vezes com a desigualdade social – que deve ser combatida – e com um universo de preconceitos – que devem ser superados.
Relativismo Cultural
Seria pertinente salientar que o mais correto politicamente é se pensar na possibilidade de um verdadeiro relativismo cultural cujo princípio afirma que todos os sistemas culturais são intrinsecamente iguais em valor, e que os aspectos característicos de cada um têm de ser avaliados e explicados dentro do contexto do sistema em que aparecem, por um lado; por outro, entender e interiorizar o diferente como um sujeito igual em direitos e oportunidades.
Leia as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta:
a) É possível definir cultura como um nível de desenvolvimento alcançado pela sociedade na instrução, na ciência, na literatura, na arte, na filosofia, na moral, etc.
b) A dinâmica cultural está diretamente relacionada à diversidade cultural existente em nossa sociedade.
c) Enquanto a memória coletiva popular é da ordem da vivência, a memória nacional se refere a uma história que transcende os sujeitos e não se concretiza imediatamente no seu cotidiano.
d) A construção de estereótipo se opõe a ideia de preconceito a medida que são uma maneira de biologizar as características de um grupo.
V, V, V, F
F, V, V, F
V, V, F, F
F, V, F, V
Corrigir