A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Classificação dos Streptococcus

Pré-visualização | Página 1 de 1

CLASSIFICAÇÃO DOS STREPTOCOCCOS (DE ACORDO COM LANCEFIELD)
1. Streptococcos beta hemolíticos (produzem hemólise total)
Os principais grupos de streptococcos beta hemolíticos são:
Streptococcos do Grupo A
· O principal representante são os Streptococcos pyogenes;
· Causam infecções no trato respiratório superior como: faringite associada a amigdalite, sinusite, otite (foco primário); infecção na orofaringe é a mais clássica, a qual o paciente não consegue beber água, nem mexer o pescoço;
· Se a infecção não for tratada, a recuperação espontânea ocorre em até 10 dias. Entretanto, a amigdalite pode se agravar ocasionando otite, sinusite e meningite ou desencadear doenças pós-estreptocócicas semanas depois;
· O tratamento ideal deve ser feito com penicilina G (benzetacil). 
· Também pode causar: piodermite, endocardite, impetigo (crostoso), erisipela, escarlatina, infecção puerperal (infecção no útero após o parto), septicemia.
Streptococcos do Grupo B
· Tem como principal representante o Streptococcos agalactie;
· São saprófitas do trato genital feminino de algumas mulheres, ou seja, da flora normal;
· Quando a criança nasce e se contamina com essa bactéria, vai desencadear uma septicemia ou uma meningite.
Streptococcos do Grupo D:
São cocos gram positivos, que fazem parte da flora intestinal, mas se entrarem em contato com a região uretral causa contaminação
Podem apresentar hemólise alfa, às vezes. 
Classificam-se em:
a) Enterococcus (Streptococcus faecalis e faeccium)
· Podem causar infecções do trato urinário, especialmente em pacientes hospitalizados, que fazem uso de sondas urinária, fraldas, introdução de cateteres nas vias urinárias são importantes fatores de predisposição;
· Os enterococcus também podem causar endocardites, especialmente em paciente que se submeteram a cirurgias intestinais ou das vias urinárias ou instrumentação.
· Os enterococcus apresentam uma elevada resistência aos antibióticos, até a vancomicina. 
b) Não enterococos (Streptococcus bovis e equinus)
· Raramente causam infecção em humanos.
2. Streptococcos α hemolíticos 
· Geralmente todos são da microbiota do trato respiratório superior;
· Os principais representantes do grupo são: Streptococcus viridans (S.mutans (causam carie), sanguis, salivaris, mitis);
a) Streptococcus mutans podem causar endocardite. Eles entram na corrente sanguínea tipicamente após uma cirurgia dental;
Também podem causar abcessos cerebrais, frequentemente em combinação com anaeróbios da boca;
b) Streptococcus pneumoniae (pneumococos)
Os pneumococos são diplococos e na orofaringe são considerados da flora normal. 
Podem causar pneumonia, bacteremia, meningite e infecções do trato respiratório superior como otites e sinusites;
Pneumococos são a causa mais comum de pneumonias comunitárias, meningites e sepse;