A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
ENTESOPATIAS

Pré-visualização | Página 1 de 1

ENTESOPATIAS
Lesões de estruturas anexas aos ossos (ex.: músculos
e tendões)
Tendinopatia calcaneo (tendinite de aquiles)
É uma tendinose (e não uma tendinite), pois não
possui bainha sinovial (ele é envolvido por um
paratendão) e histologicamente não há inflamação e
sim necrose e degeneração mucóide
● Anatomia
Perto da inserção dos tendões, há uma área
hipovascular que é uma região mais suscetível às
lesões
● Biomecânica
Recebe 8-10x o peso do corpo durante corrida e 2-3x
durante a marcha
● Fatores de risco
Fatores intrínsecos
- Zona hipovascular
- Homens
- Pé plano-pronado (principal) ou cavo
- Obesidade (excesso de sobrecarga no tendão
calcâneo)
- DM, IRC, AR (alteram nutrição e reparação
do tendão)
Fatores Extrínsecos
- Corticóide
- Quinolona
- Anabolizante
- Calçado inadequado
- Treino inadequado
- Piso
● Mecanismo da lesão
Ruptura
- Traumática (mecanismo direto)
- Degenerativa (mecanismo indireto por
dorsiflexão súbita com músculo contraído
● Clínica
Dor aguda: sensação de pedrada na perna
Gap (Hatchet positivo)
Thompson positivo (principal exame)
● Diagnóstico
O diagnóstico é clínico
Exames complementares:
- Radiografia: calcificação intratendínea
- RM: avaliar lesões associadas, avalia
também degenerações
● Tratamento do tendinose
Conservador: retirar o fator de risco, adequar a carga
de treino, fisioterapia, alongamento da musculatura
posterior
- Tratamento de choque pode ser indicado
Cirúrgico: 3-6 meses após falha do consevador
- Debridamento do tendão
● Tratamento da ruptura
Conservador: bota leve equino sem carga por 8-10
semanas
Cirúrgico: rafia do tendão e uso de outro tendão como
reforço
- PO com imobilização por 8-10 semanas
(sendo 2-4 primeiras semanas em flexão
plantar e 4 semanas sem apoio) e
recuperação progressiva ADM e força
Tendinopatia patelar
É uma entesopatia relacionada à sobrecarga e
microtraumas
O mecanismo de ruptura pode ser traumática ou
degenerativa
- Contração excêntrica súbita com o pé fixo ao
chão
● Fatores de risco
Fatores intrínsecos
- Zona hipovascular
- Homens
- Pé plano-pronado (principal) ou cavo
- Obesidade (excesso de sobrecarga no tendão
calcâneo)
Fatores Extrínsecos
- Corticóide
- Quinolona
- Anabolizante
- Calçado inadequado
- Treino inadequado
- Piso
● Clínica
Dor na região anterior do joelho
Edema
Hemartrose
Gap
Limitação (lesão parcial) ou perda (lesão total) da
extensão ativa
● Radiografia
Patela alta: ruptura completa do tendão e do retináculo
Ruptura incompleta
● Ressonância
● Tratamento da tendinopatia
Conservador: AINE + gelo + afastar atividade + FST
Cirúrgico: sutura do tendão em krakow
Epicondilite lateral
Formação de tecido angiofibroblástico (há
degeneração) e não inflamação em sua principal fase
no ERCC (97%)
Comum em adultos de 35-55 anos de idade
Mecanismo comum: atividade física ou laboral com o
braço em pronação
● Anatomia
● Causas
Overuse dos extensores do punho e pronosupinação
com cotovelo
Fatores de risco intrínsecos: pé plano pronado, pé
cavo, encurtamento de aquiles
● Clínica
Dor no epicondilo lateral - piora com extensão e
pronação
Teste de Cozen, de Mills e manobra da cadeira
positivos
● Tratamento
Conservador: repouso da articulação, gelo, bandagens,
carga elétrica na região
Em pacientes refratários, pode ser utilizado injeção de
lidocaína no epicôndulo (melhora a dor, ao contrário
do interósseo)
O tratamento cirúrgico é indicado para pacientes
refratários após 9-12 meses
Fascite plantar
Doença inflamatória crônica no tubérculo antero
medial do calâneo ou ao longo da fáscia
Ocorre principalmetne em mulheres obesas e
corredoras (10%)
A maioria é unilateral (90%)
Há microrupturas e reação inflamatória (espessamento
> 3 mm, redução da vascularização e elasticidade) da
fáscia devido ao estresse excessivo em sua origem
● Causas
Corredores: sobrecarga, erro treino, desequilírbio
muscular, calçados inadequados, piso
Idosos: redução de força muscular, redução da
atenuação do impacto, redução da cicatrização e
alterações degenerativas
● Clínica
Dor plantar medial no tubérculo calcâneo
Piora pela manhã com o 1º passo, correr em subidas,
saltar e andar descalço
Melhora com salto alto
● Radiografia
Esporão está presentem em 50-70% e não é o
responsável pela dor, é causado por tração excessiva
dos FCD
Obs.: o esporão não é responsável pela dor
● Ultrassom
Espessamento e perda de elasticidade
● Ressonância magnética
Indicado para casos complicados e refratários
Pode haver rotura e edema
● Tratamento
Conservador: alongametno da facie do pé, massagem,
bandagem
Raro tratamento cirúrgico

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.